Todos os anos dezenas de refilmagens, remakes e continuações movimentam a indústria cinematográfica norte-americana. Mas isso, você já sabe. Em breve, por exemplo, veremos a versão moderna de Steven Spielberg para o musical Amor sublime Amor (1961), de Jerome Robbins e Robert Wise. Já o ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrageiro 2021 Druk – Mais uma Rodada teve os direitos de refilmagem adquiridos por Leonardo DiCaprio no início deste ano.  

O que, talvez, você não esteja por dentro é que o cinema brasileiro também realiza várias refilmagens de sucessos dos nossos vizinhos latinos-americanos. Com a estreia da comédia romântica Amor Sem Medida (2021), na Netflix, uma refilmagem da argentina Coração de Leão – O Amor Não Tem Tamanho (2013), o CinePOP decidiu contar alguns detalhes desta e de outras versões brasileiras de origem estrangeira.

Se liga na lista abaixo e deixe nos comentários se você já assistiu alguma dessas versões ou os originais. 

Amor Sem Medida (2021)



Lançado nos cinemas brasileiros em junho de 2014, Coração de Leão – O Amor Não Tem Tamanho, com Guillermo Francella e Julieta Díaz não provocou o mesmo sucesso que no país vizinho, mas a ideia dos roteiristas Marcos Carnevale (também diretor) e Betina Blum parecia tão original que ganhou vários simpatizantes, como os franceses. Três anos depois, Jean Dujardin (ganhador do Oscar por O Artista) e Virginie Efira (Benedetta) estrelaram a mesma história, sem perder a graça, sob o nome de Um Amor à Altura (2016). 

Se deu certo tanto para argentinos quanto para os franceses, os brasileiros também vão adorar, certo? Assim pensaram os produtores brasileiros, mas ambos os filmes anteriores estrearam no Brasil, e o roteiro chega requentado à brasileira. Com Juliana Paes e Leandro Hassum como par romântico, Amor Sem Medida abusa da ideia criativa de uma bela advogada apaixonando-se por um cirurgião com nanismo numa trama recheada de clichês. 

Aproveite para assistir:

Dois + Dois (2021)

Os produtores brasileiros novamente se inspiraram em uma comédia argentina para trazer graça ao cinema nacional. Lançado em 2013 no Brasil, 2 Mais 2 (2012) traz novamente a musa portenha Julieta Díaz como uma das protagonistas de um divertido enredo sobre swing – ou o termo mais conhecido “troca de casais”. A versão dos hermanos é engraçada, sensual e simpática, tanto que agradou os alemães. 



Em 2016, a obra ganhou um remake para televisão germânica, Seitensprung mit Freunden (Caso com Amigos, em tradução livre). Já pelas mãos de Marcelo Saback, os brasileiros foram contemplados com uma enxurrada de piadas de duplo sentido com termos da língua portuguesa de cinco em cinco minutos. O elenco composto por Marcelo Serrado, Carol Castro, Marcelo Laham e Roberta Rodrigues não apresenta o entrosamento necessário para fazer as engrenagens do humor capcioso funcionarem. 

Não Se Aceitam Devoluções (2018)

Deixamos um pouco de lado os argentinos para beber na fonte mexicana. Com Eugenio Derbez e a pequena Loreto Peralta, Não Aceitamos Devoluções estreou nos cinemas brasileiros em 2014, após um estrondoso sucesso no país de origem. A história cômica e trágica do homem que um dia vê-se responsável por um bebê deixado à sua porta, mas seis anos depois a mãe biológica da menina tenta recuperá-la. 

Com tiradas divertidas do trabalho de dublê e reviravoltas novelescas, a produção logrou duas adaptações em 2016. Uma na Turquia, chamada Sen Benim HerSeyimsin (Você é meu tudo, em tradução livre), e outra na França, sob o título Uma Família de Dois e protagonizada por Omar Sy (ele mesmo, Assane da série Lupin). Ou seja, mais uma vez, o Brasil chegou por último para requentar a história, com Leandro Hassum e Manuela Kfuri, dois anos mais tarde. 

Um Namorado Para Minha Mulher (2016)

Queridinha das comédias românticas brasileiras, Julia Rezende (Depois a Louca Sou Eu) também não resistiu em recontar uma história dos nossos vizinhos argentinos à brasileira. Apresentado nas salas do Brasil em 2009, Um Namorado para Minha Esposa (2008), de Juan Taratuto, traz como protagonistas Valeria Bertuccelli e Adrián Suar (presente em 2 Mais 2 também), mas a versão brazuca os supera. 

Com o trio Caco Ciocler, Ingrid Guimarães e o saudoso Domingos Montagner, a diretora consegue trazer mais engenhosidade ao roteiro com uma mistura engraçada e trágica sobre a desintegração de um casamento e as trapalhadas de um marido desesperado. Dessa forma, vemos que nem todas as adaptações latinas são um tiro no pé. Quase esquecemos da existência da versão italiana desta história de 2014, chamada Un fidanzato per mia moglie, de Davide Marengo



Entre Lençóis (2007)

Dois jovens têm uma relação sensual de uma noite em um quarto de motel, onde trocam confidências sobre suas vidas conturbadas. Pouco a pouco, algumas verdades vêm à tona e mudam os rumos das expectativas do público. Com esta curta premissa, Na Cama (2005), dos chilenos Matías Bize e Julio Rojas, foi aclamado em diversos países. 

Dois anos depois, a ideia chilena foi retrabalhada por Renê Belmonte e Gustavo Nieto Roa e ganhou vida na pele de Reynaldo Gianecchini e Paola Oliveira. Muitas referências do primeiro filme ficaram para trás, empobrecendo o roteiro, mas o argumento seguiu inalterado. Argumento esse que foi adaptado em 2010, na Espanha, por Julio Medem, com duas mulheres, sob o título de Um Quarto em Roma

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: