Johnny Depp alegou que está sendo boicotado por Hollywood. Em entrevista ao Sunday Times para promover seu novo filme, ‘Minamata‘, o ator disse que sua imagem pública está atrapalhando o lançamento do filme nos cinemas dos Estados Unidos.

O longa é centrado na negligência da Chisso Corporation em despejar resíduos de mercúrio nas cidades costeiras do Japão, causando uma onda de infecções e mortes que atingiu a população local pela ingestão de peixe. Na produção, Depp dá vida a Eugene Smith, famoso fotojornalista que se desconectou do mundo – mas resolveu aceitar uma última missão do editor da revista Life (Bill Nighy). Ele é acompanhado por um tradutor japonês e encorajado por um habitante local (Hiroyuki Sanada) a ajudar a expor décadas de negligência da corporação.

O ator revelou que “olhou nos olhos dos executivos de hollywood” e disse que o filme mostraria as verdadeiras tragédias que aconteceram, mas o filme foi boicotado por sua causa.

“Alguns filmes tocam as pessoas. É o caso do que aconteceu em Minamata e com pessoas que passam por coisas semelhantes. Mas antes de pensarem nisso, eles valorizaram mais o boicote que Hollywood promoveu para mim. Um homem, um ator em uma situação desagradável e complicada, nos últimos anos”, afirmou.



O diretor Andrew Levitas já havia enviado uma carta de reclamação aos estúdios da MGM e outros para protestar contra a decisão de “enterrar” o filme Minamata após os escândalos e as alegações de abuso doméstico de Depp.

Jun KunimuraRyo KaseTadanobu AsanoAkiko Iwase também fazem parte do elenco.

Aproveite para assistir:

O longa foi adquirido no terceiro trimestre do ano passado pela MGM. A ideia era lançá-lo nos cinemas e em Video On Demand em fevereiro de 2021, mas os planos não se concretizaram. O acordo foi feito enquanto Depp enfrentava sua ex-esposa Amber Heard nos tribunais, defendendo-se de acusações de abuso físico e verbal, como parte das notícias publicadas pelo tabloide inglês The Sun – que o ator eventualmente perdeu. Pouco depois, Depp anunciou que a Warner Bros. pediu que ele abandonasse o papel de Grindelwald na franquia Animais Fantásticos e Onde Habitam, sendo substituído por Mads Mikkelsen.

Levitas escreveu que o diretor de aquisições da MGMSam Wollman, em virtude de todos os acontecimentos, não iria mais promover Minamata e que a companhia “decidiu enterrar o filme”. Levitas, dessa forma, enviou a carta não apenas à MGM, mas também à Fundação Eugene Smith de apoio aos realizadores cinematográficos e à Fundação Minamata.



Ele também exigiu que a MGM reconsiderasse e acredita que o estúdio não está dando importância o bastante para o tema retratado no longa, que expõe a indiferença e os erros de uma corporação multimilionária.

Leia a carta na íntegra aqui!

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: