O filme ‘Avatar‘ é, sem dúvidas, um dos mais esperados do ano. E por vários motivos: a volta de James Cameron (Titanic), os efeitos especiais que são propagados como “uma experiência única” e muito aquém do que um simples 3D, o orçamento exorbitante que chegou a quase 500 milhões de dólares e o tempo de demora na produção (quatro anos).


A história do filme se passa em 2154 aonde existe uma colônia chamada Pandora, habitada pelos Na’ vi, nativos azuis alienígenas. Devido o local ser rico em mineral, vários humanos já tentaram invadir o ambiente deles, mas para chegar perto é preciso criar um elo de confiança com a raça, o que ninguém nunca havia conseguido. Tudo muda com a chegada do ex-fuzileiro Jake Sully, que recebe a tarefa de se infiltrar em Pandora através de sua forma ‘Avatar‘ (corpo geneticamente mudado feito com seu DNA e dos nativos), pois esta era a missão de seu irmão gêmeo, que faleceu. Mesmo sem saber quase nada sobre a cultura dos Na’vi, e mesmo estando em cadeira de rodas, aceita este desafio.

Há meses, quando vi a prévia de 15 minutos junto a outros jornalistas, já tinha gostado do que tinha visto. E ontem, quando vi o longa, com mais de 2 horas de meia de duração no IMAX, vi que a prévia não era uma propaganda falsa.

Aproveite para assistir:

Avatar‘, literalmente, nos leva a outro mundo e a tecnologia do IMAX é capaz de causar vertigem nos que não estão acostumados. James Cameron (que também produziu e roteirizou) fez um trabalho visualmente perfeito e criativo. Não o suficiente pra ganhar o Oscar de Melhor Filme, mas nas categorias técnicas e de direção, sem dúvidas.

O ator Sam Worthington (do último O Exterminador do Futuro) interpreta Jake Sully e fez um trabalho competente. É possível acreditar de verdade que ele é paraplégico. Zöe Saldana (Star Trek) só aparece em sua forma ‘Avatar‘ (faz o papel da nativa Neytiri) e está muito bem também, principalmente quando fala no dialeto deles. Sigourney Weaver é a cientista Grace e é a que mais ficou parecida em ‘Avatar‘. O grande vilão do filme é o Coronel Miles, feito pelo ator Stephen Lang (Inimigos Públicos), que consegue te fazer sentir muito ódio com sua frieza e más intenções.

Avatar‘ é um filme bom, sim. Não o melhor do ano ou a melhor obra-prima já feita. A história prende a atenção e por mais que seja longo demais, o ritmo do filme não para nunca. Permite a quem assiste criar um “elo” (sem trocadilhos) com o filme que te prende até o êxtase final.

Já se fala em sequências… vamos ver, né? Dificilmente um sucesso se repete duas vezes. No caso do diretor, três vezes – já estourou em Titanic e vai estourar em ‘Avatar‘.

 


Crítica por:
Janis Lyn Almeida Alencar (Blog)


 

 

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE