Após o fim da primeira temporada de What If…?, a Marvel já garantiu que a série terá uma segunda temporada. Podendo aprender com os erros desse projeto original, tudo indica que a produção da segunda temporada será bem melhor, podendo entregar muitos episódios fantásticos. Pensando nisso, o CinePOP separou sete temas que poderiam render bons episódios, já contando com filmes e séries da Fase Quatro do estúdio. Confira!

E se… Gamora matasse o Thanos?

Prometido para a primeira temporada, o episódio da Gamora derrotando o Thanos acabou sendo apenas um referência dentro da trama dos Guardiões do Multiverso. Ou seja, não vimos como foi que ela matou o pai nem como foi todo o processo de planejamento, busca e luta. Além disso, tudo indica que esse episódio contaria ainda com Tony Stark indo parar em Sakaar, onde teria de lutar na arena de gladiadores para sobreviver. Seria incrível se realmente fizessem esse episódio.



E se… Thor tivesse acertado a cabeça?

Um dos momentos mais tensos de Vingadores: Guerra Infinita (2018) é quando o Thor arremessa seu machado em direção ao peito de Thanos. Ele consegue ferir gravemente o Titã, que escapa utilizando o poder das Joias do Infinito. Porém, e se o deus do trovão tivesse acertado a cabeça de Thanos, vencendo a guerra em Wakanda? As consequências disso abririam um leque incrível de possibilidades, a começar pela questão primordial: quem ficaria com as Joias do Infinito? Elas estariam soltas na Terra à disposição de qualquer um. Quem seria o novo portador? Seria o governo de Wakanda? Stark tentaria estudá-las? Ele faria uma armadura com ela? O Doutor Estranho reivindicaria a posse delas? E a Capitã Marvel? O governo americano tentaria invadir Wakanda? Talvez até mesmo uma nova Guerra Civil acontecesse nessa história. As possibilidades são muitas!

Aproveite para assistir:


E se… Yondu tivesse entregado o Peter para o Ego?

No universo de Guardiões da Galáxia, Ego, o Planeta Vivo engravidou uma jovem do Missouri e voltou para o espaço. Anos mais tarde, ele contrata Yondu para sequestrar seu filho da Terra e levá-lo para o espaço. Porém, ao saber as intenções do patrão, Yondu não entrega o pequeno Peter Quill para o pai e decide criá-lo como um dos Saqueadores. O tempo passa e o garoto se transforma no Senhor das Estrelas, o fora da lei mais famoso (ou quase) da galáxia. Ele até tenta convencer o filho a ajudá-lo no processe de conquista universal, mas Peter se recusa e acaba envolvido numa batalha mortal com o próprio pai. Mas e se Yondu não tivesse decidido ficar o garoto e só o entregasse direto para o Ego? Ver o Peter crescendo com a mentalidade de um celestial, usufruindo de seus poderes de manipulação de energia para se tornar um déspota espacial seria simplesmente único. Sair de um personagem bobão para um tirano com delírios de grandeza seria uma bola dentro da Marvel.



E se… Capitã Marvel se unisse ao Império Kree?

Nos cinemas, a Capitã Marvel se torna uma super-heroína depois de cair na Terra e descobrir que o Império Kree apagou sua memória para que ela não se lembrasse quem realmente era. Ao saber da verdade, ela se une aos Skrull e se rebela contra os Kree, derrotando vários deles e impedindo que seu projeto de domínio e expansão aumentasse. No entanto, seria interessante ver uma versão na qual ela descobre a verdade e em vez de tentar desmontar o sistema, ela decide assumir um posto de comando, tomando o Império Kree para si. Será que ela conseguiria mudar o modo do império agir? Ou ela se renderia ao dogmas Kree e se tornaria a arma mais poderosa do universo? De qualquer forma, seria interessante ver uma realidade na qual ela se descobriu mais Kree que Humana.

E se… Isaiah Bradley fosse reconhecido como herói?

Dono de um dos arcos mais sensíveis e brilhantes de Falcão e o Soldado Invernal, o veterano Isaiah Bradley fez parte de um grupo de soldados americanos negros que serviram de cobaia para testes de fórmulas experimentais de soros do supersoldado. A grande maioria morreu em decorrência das sequelas e efeitos colaterais das fórmulas corrompidas, mas Isaiah sobreviveu e atuou contra as forças do mal. Porém, o governo americano o encarou como uma prova viva de sua eugenia e racismo, então o manteve preso por anos, apagando o Capitão América Negro da história. Seria absolutamente fantástico imaginar uma linha do tempo em que Isaiah fosse reconhecido como um grande herói ainda em sua juventude, influenciando nas questões raciais que marcaram o desenvolvimento da sociedade americana, e mostrando como ter um símbolo desse tamanho atribuído a um homem negro poderia ter afetado a vida americana nos últimos 70 anos.

E se… Shang-Chi não tivesse fugido?

Parte importante da história do Shang-Chi é que ele fugiu de seu pai, Wenwu, quando tinha 14 anos, para não precisar fazer parte dos Dez Anéis e poder viver sua vida como bem entendesse. Isso causou um certo enfraquecimento do grupo terrorista, que perdeu um de seus melhores guerreiros. Além do mais, Wenwu estava preocupado demais com suas questões espirituais, o que acabou permitindo que os americanos roubassem o nome de seu grupo terrorista para seus propósitos imperialistas. Mas será que essa história seria diferente se pai e filho tivessem unido forças desde cedo para expandir os interesses dos Dez Anéis? Ou será que o próprio Shang-Chi teria derrotado o pai para tentar assumir o controle da organização? E como ficaria a questão do Homem de Ferro e do Mandarim falso? Trevor Slattery e Aldrich Killian teriam contado com a misericórdia de Shang-Chi? Poderia render um episódio bem interessante de intrigas internacionais e kung fu, os pilares da sociedade moderna.



E se… Eternos tivessem interferido?

Apesar de ainda não ter assistido ao filme, os trailers indicam que os Eternos chegaram à Terra na aurora da humanidade e vieram acompanhando o crescimento social aprendendo e ensinando algumas coisas para as pessoas sem efetivamente interferir em conflitos não causados por Deviantes. Só que os Eternos são praticamente deuses entre as pessoas. Se eles tivessem decidido interferir ao longo das décadas, toda a história humana seria diferente. Provavelmente as religiões do mundo seriam voltadas para eles, a sociedade seria tecnologicamente e socialmente mais evoluída, diversos acontecimentos marcantes não teriam ocorrido e provavelmente não seria necessária a existência de outros heróis, já que eles resolveriam tudo. Nesse contexto, imaginar o Universo Marvel sob essa perspectiva é repensar tudo que já foi feito e até mesmo flertar sobre como pode ser o futuro da humanidade com avanços tecnológicos e tudo mais. Seria uma opção arriscada do estúdio, mas com um potencial enorme.

E você? Que episódios gostaria de ver na segunda temporada de What If…? Diga nos comentários!

A primeira temporada de What If…? está disponível no Disney+.

Comentários

Não deixe de assistir: