A audiência da 78ª edição cerimônia do Globo de Ouro desabou neste ano, sendo assistida por 6,9 milhões de pessoas contra 18,3 milhões de espectadores do ano passado.

Motivos não faltam. Uma das premiações mais tradicionais de Hollywood também é uma das mais polêmicas. Ano após anos, indicações controversas jogam luz em um processo de seleção arcaico e baseado em poucos votos. Ao contrário da Academia do Oscar, que conta com quase 10 mil integrantes, a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA, na sigla em inglês), responsável pelo Globo de Ouro, possui um quadro com apenas 87 membros. Recentemente, um processo judicial e uma série de reportagens do Los Angeles Times colocaram em evidência um histórico de lobby e corrupção. A entidade, nos últimos anos, vem tomando atitudes para diminuir os casos de corrupção, mas exemplos recentes mostram que os bastidores da premiação seguem no mínimo controversos.

As polêmicas por trás do Globo de Ouro e sua associação são tantas que, ao longo dos anos, muitos dos apresentadores fizeram piadas com o pouco prestígio da cerimônia. Em 2011, o comediante Ricky Gervais destacou em seu monólogo de abertura: “O Globo de Ouro é igual ao Oscar, mas sem aquele prestígio. O Globo de Ouro está para o Oscar como a Kim Kardashian está para Kate Middleton.” Cinco anos depois, em 2016, Gervais atacou novamente: “Algumas publicações de Hollywood afirmaram que o fato de eu apresentar a cerimônia iria afastar algumas estrelas, como se alguma estrela fosse perder a chance de ganhar um Globo de Ouro, especialmente quando seu estúdio já pagou pelo prêmio.”

Pensando nisso, o CinePOP decidiu relembrar para vocês oito vezes em que indicações polêmicas deram o que falar na indústria do cinema e da televisão.



 

Emily in Paris (Globo de Ouro 2021)

Aproveite para assistir:

E nada como começar a nossa lista com o caso mais recente de lobby envolvendo a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood. Em setembro de 2019, nada menos que 30 integrantes da entidade foram convidados pela Paramount (produtora da série) para visitar as filmagens de Emily em Paris na França. Na ocasião, todos os integrantes ficaram em um hotel cinco estrelas, com tudo pago, e com direito a passeios exclusivos em alguns museus em Paris. Em 2021, a série acabou recebendo duas indicações, mesmo tendo dividido a opinião da crítica: Melhor Série Comédia/Musical e Melhor Atriz em Série Comédia/Musical (Lily Collins).

 



Burlesque (Globo de Ouro 2011)

Mesmo sendo um fracasso absoluto de público e crítica, Burlesque recebeu três indicações ao Globo de Ouro, incluindo Melhor Filme Comédia/Musical. Meses antes da premiação, a Sony levou vários membros da HFPA para assistir uma apresentação da Cher em Las Vegas, nos Estados Unidos. Todos ficaram hospedados em um badalado hotel com todas as despesas pagas. A Sony e a Associação justificaram o evento como sendo apenas uma junket internacional do filme, com os jornalistas sendo credenciados como parte de seus trabalhos regulares, sem vínculo com a premiação.

 

Pia Zadora (Globo de Ouro 1982)

Um dos maiores escândalos da história da premiação. A atriz Pia Zadora recebeu o Globo de Ouro de Revelação do Ano pelo trabalho no pouco comentado Butterfly. Ela superou atrizes como Kathleen Turner e Elizabeth McGovern. Para terem uma ideia do tamanho da polêmica, no mesmo ano Pia recebeu o Framboesa de Ouro de Pior Atriz. Mas o que motivou a premiação no Globo de Ouro? Então… o marido da atriz, o produtor Meshulam Riklis, bancou uma viagem de membros da HFPA para Las Vegas, arcando com despesas de hospedagem, alimentação, shows e cassinos. A polêmica foi tanta que a rede CBS desistiu de transmitir a cerimônia nos anos seguintes. Além disso, a categoria de Revelação do Ano acabou encerrada.

 

Sharon Stone (Globo de Ouro 2000) 



Em 1999, a atriz Sharon Stone mandou para cada integrante da HFPA um relógio avaliado em US$ 400,00. A polêmica foi tanta que o então presidente da entidade, Helmut Voss, exigiu que os presentes fossem devolvidos. Mesmo assim, a atriz recebeu uma indicação ao Globo de Ouro do ano seguinte pelo esquecível trabalho em A Musa. Após a polêmica, a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood limitou em US$ 125,00 o valor de presentes/cortesias a ser recebidos por seus integrantes.

 

Tom Ford (Globo de Ouro 2017)

Outro caso de presente que ultrapassou o valor sugerido pela Associação de Imprensa Estrangeira ocorreu em 2017, quando o estilista e diretor Tom Ford enviou para todos os membros da entidade um de seus perfumes oficiais, que custavam mais de US$ 125,00. Mais uma vez, os eleitores da premiação tiveram que devolver os mimos. Mesmo assim, Ford recebeu duas indicações pelo trabalho no filme Animais Noturnos, concorrendo nas categorias Melhor Direção e Melhor Roteiro.

 


Todo Mundo Odeia o Chris (Globo de Ouro 2006)

Durante toda sua duração, Todo Mundo Odeia o Chris só conseguiu uma indicação ao Globo de Ouro, em 2006, após o lançamento da primeira temporada. A produção criada por Chris Rock recebeu uma indicação na categoria Melhor Série Comédia/Musical. E Rock se empenhou bastante na campanha por sua série, chegando a enviar um aparelho de DVD para cada membro da HFPA.

 

O Turista (Globo de Ouro 2011)

“Gostaria de afastar os rumores de que o único motivo para O Turista ser indicado é o fato da Associação de Imprensa Estrangeira querer confraternizar com Johnny Depp e Angelina Jolie, eles também aceitaram suborno”, destacou Ricky Gervais no monólogo de abertura do Globo de Ouro 2011. O filme, que foi um fracasso absoluto de público e crítica, recebeu três indicações: Melhor Filme, Melhor Ator e Melhor Atriz Comédia/Musical. Embora nunca foram confirmados os rumores de suborno, é certo que o lobby foi pesado por parte do estúdio para conseguir uma indicação para o time. Informações dão conta que Jolie ligou individualmente para cada membro da HFPA para defender seu filme. Além disso, a Sony teria usado a mesma junket de Burlesque em Las Vegas para promover O Turista.

 

Denzel Washington (Globo de Ouro 1990)

 

 

 

Em 2016, Denzel Washington subiu ao palco do Globo de Ouro para receber o prêmio Cecil B. DeMille, principal homenagem da premiação. Em seu discurso, o ator e diretor relembrou que teve que aderir ao lobby para conquistar seu primeiro Globo, em 1990, pelo trabalho em Tempo de Glória. “Alguns de vocês devem conhecer Freddie Fields (empresário de Denzel). Ele me convidou para um almoço com a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood. Ele falou que iríamos assistir ao filme. E disse: ‘Vamos alimentá-los. Eles virão. Você vai tirar fotos com todos. Você vai segurar as revistas e publicações deles, tirar fotos e vai ganhar o prêmio.’ E eu ganhei naquele ano.”

 

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: