Animação foi a porta de entrada ao mundo dos quadrinhos para muitos

Disponível no HBO Max, Os Jovens Titãs foi uma adaptação da equipe homônima da DC Comics que fez absoluto sucesso, no Brasil principalmente, durante os anos 2000. Seguindo na esteira do modelo de sucesso proposto por Liga da Justiça, a animação teve como base a química entre os protagonistas para guiar os episódios. Dessa maneira, atritos internos apareciam e apenas reforçavam a ideia de equipe tanto para eles quanto para o espectador.

Ao todo o programa contou com cinco temporadas entre 2003 e 2006 no qual diversos elementos contribuíram para sua idolatria. A já mencionada química entre os personagens foi um fator, porém, o traço mais ao estilo anime (que fazia um contraponto ao estilo de Bruce Timm que reinava em animações da DC na época) enriquecia as cenas de ação; a comédia geralmente puxada por Ciborgue e Mutano funcionava, além da ligação com o material fonte que, por vezes, era referenciado ou adaptado. Dito isso seguem abaixo cinco grandes momentos do desenho.

5) As baterias do Ciborgue

O quinto episódio da primeira temporada tem foco exclusivo no homem máquina da equipe, sendo que toda a trama gira ao redor da necessidade emergencial dele precisar trocar as próprias baterias ou poderá se desligar permanentemente. De forma similar ao Robin, Ciborgue nunca teve um momento, ao longo da série, em que sua história de origem como um astro do futebol que sofre um acidente e se vê transformado em máquina é contado.



Um episódio bem legal protagonizado pelo carismático Ciborgue.

Mesmo assim, nesse episódio em particular o sentimento de exclusão vivenciado pelo herói é representado justamente pela limitação das baterias. Quando em plena missão as baterias do Ciborgue acabam definitivamente ele é resgatado por Reparo, este que lidera uma comunidade subterrânea de máquinas. Após ser consertado por ele, Ciborgue é confrontado com a opção de virar um robô completo e só então percebe o valor do seu lado humano.

4) Robin vira aprendiz de Slade

O famoso mercenário da DC foi ao longo do programa o grande inimigo dos Titãs, inicialmente apresentado como uma voz nas sombras mas que quando passou a ter mais presença conseguia encarar os cinco com grande facilidade. De todos os heróis, Slade desde o início mostrava predileção pelo Robin e, ao final da primeira temporada, pôs seu plano em prática.

Aproveite para assistir:

Tendo infectado as células sanguíneas dos heróis com explosivos, Slade chantageia o menino prodígio a abandoná-los e se tornar seu aprendiz, tendo inclusive direito a um novo uniforme. Sem escolha, o jovem aceita e abandona a equipe sem maiores explicações, algo que resulta em situação de tensão entre seus ex-colegas, que não sabem como reagir a essa nova dinâmica, e do próprio Robin que sabe porque está fazendo aquilo mas não pode contar.

Slade foi o primeiro grande vilão para toda uma geração de espectadores.

De quebra, esse mini arco ainda apresenta a melhor referência ao Batman já feita ao longo da animação, que ocorre quando Slade promete a Robin que um dia ele ainda o chamará de pai e ele responde que já tem um ao mesmo tempo que morcegos tomam a tela. Clássico.



3) Quem é Red X?

Essa pergunta é, em parte, respondida e parte deixada em aberto. Inicialmente o personagem foi uma criação do próprio Robin para conseguir se aproximar de Slade, e assim descobrir seus planos, sem que o mesmo suspeitasse. O plano não funciona e Robin rapidamente aposenta o traje, ainda que a equipe tenha passado por uma crise de confiança para com ele após esse episódio.

A identidade do segundo Red X nunca foi revelada.

Entretanto, no segundo episódio da terceira temporada a equipe é confrontada com um indivíduo que utiliza um traje muito similar ao do Red X. Robin, acreditando ser uma imitação, descobre que alguém roubou todo o equipamento que ele montou para essa identidade. O episódio termina em aberto e nunca é revelado quem realmente era o novo Red X, com especulações que vão desde um personagem novo até Jason Todd.

2) Reinado de Trigon

Algo que a série não teve medo de mostrar era a origem demoníaca de Ravena e sua relação com o pai, Trigon. Tamanha é a importância desse arco em particular que praticamente toda a quarta temporada é dedicada a mostrar a ascensão de Trigon na Terra e como ele facilmente consegue não só escravizar a humanidade como também modificar o planeta para que ele se torne um local infernal.

O arco sobre a ascensão de Trigon foi o auge da animação.

Nesse arco é mostrado toda a extensão dos poderes de Ravena e como personagens consagrados da animação são reorganizados nesse novo tabuleiro. Sem dúvidas é o momento que mais parece uma conclusão definitiva do desenho dentre todos os apresentados antes ou depois.

1) Contrato de Judas

O arco envolvendo Terra foi bastante emotivo e impactou a equipe.

Um dos personagens mais interessantes a ter aparecido ao longo das cinco temporadas é, sem dúvida, Terra. Com o poder de causar terremotos ela surge como um sexto membro da equipe ainda no início da segunda temporada e vai recebendo um certo trabalho de desenvolvimento ao longo dos episódios até culminar na season finale em que é revelado que ela era uma espiã do Slade.

O enredo é uma adaptação da saga Contrato de Judas de 1984, tida como uma das mais memoráveis da equipe. Tanto nos quadrinhos quanto na animação essa saga é um momento evidente em que os membros atingem um novo nível de maturidade graças a traição de Terra.

Comentários

Não deixe de assistir: