Infelizmente, quando achávamos que a realidade devastadora que se abateu sobre nós estava chegando ao fim com a prosperidade das vacinas, os números de mortos no Brasil chegam a um nível que supera o alarmante. Assim o recomendado é que fiquemos em casa e evitemos contatos e aglomerações. Que deixemos nossos lares somente quando for imprescindível. E para ajudar nesta tarefa árdua, seguimos fazendo nossa parte com uma nova matéria de nossa série de recomendações, para que você tenha entretenimento suficiente nas plataformas de streaming para conseguir se distrair durante essa fase que é a mais difícil até o momento. Abaixo estarão os links das outras matérias lançadas anteriormente. E desta vez a opção é pelas séries da plataforma azulzinha Amazon Prime Video. Dentre as que selecionamos para você estão produções originais da casa, séries de imensa popularidade, séries clássicas e programas que a Amazon disponibiliza em seu streaming na forma de um belo presente para os fãs brasileiros. Vamos conhecer.

Leia também: Fase ROXA | Separamos várias dicas de FILMES para você assistir na NETFLIX

The Boys

Se você ainda não viu The Boys, pare tudo o que está fazendo e corra para assistir a esta série que é, atualmente, o carro-chefe da plataforma azulzinha. Para quem curte o subgênero de super-heróis, irá ganhar algo inédito, nunca antes visto dentro da proposta. Acredite! E os que não curtem tanto assim o estilo, igualmente serão capturados por um programa que guarda um subtexto político e social muito forte, realizando uma grande analogia com o mundo que vivemos. Baseado nos quadrinhos de Garth Ennis e Darick Robertson, o programa apresenta um mundo onde seres superpoderosos são uma realidade. Mas estes heróis não são exatamente o que você espera deles. Falhos, para dizer no mínimo, nos bastidores eles são verdadeiros políticos ardilosos, donos de personalidades realmente asquerosas. Os Sete, grupo do qual fazem parte estas celebridades heroicas, é uma sátira a equipes como a Liga da Justiça.



Sendo assim, Capitão Pátria (Anthony Starr, roubando a cena), Rainha Maeve (Dominique McElliott), Trem Bala (Jessie T. Usher), Profundo (Chace Crawford) e Black Noir (Nathan Mitchell) são paródias que subvertem personagens adorados como Superman, Mulher-Maravilha, Flash, Aquaman e Batman, por exemplo. Mas estejam avisados, apesar desta fachada pop, The Boys possui um humor extremamente ácido, é muito politicamente incorreta e atinge altos níveis de violência gráfica – não recomendado para os de estômago fraco (a censura é para maiores de idade). Criado por Eric Kripke (o mesmo do adorado e interminável Supernatural), com produção de Seth Rogen, Evan Goldberg e Neal H. Moritz, o seriado original da Amazon é um baita sucesso e conta com duas temporadas (de 8 episódios cada) disponíveis na plataforma. A terceira, aguardadíssima, estreia já este ano. Ah sim, The Boys está entre as 100 melhores séries de todos os tempos na opinião do grande público.

Leia também: Fase Vermelha | Ótimos Lançamentos da Amazon Prime Video para conferir em casa

Aproveite para assistir:

Além da Imaginação

Jordan Peele é sem dúvidas um dos grandes nomes do entretenimento atual. Tendo iniciado sua carreira no humor, Peele se mostrou um cineasta de mão cheia ao surpreender com seu debute na direção do fenômeno Corra! (2017). O longa foi indicado para 4 Oscar, incluindo melhor filme, e venceu o de roteiro. Dois anos depois e o diretor repetia a dose com Nós (2019), igualmente um golaço e disponível na Amazon. Na mesma época, o realizador resolveu tirar a poeira de uma propriedade clássica muito querida, dando uma repaginada no conceito. Aqui falamos da série de antologia Twilight Zone, criada e apresentada por Rod Serling por 5 temporadas lá em 1959. O foco do programa era a ficção científica, histórias fantásticas e sobrenaturais que nada mais eram do que uma representação crítica da sociedade da época. Assim temas como preconceito e paranoia, por exemplo, eram discutidos de forma incrível.



O programa é dos patrimônios da TV e uma das 25 séries mais celebradas e influentes de todos os tempos. Natural que tenha ganhado muita sobrevida. A primeira atualização que o seriado recebeu foi na forma de um filme para o cinema, produzido por Steven Spielberg, lançado em 1983, que por aqui teve o título No Limite da Realidade. Depois vieram novas séries em 1985 e 2002. Em 2019, foi a vez de Peele apostar no programa de antologia que a cada episódio conta uma história diferente. Inserindo toques muito atuais e questões do nosso mundo moderno, o diretor (que também serve de apresentador na nova versão) aborda tópicos como racismo, xenofobia, masculinidade tóxica e manobras políticas absurdas com muito vigor em alguns dos melhores episódios. Ao lado de Jordan Peele na empreitada como criadores, Simon Kinberg (produtor dos filmes da Marvel na FOX) e Marco Ramirez (responsável pelas séries da Marvel na Netflix: Demolidor e Os Defensores).

Produção do canal CBS, a Amazon pensou na frente e trouxe o programa prestigiado para o Brasil através de sua plataforma. Infelizmente, Além da Imaginação de Jordan Peele não resistiu ao fatídico ano de 2020 e encerrou seus trabalhos após duas temporadas. Ambas disponíveis na plataforma, que você não pode perder. No CinePOP, escrevi sobre a história do programa, o novo seriado e fiz um ranking com os episódios da primeira temporada (leia nos links).

Leia também: Netflix | Franquias para ir Aquecendo os Lançamentos de 2021 durante a Fase Roxa

Pequenos Incêndios por Toda Parte

Esta é outra série que caso você ainda não tenha assistido, devemos insistir na pergunta: o que acha que está fazendo? Pare tudo e corra! Esta é na verde uma minissérie em 8 episódios, com começo, meio e fim. Parte da tríade de seriados que reinventaram a carreira da estrela Reese Witherspoon, a cimentando como uma das mulheres mais poderosas da Hollywood atual. Aqui fica uma dica para as demais atrizes que não tem dado sorte na escolha de filmes, ou simplesmente não encontram bons projetos, numa indústria cada dia mais regida por produções para jovens e crianças. Reese parou, respirou, pensou e resolveu tomar as rédeas de sua carreira, produzindo suas próprias escolhas. Guiando assim suas vontades. Mesmo que para isso precisasse se voltar para a telinha – hoje a TV é uma mídia muito mais ousada, que arrisca mais, tem espaço para ideias inovadoras e grandes histórias.

Através de sua produtora Hello Sunshine, Witherspoon bancou e protagonizou as elogiadas Big Little Lies e The Morning Show – com esta sendo o terceiro elemento da perfeita conjunção. Originalmente um produto da plataforma Hulu, que não existe em nosso país, a Amazon novamente deixou os fãs brasileiros muito felizes ao trazer o prestigiado programa à nossas terras tupiniquins. Baseado no livro Celeste Ng, desenvolvido para a TV por Liz Tigelaar (produtora de séries como Revenge e Nashville) e dirigida por Lynn Shelton, o seriado é um drama sobre a colisão de duas famílias bem diferentes e suas tragédias pessoais. Mostrando perfeita sintonia com nossos tempos atuais, os temas aqui são o racismo e as lutas de classes sociais. Reese vive Elena, a matriarca de uma família branca de classe alta, dessas parecendo saída de um comercial de margarina. Já Mia, vivida pela talentosíssima Kerry Washington (Scandal), é a chefe de uma unidade familiar menor, constituída somente por ela e a filha Pearl (Lexi Underwood). Quando estas duas histórias se entrelaçam a temperatura sobe ao ponto de incendiar tudo e a todos. A série foi indicada para 5 prêmios Emmy.

Amor Moderno



Mudamos agora para uma série de teor mais leve e solene, mas não menos difícil. O amor é o tema desta produção original da Amazon e a escolha narrativa aqui é igualmente por uma antologia, ou seja, a cada episódio uma nova história é contada. Escrita e dirigida por John Carney, cineasta responsável por emocionantes histórias de relacionamento, a maioria fazendo uso de muita música e trilhas sonoras excepcionais – vide Apenas uma Vez (2007), Mesmo se Nada der Certo (2013) e Sing Street (2016) -, Amor Moderno é baseado numa série de artigos escritos numa coluna do New York Times que explora relações a dois, amor e conexões humanas. Assim temos todo tipo de trama envolvendo casais, seja um casamento de décadas procurando renovação, um novo casal que acabou de se conhecer num aplicativo, jovens que perderam o amor de suas vidas e buscam nova chance, e até mesmo condições crônicas como a bipolaridade e a depressão entrando em cena para atrapalhar relacionamentos. Fora isso, uma verdadeira constelação dá respaldo ao programa participando dos episódios, gente como: Anne Hathaway, Tina Fey, Sofia Boutella, Dev Patel, Catherine Keener, Andy Garcia, Julia Garner e Olivia Cooke. Para ver e se apaixonar. E o melhor, a segunda temporada está confirmadíssima e deve estrear em breve.

Crise em Seis Cenas

Continuando no terreno de obras mais leves, aqui temos uma minissérie de comédia em 6 episódios. Um dos grandes chamarizes da Amazon em suas produções originais de anos recentes foi esta parceria firmada com o cultuadíssimo Woody Allen – hoje navegando águas turbulentas de novo, devido à sua vida pessoal. Aqui, o artista foi dado total liberdade pela plataforma – que também bancou seus mais recentes filmes no cinema. Além de escrever e dirigir os 6 episódios, Allen prontamente topou protagoniza-los. O cineasta não atuava numa produção desde Amante a Domicílio (2013) e num filme seu, desde Para Roma, Com Amor (2012). Crise em Seis Cenas marca, até o momento, a última investida de Allen, no auge de seus 85 anos, como ator. Fora isso, para os mais jovens, o programa traz uma inusitada parceria do diretor com a “rebelde” Miley Cyrus coprotagonizando.  Apesar de centrado nos anos 60 em sua narrativa, a trama é muito atual, e mostra um casal da terceira idade da classe média americana, relativamente conservador, acolhendo meio que involuntariamente em sua casa uma fugitiva da polícia. Lennie (Cyrus), a tal foragida em questão, é uma pseudo revolucionária com mais questões que respostas, disposta a entrar em uma luta armada para mudar o mundo. Programa imperdível para os fãs do cineasta.

Homecoming: De Volta à Pátria

Já deu para sentir o poder da Amazon em arrastar uma verdadeira constelação de astros e estrelas de Hollywood para suas produções originais. E aqui seguimos esse caminho com ninguém menos que a vencedora do Oscar Julia Roberts, uma das atrizes mais importantes de todos os tempos. Em nova fase de sua carreira, Roberts topou a empreitada de aderir à telinha pela primeira vez como protagonista, e escolha da musa foi este programa criado por Sam Esmail, o mesmo do sucesso Mr. Robot – Sociedade Hacker (que revelou Rami Malek). Extremamente enigmática e usando um formato de tela desconfortável (semelhante aos vídeos verticais de celulares) de começo, Homecoming é descrito como uma espécie de sessão de terapia para ajudar jovens soldados que passaram por estresse durante seu serviço militar a se readaptarem à realidade do dia a dia. Julia Roberts vive Heidi Bergman, a terapeuta contratada para o serviço. Com o passar do tempo, a protagonista começa a se envolver afetuosamente com seu principal paciente, o jovem Walter Cruz (Stephan James).


A sacada da série é o mistério por trás da empresa responsável pelo tratamento dos militares, que esconde segredos cabulosos do nível de grandes suspenses da TV, como Twin Peaks e Arquivo X, por exemplo. Ou seja, esperem muitas teorias conspiratórias. Ah sim, a primeira temporada é contada em duas linhas temporais: a primeira com Heidi trabalhando no projeto, e na segunda, com ela já afastada, levando uma vida “normal” como garçonete. Aqui também temos uma série de antologia, mas uma diferente. A primeira temporada segue uma linha narrativa, como uma série comum, com começo, meio e fim. A segunda temporada embora aborde o mesmo tema da empresa misteriosa e alguns personagens secundários que retornam, não traz mais Roberts como protagonista, e resolve focar agora em outra militar sendo tratada, vivida pela cantora e atriz Janelle Monáe. As duas temporadas estão disponíveis na plataforma.

Arquivo X

Essa é para os nostálgicos da década de 90, e os aficionados por um bom thriller, teorias da conspiração e ficção científica. A Amazon Prime Video dá um presentão para os fãs disponibilizando nada menos que todas as temporadas do prestigiadíssimo programa atemporal, criado por Chris Carter. Arquivo X foi um destes seriados que viraram uma entidade própria e se tornaram um verdadeiro fenômeno midiático. Exibido originalmente pela FOX, a série foi ao ar em 1993 e se tornou responsável por lançar ao estrelato seus protagonistas, David Duchovny e Gillian Anderson. A trama todos já conhecem bem: Fox Mulder (Duchovny) e Dana Scully (Anderson) são dois agentes do FBI bem diferentes, designados a cuidar de um setor na agência conhecido como Arquivos X, casos insolúveis cujas teorias afirmam ter envolvimento sobrenatural, em especial de seres alienígenas.

Mulder acredita em todo tipo de teoria conspiratória e inclusive afirma ter uma irmã abduzida por seres de outro planeta. Já Scully é a cética da equação, a voz da razão que sempre procura uma explicação lógica, mesmo quando parece não existir. Arquivo X se mantém como uma das 140 séries mais queridas de todos os tempos. O seriado durou originalmente 9 temporadas, de 1993 a 2002. Uma curiosidade é que nos últimos anos de programa, Duchovny optou por sair, sendo substituído nas últimas duas temporadas e meia pelo eterno T-1000 Robert Patrick, que interpretou o agente John Doggett. Outra curiosidade: Arquivo X faz parte do seleto grupo de séries que resolveram voltar depois de muitos anos de seu término, realizando um revival. Assim, em 2016 e 2018, o programa estreou mais duas temporadas, com o retorno de Duchovny e Anderson. Ah sim, a popularidade foi tanta que dois longa-metragem foram lançados nos cinemas: Arquivo X – O Filme (1998) e Arquivo X – Eu Quero Acreditar (2008). A Amazon dá esse presentão com todas as temporadas do programa disponíveis.

American Horror Story

Para finalizar nossas dicas de série na Amazon, temos outro produto originalmente da Fox. American Horror Story, ou História de Horror Americana é um prato cheio para os fanáticos por terror. O programa se tornou um dos mais populares da atualidade e um dos mais bem sucedidos igualmente. A prova disso é que está no ar por nada menos que 9 temporadas, desde 2011, e já tem a décima programada para este ano. Aqui temos ainda outra série de antologia, mais similar com o formato citado acima de Homecoming. Este é um seriado no qual a cada temporada temos uma história nova contada, fazendo uso de alguma temática de terror. Mas esta não é a única ligação entre as temporadas, já que alguns personagens voltaram a dar as caras em novas temporadas após sua primeira aparição. A Amazon disponibiliza todas as 9 temporadas para os fãs se esbaldarem ou quem ainda não viu começar sua maratona.

Criado por Ryan Murphy, no primeiro ano tivemos como tema uma casa assombrada; no segundo um manicômio regido por freiras; no terceiro um covil de bruxas; no quarto um show de horrores de circo; no quinto um famoso hotel onde coisas terríveis acontecem; no sexto, criado num estilo documental, um famoso folclore americano entra em cena; no sétimo, o mais político de todos, um culto aterroriza residentes de uma pacata vizinhança após a eleição de Donald Trump; o oitavo possui ligações com duas temporadas anteriores, e mostra uma realidade apocalíptica trazida pela guerra nuclear. Agora se você como eu é fã de tudo relacionado aos anos 80 e também os filmes de terror slasher, a temporada 9 do programa é especialmente para você. Intitulada 1984, a temporada é uma grande homenagem aos filmes de assassinos em acampamentos, como Sexta-Feira 13 e Chamas da Morte, e brinca muito com os clichês do gênero sem esquecer o medo. Como se isso não bastasse, o programa traz nomes como Jessica Lange, Kathy Bates, Angela Bassett, Sarah Paulson, Emma Roberts e até mesmo Lady Gaga desfilando pelas temporadas. Comece já a maratonar.

Comentários

Não deixe de assistir: