Recentemente aqui no CinePOP, criamos uma lista com os 10 melhores filmes da carreira do astro Tom Hanks – como forma de homenagear o ator diagnosticado com o coronavírus, mas que já passa bem. E não apenas isso, criamos também uma segunda lista, ranqueando todas as animações com que esteve envolvido, seja trabalhando na dublagem ou produção.

Tom Hanks | Ranqueamos os 10 Melhores Filmes da Carreira do Astro

Como toda homenagem a este grande ator, indicado 6 vezes ao Oscar, é pouca, continuamos com nossa celebração deste ícone perfeito e sem defeitos (tirando Matadores de Velhinhas e A Viagem, risos). Como na lista dos melhores filmes não entrou nenhuma de suas clássicas produções dos anos 1980 (o que por si só já é um crime), resolvemos fazer uma lista especial somente com seus primeiros filmes de comédia. Então vem relembrar estes verdadeiros clássicos da Sessão da Tarde.

Especial Tom Hanks | Melhores animações com o ator

Voluntários da Fuzarca (1985)

Se tem uma coisa boa saída desta comédia tipicamente oitentista, foi que Tom Hanks iniciou aqui durante as filmagens o relacionamento com a atriz Rita Wilson, e os dois estão casados até hoje. Na trama, Hanks vive um riquinho mulherengo, que após a formatura na universidade decide se tornar voluntário do Corpo da Paz e parte para a Tailândia ao lado de dois colegas – vividos por Wilson e o saudoso John Candy.

O Homem do Sapato Vermelho (1985)

Aproveite para assistir:

No mesmo ano Hanks lançava esta comédia onde interpreta um homem comum confundido e caçado por agentes da CIA. Quase uma paródia dos filmes de espionagem de Alfred Hitchcock, o longa é na verdade um remake do filme francês Loiro Alto do Sapato Preto (1972). No elenco, Carrie Fisher e Lori Singer (Footloose).

É Difícil Dizer Adeus (1986)

Esta não é uma comédia, mas sim um drama de guerra e um romance. No filme, Hanks interpreta um piloto da Segunda Guerra Mundial que se apaixona por uma jovem judia (papel de Cristina Marsillach). Eles dão início a uma paixão proibida, devido a suas conflituosas religiões. Este é um dos filmes mais desconhecidos da carreira do astro.

Nada em Comum (1986)

Dirigido por Garry Marshall (Uma Linda Mulher), esta comédia dramática traz uma guerra entre pai e filho. Tom Hanks vive um publicitário bem-sucedido que tem o mundo aos seus pés. Porém, sua vida muda de ponta-cabeça quando ele precisa lidar com o pai cabeça-dura (Jackie Gleason), após a separação com sua mãe.

Palco de Ilusões (1988)

Antes de ser sua mãe em Forrest Gump (com uma diferença de apenas 10 anos de idade entre os dois), Sally Field interpretou uma colega de Tom Hanks se aventurando na mesma área que ele. Antes da Maravilhosa Sra. Maisel, Hanks e Field se arriscavam no palco, tentando emplacar como comediantes stand-up neste filme com doses de drama e humor. Hanks vive homem que abandona a faculdade de medicina e Field é uma mãe/dona de casa, que tentam a sorte na nova carreira.

Dragnet – Desafiando o Perigo (1987)

Versão para o cinema da clássica série de TV da década de 1950, depois revivida no fim da década de 1960.  A série tinha como protagonista o icônico detetive Joe Friday, que narrava suas aventuras como nos melhores noir. No filme, Dan Aykroyd interpreta o sobrinho do Friday original, igualmente minucioso em seu combate ao crime. Hanks vive seu novo parceiro designado – um policial totalmente anos 1980, cujo comportamento irá conflitar com a atitude anos 1950 do protagonista.

Uma Dupla Quase Perfeita (1989)

Eu já havia comentado sobre este longa na matéria dos cachorros mais famosos do cinema. E se pensarmos que Tom Hanks protagonizou ao lado do babão Hooch apenas quatro anos antes de ganhar seu Oscar por Filadélfia, a coisa fica ainda mais curiosa. Mas fazer o que, a moda na época era colocar policiais ao lado de cães para desvendar seus casos – o ano veria ainda K-9: Um policial bom pra Cachorro, com James Belushi.

Splash – Uma Sereia em Minha Vida (1984)

Este é o filme pelo qual muitos esperam uma refilmagem – ou quem sabe uma continuação. Mas definitivamente marcou época como um dos maiores clássicos cult dos 80s. Antes de Voluntários da Fuzarca, Tom Hanks e John Candy já faziam dupla como irmãos aqui. Hanks termina conhecendo e se apaixonando por uma mulher misteriosa – que se revela na verdade uma sereia, nas formas da estonteante Daryl Hannah (mais bela impossível no auge de sua forma física).

Meus Vizinhos São um Terror (1989)

Todos tem seu filme preferido de Tom Hanks dos anos 1980. Este é o meu. Por mais que muitos da lista sejam divertidos, perdi a conta das vezes que dei gargalhadas durante a infância com este longa que mistura comédia com terror de mentirinha – e um clima bem fúnebre. A verdade é que não consegui dormir direito na primeira vez que o assisti. Na trama, Hanks vive o típico morador dos calmos e tranquilos subúrbios americanos. Isto é, apesar da dor de cabeça que alguns vizinhos causam. Mas nada os prepararia para a chegada dos macabros Klopek, uma família que deixaria os Addams no chinelo.

A Última Festa de Solteiro (1984)

Tudo de mais incorreto você pode encontrar nesta comédia escrachada e jovem, tipicamente saída da década de 1980. No filme, Hanks vive um noivo pronto para casar com sua rica pretendente. Vindos de mundos diferentes, a família dela e os amigos odeiam seu escolhido. Já o noivo, vira alvo de uma despedida de solteiro que seus amigos inconsequentes preparam para ele – e será em grande estilo, com direito a reserva em hotel, muita bebida e prostitutas.

 

Um Dia a Casa Cai (1986)

Produzido por Steven Spielberg, esta é uma comédia do gênero slapstick – conhecida como pastelão no Brasil -, com direito a muitos tombos, quedas e situações constrangedoras. O gênero não tem muita força nos dias de hoje, mas até os anos 1980 fazia muito sucesso. Na trama, Hanks e Shelley Long (no auge de sua popularidade devido ao seriado Cheers) vivem recém casados que compram uma grande casa para morar. O problema é que a propriedade precisa ser reformada de cima a baixo e a dupla viverá um verdadeiro entrave até conseguir morar no local. Com a moda dos realities de reformas de casa, bem que Um Dia a Casa Cai poderia ganhar uma sequência ou um remake.

Quero Ser Grande (1988)

E se Forrest Gump é o filme mais querido de Tom Hanks de toda a sua filmografia, este posto nos anos 1980 fica com Quero Ser Grande. Um detalhe que nem todos sabem, é que antes da tão comentada indicação ao Oscar por Filadélfia, o ator havia sido nomeado pela Academia pela primeira vez aqui com esse filme aqui. O que é muito surpreendente, já que o Oscar não costuma indicar atuações de comédia. Além desta, o filme também recebeu a nomeação de melhor roteiro. Pudera, bastante influente até hoje, o filme segue fazendo escola, sendo em versões femininas (De Repente 30) ou em produções de super-heróis (Shazam!). Na trama, um menino faz um pedido para uma máquina num parque e se torna um adulto, nas formas de Tom Hanks.

Bônus:

Noivas em Perigo (1980)

Tom Hanks já fez de tudo, só falta um filme de terror em seu currículo, certo? Errado! Sua estreia no cinema foi justamente no gênero, como parte do elenco deste filme sobre um assassino de noivas. Agora sabemos de onde a Globo e Miguel Falabella tiraram a ideia para a série Noivas de Copacabana (1992). A história segue uma noiva e seus amigos sendo aterrorizados por um psicopata que só mata mulheres que vão se casar e as pessoas em volta dela. Investigando tudo está um policial linha dura que teve a noiva assassinada e agora caça o maníaco. Já queremos uma refilmagem ou continuação para ontem!

Comentários

15 Séries da Netflix Para Maratonar

15 Séries da Globoplay Para Você Maratonar

15 Séries da Amazon Prime Para Maratonar neste mês

10 reality shows insanos pra você que amou The Circle e Casamento às Cegas

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE