No próximo dia 04 de maio, há exatos vinte anos, a sequência O Retorno da Múmia, segundo capítulo da adorada franquia estrelada por Brendan FraserRachel Weisz, chegava aos cinemas de todo o mundo e, apesar de ter sido criticada pelos especialistas, ainda tem um lugarzinho especial entre os fãs de filmes de aventura.

Lançada em 2001, o longa-metragem expandiu a mitologia explorada no filme de 1999 e introduziu diversos personagens novos, incluindo Meela Nais/Anck Su Namun (Patricia Velásquez) e o Escorpião Rei (Dwayne Johnson), além de trazer Arnold Vosloo em seu icônico papel como o antagonista Imhotep.

Para celebrar seu aniversário de duas décadas, o CinePOP separou uma breve lista com dez curiosidades de bastidores da produção.

Confira:



SUCESSO COMERCIAL

Apesar das críticas mistas, O Retorno da Múmia fez um estrondoso sucesso nas bilheterias mundiais, arrecadando US$435 milhões contra um orçamento de US$98 milhões. O feito inclusive rendeu mais uma sequência da saga principal, A Múmia: Tumba do Imperador Dragão’ e um spin-off centrado no personagem de Johnson.

TREINAMENTO INTENSIVO

Weisz e Velásquez, que interpretaram Evelyn O’Connell e Meela Nais, respectivamente, bem como as guerreiras egípcias Nefertiri e Anck Su Namun no passado, treinaram por cinco meses para as sequências de luta. As atrizes fizeram as cenas sem quaisquer dublês.



PERSONALIDADE IRREPARÁVEL

Apesar dos personagens Rick e Evelyn crescerem e amadurecerem consideravelmente no segundo filme, principalmente após o casamento e o nascimento de Alex (Freddie Boath), o diretor Stephen Sommers queria deixar claro que Jonathan (John Hannah) não aprendera absolutamente nada da primeira aventura.

FÃ DE CARTEIRINHA

Aproveite para assistir:



Boath era um grande fã de A Múmia, tendo assistido ao filme mais de 30 vezes. Ele recusou a oportunidade de participar de ‘Harry Potter e a Pedra Filosofal’ para estrelar o segundo capítulo da franquia – e sabia tanto sobre o primeiro longa que serviu como uma espécie de consultor para a nova aventura.

CUIDADO: RISCO DE MORTE

Fraser fraturou um disco espinhal, uma costela e machucou os joelhos durante as filmagens do longa. Johnson, por sua vez, teve infecção alimentar e insolação, perdendo quase cinco quilos e dizendo que foi o “pior momento da minha vida”.

AQUELE QUE NÃO DEVE SER NOMEADO



Ardeth Bay (Oded Fehr) e a única pessoa no filme que se refere a Imhotep como “a Criatura”. Isso é explicado na novelização da obra, que declara que Ardeth, assim como todos os medjai, temem se referir a Imhotep pelo nome enquanto a múmia está em sua forma não-morta.

MÉTODO DOLOROSO

Para manter a suavidade do corpo, Vosloo tinha que raspar o corpo inteiro duas vezes por dia. Originalmente, ele tentou usar cera, mas não conseguiu suportar a dor.

CONTRATEMPOS

A Ponte da Torre estava fechada para permitir filmagens. Eles tinham permissão de fechá-la por apenas vinte minutos por vez, mas o tráfego resultante depois da primeira vez causou ameaças de prisão da Scotland Yeard e um tempo reduzido de fechamento de dez minutos.


ESPETÁCULO PÚBLICO

Penhascos extras foram digitalmente acrescentados à sequência do tsunami, para mascarar as centenas de espectadores que assistiam às filmagens.

SEQUÊNCIA RÁPIDA

A sequência é ambientada quase dez anos depois dos eventos de A Múmia, apesar dos filmes terem uma diferença de lançamento de apenas dois. Sommers brincou que resolveu fazer a franquia desse jeito porque “não queria trabalhar com bebês”.

Fonte: IMDb, ScreenRantMovieFone

Comentários

Não deixe de assistir:

🚨 INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE 🚨http://bit.ly/CinePOP_Inscreva