Longe dos escândalos e engajada na Sétima arte, Sandra Bullock assim mantém a sua carreira, de maneira bastante sóbria (e sólida). Diante do panorama da cultura da mídia, a atriz consegue sobressaltar-se não por surgir das revistas como uma celebridade: Bullock assume-se atriz, não uma celebridade, afinal, em tempos de You tube e outros meios do suporte internet, qualquer um pode denomina-se ator/atriz/cantor/cantora e modelo, mesmo que a falta de talento seja gritante.

Sandra Bullock nasceu em Arlington, Virginia. A veia artística na família Bullock já está na segunda geração. A mãe de Sandra, a alemã Helga, era uma cantora de ópera. Graças a essa carreira materna, Sandra, que é a mais velha de duas irmãs, passou boa parte de sua infância em viagens pela Europa, onde adquiriu a segunda língua, alemã, idioma que domina fluentemente.


Na TV, conseguiu manter-se em evidência na carreira até chegar ao cinema na comédia romântica Poção do Amor N.º 9 (1992). Se o filme não era tudo isso, pelo menos rendeu à atriz um romance com o ator Tate Donovan, que durou três anos. Sem nada muito substancial no currículo, Sandra ainda precisava correr de um teste para outro para manter-se em evidência no cinema – e aí quantidade até valia mais que qualidade.

Aproveite para assistir:

Em 1993, atuou em pelo menos cinco filmes, inclusive substituindo Lori Petty na ficção científica O Demolidor, como uma policial do século 21 que faz o par romântico do astro Sylvester Stallone.

Realizou outros filmes pequenos antes de fazer sucesso, como O Silêncio do Lago, Carrascos, Agitando em 57, Recordações, As Armadilhas do Amor, Quando a Festa Acabar, Eu e a Máfia, O Desafio Final, Dinheiro Não é Meu Negócio, Assassinato no Central Park e Poção do Amor n° 09, alguns lançados em dvd de forma aproveitadora recentemente, porém, em suma, todos de qualidade estética ruim, mostrando uma Sandra ainda não preparada profissionalmente.

O filme Inferno Selvagem vai ser um dos capítulos do livro Olhares estrangeiros: o Brasil na mira dos estereótipos, futuro lançamento de pesquisa no Instituto de Letras, na Universidade Federal da Bahia. Ao lado de séries como Sex and the City e Os Simpsons, e filmes como Turistas, Anaconda e outros, Inferno Selvagem representa um do títulos selecionados para exemplificar os estereótipos de Brasil encontrados nos filmes estrangeiros, em especial norte americanos e europeus.

Com carreira alçada alavancada desde o sucesso de bilheteria (e crítica) de Velocidade Máxima (Speed, 1994), a atriz, que substituiu Halle Barrey no papel de Anie Potter, não mais parou, emplacando um sucesso após o outro. Em Velocidade Máxima, que já se tornou um clássico da Sessão da Tarde na Rede Globo, Sandra interpreta Anie Potter, passageira que vai precisar tomar a direção do ônibus durante um ataque terrorista. Vencedor do Oscar em categorias ténicas, Velocidade Máxima não é somente um marco no modo de se fazer filmes de ação, mas tornou-se o canal de Sandra Bullock para o primeiro escalão do cinema hollywoodiano: logo depois, a atriz arrasou em A Rede (The Net, 1995), Tempo de Matar (A Time to Kill, 1995) e Enquanto Você Dormia (When You Sleeped, 1995).

Nesse meio tempo, Sandra atuou num filme que se tornaria metonímia de sua carreira durante muitos anos: em Corações Roubados, Frank O’Brien, um ladrão insignificante, e sua namorada, Roz (Sandra, mediana), decidem dar um fim às suas instáveis vidas e decidem fazer um último trabalho, que envolve roubar uma pintura valiosa. Com recepção e crítica morna, o filme foi relegado ao ostracismo, sem lançamento oficial (ainda) em DVD.

Em A Rede, Angela Bennett é uma solitária engenheira de software que trabalha em casa. Quando decide tirar suas primeiras férias em anos, quase é assassinada e descobre que todos os seus registros foram apagados. Busca então desenfreadamente reaver sua existência perante o mundo. O filme foi sucesso de crítica e bilheteria, assim como Enquanto Você Dormia. Nesta deliciosa comédia romântica, Sandra interpreta Lucy, solitária bilheteira que salva um homem de ser atropelado por um trem. É confundida como a noiva do rapaz, que está desacordado, e mantém a farsa para a família deste até que realmente se apaixona. Fechando este ciclo antes do fiasco em Velocidade Máxima 2, Sandra participa por insistência do diretor Joel Schumacher do longa Tempo de Matar. No filme, um jovem advogado e sua assistente defendem um homem negro acusado de assassinar dois homens que estupraram sua filha de 10 anos, incitando o renascimento da Ku Klux Klan. Sandra Bullock faz a assistente do advogado, Ellen, que vai colaborar com a solução final da trama. O filme é uma adaptação da obra literária de John Grisman. No amor e Na Guerra foi outro filme mediano, lançado, e logo esquecido. Nele, a atriz personifica uma enfermeira.


Tudo andava muito bem até a chegada de Velocidade Máxima 2 aos cinemas. O filme, que abocanhou quase todos os Framboesas de Ouro (premiação antagônica ao Oscar, o prêmio maior para os piores do ano), levando Sandra a um período de total reflexão, resultando em alguns meses distante das câmeras.

Ao lado do cartaz de Velocidade Máxima 2, temos 28 Dias e Forças do Destino, dois filmes lançados alguns anos após o fracasso da continuação do sucesso de 1994: ambos apresentam uma Sandra Bullock irritante e insossa. Em 28 Dias, Sandra é Gwen Cummings, uma competente jornalista de Nova Iorque. Durante a cerimônia de casamento de sua irmã Lily, embebeda-se e apronta um escândalo, causa um acidente ao dirigir a limusine dos noivos e acaba condenada por um tribunal a passar 28 dias em um centro de reabilitação de alcoólatras. Uma vez na clínica, passa a obedecer regulamentos rígidos e estranhos rituais, como cantar e entoar palavras de ordem de mãos dadas com outros pacientes e, falar de seus sentimentos. Com Forças do Destino, Ben (Afleck) tem dois dias para ir de Nova York até Savannah, na Georgia, para seu casamento com Bridget. Conservador e sensato, ele acredita que tem tudo sob controle. De repente, uma série de incríveis obstáculos ameaça afastá-lo de seu juramento: um acidente de avião, um furacão em Savannah e a maior de todas as forças naturais – uma garota extrovertida chamada Sarah. Chatinhos e previsíveis.

Vale ressaltar que este especial não segue a linha cronológica exata dos filmes, buscando ir e vir sempre dentro da trajetória de sucessos e insucessos da atriz.

O fiasco (de Velocidade Máxima 2) deu à Sandra o estímulo para assumir as rédeas de sua vida profissional, criando sua própria produtora, a Fortis’ Films, e produzindo o romance Quando o Amor Acontece – um sucesso modesto dirigido pelo também ator Forest Whitaker, que restaurou o brilho da golden girl. Sandra debutou como roteirista e diretora no curta Making Sandwiches, apresentado no Festival de Cinema de Sundance.


Até alcançar o sucesso absoluto em 2000, com o lançamento do ótimo Miss Simpatia (Miss Congeniallity), amargou mais dois filmes bem roteirizados, mas fracassos de biilheteria: o primeiro, Um Tira a Beira da Neurose, Sandra é coadjuvante da história de um Agente secreto do departamento antidrogas americano entra em um colapso nervoso, mas precisa realizar uma última missão antes de se aposentar. Em Da Magia à Sedução, Bullock vai receber a ajuda da competente Nicole Kidman. Na trama, Duas jovens bruxas carregam o fardo de uma maldição imposta pela mãe à família, depois de ter o coração partido por um amante: todos os homens por quem seus descendentes se apaixonassem deveriam morrer. Assim, quando um dos pretendentes de Gillian morre, Sally, sua irmã mais certinha, deve ajudá-la com os problemas com a polícia. Apesar de bonitinho, ainda não seria a recuperação ideal para uma carreira arranhada.


Anos 2000. Sandra Bullock se torna uma das sensações das bilheterias e críticas. É lançado Miss Simpatia. Eis a trama: durante toda sua vida Gracie Hart sonhou em seguir os passos de sua mãe, Emily, uma dedicada agente do FBI que morreu em serviço. Porém, o temperamento agressivo de Gracie sempre lhe trouxe problemas no FBI. Quando chega ao bureau a informação de que um grupo terrorista pretende explodir uma bomba durante o concurso de Miss Estados Unidos, logo se decide infiltrar uma agente no concurso, para poder acompanhar de perto os passos dos terroristas. Infelizmente, a única agente disponível é exatamente Gracie Hart, que não gosta nem um pouco da história de ter que se tornar uma miss de uma hora para outra.

Com o sucesso de Miss Simpatia, Sandra emplacaria mais duas boas atuações e bilheterias, respectivamente. Em Divinos Segredos, um grupo de amigas, quando adolescentes, formam uma irmandade, que chamam de ‘Ya-Ya’. Elas crescem de acordo com as normas da irmandade e acabam se tornando inseparáveis por toda a vida. Três etapas das vidas dessas garotas são retratadas: rapidamente quando são adolescentes e fundam a irmandade; quando são adultas e encaram o casamento (entre outros assuntos); e quando são idosas, quando uma delas, Viviane, interpretada por Burstyn, briga com sua filha, interpretada por Bullock, por causa de um mal-entendido bobo. Em Cálculo Mortal, dois estudantes planejam e executam um homicídio “perfeito”, quando começam um jogo intelectual com a detetive que está investigando o caso. O filme é uma versão contemporânea de Festim Diabólico, do mestre Alfred Hitchcock.

Três filmes, três épocas. O primeiro, Amor à Segunda Vista, George Wade é um milionário que utiliza sua assistente Lucy, formada em Havard e cheia de ambições, apenas para coisas fúteis. Quando Lucy pede as contas, decidida a dar o próximo passo em sua carreira profissional, Wade fica na difícil situação de ter de se virar sozinho. É justamente quando ele sente essa falta de Lucy que entra a parte romântica do filme, onde o antes potente Wade se torna um frágil homem que precisa de sua assistente para se manter firme, não apenas profissionalmente falando. O filme mostra que Sandra rende em em boas parcerias.

Em 2006, a atriz voltaria a atuar com Keanu Reeves, no maravilhoso A Casa do Lago: no romance, uma médica solitária, outrora habitante de uma rara casa localizada ao lado de um lago, começa a trocar cartas de amor com o mais novo residente do lugar, um arquiteto frustrado. Descobrem estar separados no tempo por dois anos. Terão então que resolver o mistério por trás desse extraordinário romance antes que seja tarde demais. A produção é refilmagem do coreano chamado ‘Siworae’.


Em 2009, Sandra Bullock mostra-se absoluta nas indicações à prêmios, protagonizando o excelente A Proposta: a trama narra o drama de uma poderosíssima editora de livros, Margaret Tate, que se vê diante da deportação para o seu país de origem, o Canadá, a executiva de raciocínio rápido declara que na verdade está noiva de seu desprevenido e injustiçado assistente Andrew, que ela atormenta há anos. Ele concorda em participar da farsa, mas com algumas condições. O casal viaja para o Alasca para conhecer a excêntrica família dele e a “garota-da- cidade-sempre-no-controle” se vê em diferentes situações cômicas. Com o casamento improvisado sendo organizado e o oficial de imigração atrás deles, Margaret e Andrew relutantemente seguem seu plano, apesar das consequências.

O sucesso de A Proposta e Um Sonho Possível (The Blind Side, inédito aqui no Brasil) fez com que a crítica e os fãs (talvez) nem tenham percebido o bobo e politicamente incorreto Maluca Paixão, lançado direto em DVD aqui no Brasil: na trama, uma viciada em palavras cruzadas se apaixona por um cameraman da CNN. Totalmente descartável.

Não dá para encerrar o especial (para entrar exclusivamente no tema de Um Sonho Possível, a melhor atuação da carreira da atriz) sem situar os seus melhores momentos e algumas produções igualmente importantes. Em Premonições, Sandra faz Linda Hanson, uma jovem dona de casa com uma vida aparentemente perfeita, até que um dia recebe a notícia de que seu marido morreu em um acidente de carro. Porém, ao acordar no dia seguinte, ela descobre que ele está são e salvo. Ela pensa ter sido um pesadelo, mas no outro dia, seu marido está morto novamente. É então, que ela percebe que está vivendo os dias fora de ordem, e enquanto tenta entender esse fenômeno que lhe aflige, ela descobre que sua vida não era tão perfeita quanto imaginava. Agora, Linda tem uma angustiante escolha a fazer: salvar a vida do marido e seu casamento, ou deixá-lo morrer e começar uma vida nova sem ele.


Sandra Bullock em seus três melhores momentos como atriz.

Além de fazer a voz de Mirian em O Príncipe do Egito, a atriz atua em Confidencial, belíssimo trabalho e apelo não comercial, onde o diretor narra sob outra ótica Truman Capote, um escritor e jornalista bastante famoso entre as celebridades. Quando lê uma reportagem no jornal sobre um assassinato coletivo numa pequena cidade no Sul dos EUA, resolve fazer uma investigação que, mais tarde, transforma-se em sua obra prima literária, o livro A Sangue Frio. Durante as investigações, Capote desenvolve uma amizade profunda com os assassinos, Perry Smith e Dick Hickock, enquanto os entrevista no corredor da morte. Baseado em livro de George Plimpton. No filme, Sandra faz a escritora Harper Lee, do já clássico .

Com Miss Simpatia 2 – Armada e Poderosa, temos um franco sucesso de bilheteria, mas nada memorável em quesitos ligados à atuação. Sandra Bullock também faria uma leve ponta em Obssessão (Loverboy, 2005). Em Crash – No Limite, além de pagar suas próprias passagens de avião para estar no Set de filmagens, a atriz foi super elogiada pela crítica no papel de Jean Cabot. No filme, um acidente de carro em Los Angeles provoca a colisão de várias raças. A cultura de cada um, seus julgamentos e crenças serão colocados agora em conflito, em uma sólida análise dos conflitos raciais nos Estados Unidos.

The Blind Side (Um Sonho Possível): auge do sucesso crítico e nas bilheterias

Michael Oher é um jovem adolescente negro, gordo, pobre e quase analfabeto que ganha uma bolsa de estudos de uma escola por causa de um único talento: sabe jogar futebol americano. Mas isso não impede que ele sofra todo tipo de preconceito. O único que lhe dá atenção é um garotinho também aluno da instituição. Michael fica amigo do menino, o que chama a atenção de sua mãe, Leigh Anne Touhy. Esta, por sua vez, acaba se sensibilizando com a história de Michael e vê nele um grande potencial não apenas como atleta, mas principalmente como ser humano. É a partir desse encontro que a vida de Michael Oher terá uma reviravolta surpreendente. História real contada no livro de John Lee Hancock, “The Blind Side: Evolution of a Game”.

O filme emociona pela atuação encorajadora dos atores, em especial, Sandra Bullock, que entrega a melhor atuação da sua carreira. Um Sonho Possível (The Blind Side) não é o melhor filme dela, sem sombra de dúvidas, portanto, é exatamente o que se espera de uma atriz madura e engajada. Um dos segredos do sucesso do filme – que tem previsão de estreia no Brasil em março de 2010, mas já foi conferido para elaboração desses especial – é que ele agrada a quase todo o tipo de público, principalmente ao americano médio e cristão (e sulista republicano ainda mais).

O “lado cego” referido no título original, tanto serve para identificar uma manobra praticada no futebol americano (no qual um jogador secundário protege o quarterback, que é o mais importante do time/família, papel de Big Mike em campo), quanto ao fato de que pessoas ricas e despreocupadas (e brancas), como Leigh Anne nunca prestarem atenção no que acontece no outro lado da cidade, nos guetos, nos bairros pobres, distraídas demais com suas frivolidades. Apesar de dramático, não possui ares de pieguice. Um belíssimo filme, que ganhará crítica exclusiva no CinePOP em breve.

Com ótimo humor, Sandra Bullock é a alegria de muitas premiações. Acima, imagem do recente premio de Críticos, onde a atriz dividiu o palco com a idola Meryl Streep, ambas consideradas as melhores por Drama (Sandra Bullock) e Comédia (Meryl Streep). As duas trocaram um beijaço, que está dando o que falar na ávida mídia.

Para construção deste especial, procuramos reavaliar alguns filmes da carreira da atriz. Foram selecionados 15 títulos aleatórios, citados no quadro ao lado. Na construção deste Especial, procuramos manter a postura imparcial, sem panos quentes: Sandra Bullock, atriz que chegou aos 45 anos em 2009 é detentora de sucessos e fracassos em sua carreira já respeitada. Pelo que tudo indica, será uma das indicadas ao Oscar 2010, por sua atuação compenetrada em Um Sonho Possível (The Blind Side).

Filmografia Sandra Bullock – 15 títulos
Nota
Poção do Amor nº 9
Regular
Velocidade Máxima
Ótimo
Enquanto Você Dormia
Ótimo
A Rede
Bom
Corações Roubados
Regular
Tempo de Matar
Ótimo
Velocidade Máxima 2
Ruim
No Amor e na Guerra
Regular
Da Magia à Sedução
Regular
Forças do Destino
Regular
Miss Simpatia
Ótimo
Crash – No Limite
Ótimo
Premonições
Bom
A Proposta
Bom
Um Sonho Possível
Ótimo

Por: Leonardo Campos

 

 

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE