O versão live-action de ‘Mulan‘ ganhou novas imagens dos bastidores, divulgadas pela atriz Ming-Na Wen.

A estrela de origem chinesa é conhecida por ter dublado a personagem homônima na animação original da Disney há 20 anos atrás e foi chamada para uma participação especial do novo longa, após o forte endosso dos fãs do clássico.

E para celebrar sua histórica aparição após mais de 20 anos, Wen compartilhou imagens dos bastidores das filmagens.

Confira:

Aproveite para assistir:

“Filmando este Mulan em 2018. O Mulan em animação foi lançado em 1998. 20 anos! Eu pude compartilhar um momento muito especial com a minha garotinha. Uma experiência de vida sem preço. Obrigado a todos que ajudaram isso a acontecer. Obrigado a todos os fãs de Mulan que quiseram isso, quando o filme foi anunciado pela primeira vez. Eu amo vocês. Que jornada incrível com essa amada princesa guerreira da Disney. Assistam esse belo e épico Mulan no Disney+. O elenco é incrível e Niki Caro o trouxe à vida da maneira mais bela, mágica e cheia de ação possível!”. 

Polêmica

Após a estreia na Disney+, a adaptação voltou a sofrer ameaças de boicotes por parte de alguns fãs e críticos, porque os créditos finais mostram agradecimentos ao Partido Comunista Chinês.

Para quem não sabe, muitas das cenas de ‘Mulan‘ foram gravadas em Xinjiang, o epicentro da violação dos direitos humanos pelo regime chinês.

A região abriga diversos grupos de minorias étnicas, como os uigures-turcos, que sofrem ataques de Xenofobia e são levados à força para campos de detenção em condições severas.


Para piorar, as autoridades de Xinjiang são alvo de diversas denúncias internacionais por tratar seus habitantes de forma desumana, incluindo o trabalho escravo e fortes restrições religiosas e ideológicas.

Mesmo assim, a Disney insistiu em favorecer a economia local com as gravações do filme. Por conta disso, os agradecimentos ao governo chinês e às empresas de Xinjiang estão gerando revoltas na comunidade internacional.

Em uma extensa crítica feita ao estúdio, o jornalista Isaac Stone Fish, do Washington Post, disse que:

“Há um lado negro nessas paisagens [de Xinjiang]. A Disney aproveitou o cenário montanhoso e faz um agradecimento especial às instituições chinesas que ajudaram com o filme. Isso inclui quatro departamentos de propaganda do Partido Comunista Chinês e o Departamento de Segurança Pública da cidade de Turpan… Organizações que estão contribuindo com os crimes contra a humanidade.”

Ele continuou:

“A Disney precisava trabalhar em Xinjiang? Não, não era necessário. Existem muitas outras regiões da China e países ao redor do mundo que oferecem as belas paisagens apresentadas no filme. Mas, ao fazer isso, a Disney ajuda a normalizar um crime contra a humanidade.”

Joshua Wong, líder pró-democracia de Hong Kong, concedeu uma entrevista à Reuters e também criticou o estúdio, além de apoiar o boicote ao longa, dizendo:

“Por que a Disney simpatiza com Pequim e porque Liu Yifei apoia aberta e orgulhosamente a brutalidade policial em Hong Kong? Convido todos os que acreditam nos direitos humanos a boicotar ‘Mulan‘.”


Lembrando que ‘Mulan‘ chegou à Disney+ nos Estados Unidos e em outros países que já contam com a plataforma, além da exibição nos cinemas de nove mercados internacionais, garantindo um total de apenas US$5,9 milhões de bilheteria.

No entanto, a Disney não divulgou números de vendas do filme no streaming.


Na China, o longa será lançado em 11 de setembro.

No Brasil, ainda não há previsão de estreia.

A versão live-action é dirigida por Niki Caro e é estrelada pela chinesa Liu Yifei,também conhecida como Crystal Liu, uma das atrizes mais populares desta geração no país.

Donnie YenJet LiGong LiJason Scott LeeYoson AnSusana Tang e outros completam o elenco.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE