Tenha sido bom ou ruim, o ano de 2021 termina em algumas horas. Como de costume, o ano reservou diversos lançamentos relacionados ao mundo dos super-heróis. Nos streamings ou nos cinemas, foram dezenas de produções relacionadas ao fortões de roupa colorida. Mas, nesta matéria de hoje, vamos nos ater apenas aos filmes que chegaram aos cinemas ou aos streamings. Eles estão classificados dos piores aos melhores, então, como é uma lista opinativa, esteja livre para discordar respeitosamente. Confira!

10. Esquadrão Trovão

Lançado na Netflix, esse filme é uma bomba indefensável. Ele tenta se vender como paródia, mas como se leva a sério em muitos momentos, não consegue desenvolver nada além de uma vergonha alheia não proposital, até mesmo em cenas que deveriam causar riso pelo estranhamento. Na trama, duas amigas desenvolvem um tratamento que dá a elas poderes. Então, a dupla decide sair por aí combatendo vilões… Ou tentando.



 

9. Venom: Tempo de Carnificina

Continuando a saga de Venom e Eddie Brock (Tom Hardy), essa sequência foi simplesmente inexplicável. O humor, que funcionava no primeiro filme, perdeu completamente o timing, os personagens novos, incluindo o vilão, não acrescentam nada à mitologia do herói ou a própria trama, e a relação entre os protagonistas é digna de uma comédia romântica de filme B. Desta vez, Eddie acompanha o julgamento de um terrível psicopata. Porém, ele acaba criando acidentalmente um novo vilão, o Carnificina. Agora, ele precisará se entender com o Venom se quiser sobreviver e derrotar o monstrão.

Aproveite para assistir:

 

8. G.I. Joe Origens: Snake Eyes

Tentativa de reboot da franquia G.I. Joe, Snake Eyes foi um grande “meh”. A história focada no boneco ninja sofreu com um roteiro fraquíssimo que não soube explorar bem o passado do personagem, além de uma direção confusa que não soube trabalhar as cenas de ação. Uma pena, porque o Henry Golding claramente deu a vida como o protagonista, mas não tinha como salvar quando roteiro e direção foram tão mal assim. A história aqui gira em torno de um ninja solitário, que salva vidas e descobre uma nova motivação no Japão.



 

7. Viúva Negra

Lançado com uns seis anos de atraso, o filme solo da Viúva Negra conseguiu transformar a Natasha Romanoff (Scarlett Johansson) na coadjuvante de sua própria história. Transformando esse longa em uma passagem de bastão em vez de um filme de origem. E estaria tudo bem, se o filme fosse bom. Mas este não é o caso. Com um roteiro chato, efeitos especiais terríveis e um vilão pouco inspirado, o filme termina com a sensação de que vimos 2h da história de origem do colete verde que a personagem usou em Guerra Infinita. Nessa aventura Marvel, a Viúva Negra está foragida da lei, precisando se unir com sua antiga família para derrotar um vilão misterioso.

 

6. Liga da Justiça de Zack Snyder

Lançado depois de muita expectativa por conta da campanha dos fãs, a Liga do Zack Snyder foi feita 100% do jeito que o diretor queria, mas estruturalmente era o mesmo filme de 2017, com exceção de um desenvolvimento maior do Ciborgue (Ray Fisher) e mais um caminhão de cenas que não acrescentam tanto à trama, fazendo das 4h de duração uma eternidade. Neste filme, o vilão Darkseid quer pegar as Caixas Maternas. Para isso, ele manda o Lobo da Estepe para enfrentar os heróis da Terra e conseguir os artefatos. Só que ele não contava com os super-heróis unidos.

 

5. Eternos

Assim como a Liga, Eternos chegou sob forte expectativa por conta de sua direção. Aqui, no caso, o nome de peso era Chloé Zhao, vencedora do Oscar de Melhor Direção. Só que a história mais paradona e sóbria acabou não agradando a todos com sua paleta de cores quentes e trama mitológica. Isso porque o filme fala dos Celestiais e de sua criação, os Eternos, seres poderosos enviados para a Terra há séculos para defender os humanos dos Deviantes.



 

4. Flora & Ulysses 

Baseado em um livro juvenil, esse filme do Disney+ passou despercebido para muita gente. O que é uma pena, porque a história da fã de quadrinhos metida que encontra um esquilo com poderes especiais é uma aventura de mão cheia, além de conseguir capturar bem demais a essência das histórias em quadrinhos.

3. Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis

A história do filho do Mandarim, que escapou das garras do pai para viver sua própria vida, mas acabou precisando se unir a ele para, por meio das artes marciais, convencê-lo a mudar de ideia sobre uma ideia insana é simplesmente incrível. Além de contar com o carisma e a química absurda entre Simu Liu e Awkwafina, o filme conta com efeitos excelentes, uma história redondinha e a melhor coreografia de lutas de todo o MCU.

 

2. O Esquadrão Suicida

Dirigido por James Gunn, esse filme é um quadrinho que ganhou vida. Repleto de diálogos, situações e passagens saídas diretamente do formatos das HQs para as telonas, a história do grupo de vilões mandado para uma missão suicida em uma ilha da América do Sul, que precisa se entender para sobreviver e derrotar a ameaça é simples, mas eficaz e muito bem contada. O uso da violência gráfica e de momentos escatológicos também dá uma atração a mais para essa aventura épica da DC.


 

1. Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa

No topo da lista, a aventura definitiva do maior herói da Marvel foi imbatível. Lançado há pouco mais de duas semanas, o filme já repercutiu tanto que parece estar em cartaz há meses. Capturando com maestria a essência do Homem-Aranha, esse longa desenvolve o Peter Parker de Tom Holland com muito amor e fidelidade ao material original, trazendo junto vilões de outras franquias do herói. É um verdadeiro evento para qualquer um que ame o personagem ou já tenha lido uma HQ na vida.

E aí, qual o seu favorito? Concorda com a lista? Monte a sua lista nos comentários!

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: