Em entrevista ao THR, o cineasta Alan Taylor revelou que sua experiência com o criticado blockbuster ‘O Exterminador do Futuro: Gênesis‘ o fez perder a vontade de dirigir filmes, afirmando que teve que “redescobrir sua paixão pela direção” após o projeto.

“Quando [minha namorada e artista Jane Wu] leu o roteiro, ela disse que eu devia fazer algo que eu amava, algo que fosse mais pessoal. E todas as vozes na minha cabeça, todos ao meu redor, estavam falando para eu dirigir o filme, pois quem não amava os dois primeiros? Eu pensei que poderia me juntar ao projeto, consertar o roteiro e tudo ficaria ótimo.”

Ele completa, “Eu perdi minha vontade de fazer filmes [após a recepção de ‘O Exterminador do Futuro: Gênesis’]. Eu perdi a vontade de viver como diretor. Não estou culpando ninguém por isso. Não foi um bom processo para mim, então eu tive que redescobri minha paixão em ser um cineasta após esse filme.”

Anteriormente, o roteirista Patrick Lussier revelou que a sequência de ‘Gênesis‘ mostraria a origem da Skynet e a história iria se afastar dos originais.



Laeta Kalogridis e eu escrevemos dois rascunhos para uma continuação direta e tínhamos um esboço para o terceiro. O último filme iria responder as perguntas que ficaram em aberto em ‘Gênesis‘. Pretendíamos conectar todas as pontas soltas e encerrar a franquia. Iríamos percorrer outro caminho. Seriam introduzidos novos personagens, que iriam explorar mais sobre o futuro, a origem da Skynet e tentar desvendar o ciclo da viagem no tempo. Esse seria o nosso foco… Iríamos deixar os eventos de ‘O Julgamento Final’ no passado para criarmos uma nova identidade para os filmes. Quem sabe a ideia não vire uma história em quadrinhos.”

E aí, você acha que seria uma boa ideia?

Aproveite para assistir:

Massacrado pelos críticos (apenas 27% de aprovação no Rotten Tomatoes), ‘O Exterminador do Futuro: Gênesis‘ decepcionou nas bilheterias, arrecadando apenas  US$ 440.6 milhões mundialmente, a partir de um orçamento de US$ 155 milhões.



COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: