Recentemente, trouxemos aqui no CinePOP uma matéria relembrando Uma Equipe Muito Especial, produção muito querida da década de 1990, que este ano está completando 30 anos de seu lançamento. A proposta do filme vai muito além de ser uma comédia dramática de entretenimento focada no baseball. O longa é importante devido à sua mensagem de empoderamento feminino, trazendo a mulher ao foco de sua narrativa numa história de sororidade e superação. Esse ano, Uma Equipe Muito Especial voltou à tona, não apenas por seu aniversário de trinta anos, mas também porque como forma de celebrar, a Amazon finalmente irá tirar do papel a tão aguardada nova versão da história, trazendo para jogo uma novidade: a representatividade racial, com jogadoras negras no elenco – elemento ausente do original.

Leia também: ‘Uma Equipe Muito Especial’ | Relembre o Clássico dos anos 90 que Completa 30 Anos e vai virar série na Amazon

Dirigido pela saudosa Penny Marshall, uma fã ávida do esporte, o filme nasceu de uma ideia da própria diretora após assistir a um documentário feito por um canal de TV sobre a criação e os primórdios da Liga Feminina de Baseball Americana. Protagonizado por grandes nomes como Geena Davis, Tom Hanks e Madonna, o filme narra a história das mulheres convocadas para substituir os homens durante a década de 1940. Era a época da Segunda Guerra Mundial, e os homens haviam sido alistados para lutar no conflito. E como o povo precisava de entretenimento nesse momento tão difícil, os dirigentes de famosos times trataram de escalar as mulheres (que não teriam a vida fácil dentro do esporte – sofrendo diversas humilhações) para jogar e fazer o baseball prosperar.

Uma Equipe Muito Especial’ faz 30 anos em 2022. O clássico querido só cresce em importância com o tempo.

O filme foi um sucesso de crítica e público, conseguindo se manter relevante após essas três décadas – permanecendo também nas mentes e corações dos fãs. Porém, nem sempre o que vemos em tela reflete seus bastidores e muitas vezes filmes queridos pelos fãs se mostram um verdadeiro pesadelo de bastidores para os seus realizadores. E Uma Equipe Muito Especial conta pelo menos com um elemento que fez a vida de todos ao redor mais difícil: a material girl Madonna. Notória bad girl da vida real, a estrela da música foi casada nos anos 80 com o problemático Sean Penn e com ele viveu um dos relacionamentos mais conturbados da época, que era um verdadeiro paraíso para os tabloides e paparazzo. Reza a lenda que durante um réveillon, Penn teria deixado a cantora amarrada com cordas chamando socorro. Os dois lançaram um filme juntos, Surpresa de Shanghai (1986), uma aventura cômica passada na década de 1930, que se tornou um fracasso retumbante e abalou ainda mais o relacionamento dos astros.


Então com 34 aninhos, Madonna foi uma presença, digamos, não muito positiva nos bastidores de Uma Equipe Muito Especial. Para começar, a musa pop foi o motivo da saída da protagonista originalmente planejada do projeto. Debra Winger, atriz que já tinha duas indicações ao Oscar (pelos dramas famosos A Força do Destino e Laços de Ternura), treinou baseball durante meses a fim de exibir uma performance convincente como Dottie. No entanto, assim que a Columbia (Sony) e a diretora Penny Marshall contrataram Madonna para o papel de Mae ‘All the Way’, a jogadora atrevida do grupo, Winger desistiu da produção. Segundo a atriz, a presença da cantora no filme tiraria a seriedade que ela achava que o longa merecia. De acordo com Winger, o estúdio estava atrás de uma “aventura com Elvis”, fazendo referência aos musicais leves e açucarados que o astro da música costumava protagonizar.

Então uma estrela badalada em Hollywood, e indicada a dois Oscar, Debra Winger desisitu do filme por causa de Madonna.

E realmente todos os críticos da época concordaram que a presença de Madonna no filme foi meramente uma manobra do estúdio para vender mais ingressos e encher os cinemas. Não por acaso, Madonna ainda escreveu e performou a música tema do filme, ‘This Used to be my Playground’, pela qual recebeu indicação ao Globo de Ouro.

Aproveite para assistir:



Mas não foi só Debra Winger quem se incomodou com a presença da diva pop no filme. É muito reportado que Madonna estava se sentindo miserável durante as filmagens do longa, já que teve que abandonar as badalações de cidades como Los Angeles e Nova York, e se enfiar no interior, no “meio do nada”, em cidades como Huntingburg e Evansville, ambas no Estado de Indiana. Apesar de parte do filme ter sido gravado também em Chicago. Em uma carta (ainda não existia WhatsApp) escrita a um amigo, o fotógrafo Steven Maisel, Madonna revelou seu estado mental durante as filmagens. Nas palavras da própria: “Eu não poderia sofrer mais do que eu sofri no último mês, aprendendo a jogar baseball com um bando de garotas (irgh) em Chicago (irgh duplo). Eu estou bronzeada, eu fico suja o dia inteiro e eu quase não tenho usado maquiagem. Laverne (se referindo à diretora Penny Marshall, que atuou como atriz na década de 1970 com o seriado Laverne & Shirley), Geena Davis é uma boneca Barbie, e quando Deus decidiu onde os homens bonitos iriam morar no mundo, Ele não escolheu Chicago. Eu fiz algumas amigas, mas elas são atletas e não atrizes. Elas não possuem nada de extravagante. Eu queria poder ir à Nova York”.

A material girl Madonna sentiu falta de seu estilo de vida durante as filmagens de ‘Uma Equipe Muito Especial’.

A carta tornada pública, mostra muito do sentimento da atriz e cantora em relação à produção, inclusive à diretora e à colega de elenco Geena Davis, que havia acabado de sair de uma indicação ao Oscar por Thelma & Louise (1991). Madonna havia saído do sucesso de Dick Tracy (1990), para o qual igualmente trabalhou na trilha sonora. Entre uma superprodução e outra, a estrela pop estreou o documentário Na Cama com Madonna (1991) e uma rápida participação no filme noir de Woody Allen, Neblina e Sombras (1991). No fim do mesmo ano de Uma Equipe Muito Especial, Madonna voltaria a ser ousada, com Corpo em Evidência, sua própria versão de Instinto Selvagem, repleta de sexo.


Ao se sentir pouco à vontade e alegre, Madonna trataria de fazer com que as pessoas ao seu redor se sentissem da mesma forma. Segundo relatos, na cidade de Evansville, Indiana, onde grande parte do filme foi rodado para as cenas dos jogos da World Series, Madonna teria sido tão desagradável e rude com os cidadãos, os funcionários do hotel e dos restaurantes, e outros locais, que sua reputação segue manchada por lá até hoje. E a estrela não esconde sua falta de apreço pelo local, falando mal da cidade em entrevistas.

Madonna não se preocupou em ser agradável com os fãs e a população das pequenas cidades durante os bastidores.

O ranço de Madonna não terminava por aí. Durante as filmagens dos jogos da World Series, os astros do filme revezavam para fazer shows a fim de entreter os figurantes, que nem mesmo recebiam cachês. Assim, Tom Hanks, que vive o técnico das meninas no filme, fazia apresentações de marionetes, enquanto Rosie O’Donnell se apresentava com seu show de stand-up comedy. Mas Madonna, no seu “bom humor” durante o período se recusava a se unir aos “mortais” e entreter as massas de graça. Assim, vários atores fingiram ser Madonna e cantaram suas músicas para os fãs, já que a verdadeira se recusou.

A humorista Rosie O’Donnell também é uma das figuras importantes em Uma Equipe Muito Especial. O filme marcou sua estreia no cinema e depois a comediante seguiria para longas famosos como Sintonia de Amor (1993), Uma Nova Tocaia (1993) e Os Flintstones – O Filme (1994), onde interpretaria Betty Rubble. Em Uma Equipe Muito Especial, O’Donnell vive Doris, a amiga da personagem de Madonna. De início, a personagem seria parecida com a da cantora, ou seja, uma mulher sexy e com menos tempo de tela. Quando O’Donnell foi contratada, sua personagem mudou e ganhou mais destaque.

Apesar da falta de simpatia, a cantora ganhou sua própria boneca do filme.

O estrelismo de Madonna ainda levaria a uma gozação do ator Jon Lovitz, que no filme interpreta o olheiro Ernie Capadino. Quando Lovitz soube que a material girl estava usando um nome falso para ficar hospedada no hotel designado pela produção, resolveu entrar na brincadeira e criar um nome ridículo também para os registros do estabelecimento. O nome escolhido pelo ator “Edna Poo-a-dee-doo”.

Tirando um pouco da má fama de Madonna durante a produção de Uma Equipe Muito Especial, está a amizade desenvolvida entre a estrela e a humorista Rosie O’Donnell. A comediante estava nervosa em conhecer a musa pop, mas as duas terminaram se entrosando de forma rápida e intensa. E se tem alguém nos bastidores do longa para falar bem da cantora, esse alguém é definitivamente Rosie O’Donnell. As duas continuam grandes amigas até hoje.


Madonna se dedicou muito e trabalhou tanto quanto as demais atrizes para atingir o seu melhor jogando baseball. E isso é um fato reconhecido pela equipe. Fora isso, a estrela ainda desenvolveu um forte sotaque Nova Yorkino para sua personagem no filme, embora seja originalmente nascida e criada no Michigan. Madonna destaca-se no filme entre outras coisas pelo visual menos chamativo de sua personagem, tentando ao máximo desglamourizar a imagem que todos possuem dela e centrar sua performance o mais próximo de uma contemporânea da década de 1940.

Não deixe de assistir: