Na semana passada, surgiram alguns relatos de que o Oscar não exigiria que os participantes ou presentes da premiação estivessem vacinados. No entanto, um novo relatório esclareceu que o caso não é exatamente esse, mas que apenas algumas pessoas vão sim precisar ser vacinadas para participar do evento.

O site Hollywood Reporter compartilhou informação de que a Academia exige que o público da premiação precise comprovar que tomaram a vacina para entrar no espetáculo, mas os artistas e apresentadores não precisarão fazer isso.

Embora o Oscar exija a prova de vacinação para todos, a Academia confiará e não cobrará os testes para aqueles que estão apresentando ou se apresentando no evento. Sim, esse movimento ainda está de acordo com os protocolos de segurança feitos pelo Departamento de Saúde de Los Angeles.

O Dolby Theatre, em Los Angeles, receberá 2.500 convidados quando o evento acontecer no dia 27 de março.



Aproveite para assistir:



Lembrando que alguns artistas ainda são contra a vacina da Covid-19. Como em 2020, logo no início da pandemia do Coronavírus, a atriz Evangeline Lilly foi duramente criticada por afirmar que a pandemia era uma invenção política para alienar a sociedade.

Meses depois, ela zombou de quem estava cumprindo o isolamento social e disse que o COVID-19 não passava de uma gripe comum.

E, desta vez, a estrela de ‘Homem-Formiga e a Vespa‘, apoiou um protesto anti-vacina nos EUA.


Em seu perfil do Instagram, ela compartilhou diversas fotos dos protestos contra a vacinação obrigatória, que aconteceram no último fim de semana, em Washington D.C.

Na legenda, ela escreveu:

“Eu estava em Washington DC neste fim de semana para apoiar a soberania corporal enquanto os caminhoneiros canadenses estavam se unindo ao comboio pacífico através do país em apoio à escolha de ser vacinado ou não. Acredito que ninguém deve ser forçado a injetar nada em seu corpo, contra sua vontade, sob ameaça de:

– Ataque violento
– Prisão ou detenção sem julgamento
– Perda de emprego
– Ficar sem abrigo
– Inanição
-Perda de escolaridade
– Alienação dos entes queridos
– Excomunhão da sociedade

Enfim, nada justifica ameaças. Este não é o caminho. Isso não é seguro. Isso não é saudável. Isto não é amor. Entendo que o mundo está com medo, mas não acredito que responder ao medo com força resolverá nossos problemas. Eu era pró escolha antes do COVID e ainda sou pró escolha hoje.”


Confira:

Lembrando que Lilly vai reprisar seu papel como Hope Pym/Vespa em ‘Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania‘, que tem estreia marcada para  28 de julho de 2023.

Em uma recente entrevista ao The Digital Fix, a atriz comentou um pouco sobre sua ansiedade em retornar ao papel na aguardada sequência.

“Nós terminamos de gravar no final de novembro e, acredito, de longe, que foi o mais difícil que nós dizemos. Foi o mais difícil. Foi o único que fizemos durante os lockdowns do COVID-19”, ela explicou. “Isso apenas acrescenta uma complicação incrível para fazer um filme. Adiciona muito estresse. E torna as coisas muito impessoais, porque você não consegue ver os rostos”.


Lilly continua: “sets de filmagens já são impessoais o bastante, há muito que acontece e é feito em pouco tempo, e o nível de intensidade é realmente muito alto. Então, foi uma experiência única fazer o filme com as medidas contra o COVID… Mas eu realmente acredito… O que nós fizemos, as coisas que gravamos, o material que conseguimos obter, acho que [o filme] é o melhor de todos até agora”.

Além de LillyPaul Rudd também reprisa seu papel como Scott Lang/Homem-Formiga, Michelle Pfeiffer retorna como Janet Van Dyne e Michael Douglas volta como Hank Pym. Kathryn Newton dará vida à nova versão de Cassie Lang, enquanto Bill Murray foi escalado em um misterioso papel.

Jonathan Majors também irá aparecer no longa-metragem como Kang, o Conquistador, principal antagonista da narrativa.

Para quem não conhece, Kang é um dos personagens mais complexos da Marvel por conta de suas inúmeras identidades ao longo dos anos em que ele enfrentou os heróis da editora.

Descrito como descendente de Reed Richards, Nathaniel Richards nasceu no século 30 e teve acesso a uma máquina do tempo, que lhe permitiu percorrer diferentes eras da humanidade assumindo diferentes identidades na tentativa de se tornar um governante supremo.


Por conta de suas atividades, o Quarteto Fantástico percebeu sua interferência no espaço-tempo e eles se tornaram grandes inimigos a partir daí, o que levou a uma série de eventos catastróficos na história.

Ainda não se sabe como o personagem será adaptado, então sua origem pode ser alterada e outros elementos podem ser adicionados em relação ao seu verdadeiro eu.

Anteriormente, Rudd conversou com a Variety e não mediu as palavras ao elogiar o trabalho de Majors como o vilão.

“Eu amei tudo que Jonathan fez e o que está fazendo no nosso filme. Sua atuação me deixou nocauteado. É muito divertido trazer novas pessoas para o grupo, e o entusiasmo dele é algo muito perceptível.”


Juntos, os dois filmes da franquia renderam mais de US$ 1 bilhão à Marvel Studios.

Não deixe de assistir: