O terror é um gênero que pode render filmes muito criativos e que marcam época. De clássicos atemporais como O Bebê de Rosemary e O Exorcista, que figuram sempre em todas as listas dos melhores quando citamos este tipo de cinema, podemos dizer que todo e qualquer cineasta ousa brincar com o gênero em algum momento de sua carreira. De Alfred Hitchcock, passando por Steven Spielberg, Francis Ford Coppola e Martin Scorsese, até sensações mais novas como Quentin Tarantino, todos já se aventuraram por produções de teor, digamos, mais assustador.

Nos últimos anos, ao mesmo tempo em que diretores prestigiados como David Gordon Green e Scott Cooper decidiram brincar com obras de terror, o gênero viu nascer personalidades que se destacaram com este cinema, consolidando seus nomes no mercado atual. Figuras como Jordan Peele, Ari Aster e Robert Eggers. Mas para cada cineasta que consegue atrair grande prestígio ao seu nome, tantos outros terminam esquecidos. É dentro desta seara que iremos abordar nossa nova matéria. Aqui, iremos relembrar com você produções de terror que estrearam nem faz tanto tempo assim, há exatos cinco anos no passado, mas que todos trataram de solenemente esquecer. E você certamente foi mais um. Confira abaixo e diga sinceramente nos comentários se você lembrava que tais filmes haviam sido lançados.

Refém do Medo

Sempre quando vemos a estrela indicada ao Oscar Naomi Watts aderindo aos filmes de terror novamente, fica aquela ponta de esperança de que sua próxima empreitada seja tão boa quanto o filme que colocou seu nome nos holofotes de Hollywood: o remake O Chamado (2002). Foi a partir dali que Watts se tornava verdadeiramente uma estrela do primeiro escalão. Porém, seus projetos seguintes no gênero terror foram, por falta de palavra melhor, no mínimo decepcionantes. O primeiro grande retorno foi em A Casa dos Sonhos (2011), ao lado de Daniel Craig e Rachel Weisz, filme que está completando 10 anos de sua estreia. Cinco anos depois era a vez deste Shut In (no original), que até possui uma história interessante, mas o resultado o fez desaparecer rapidamente dos radares. Na trama, Watts vive uma psicóloga infantil, reclusa em sua casa, afastada de tudo e todos cuidando de seu filho catatônico após a morte do marido. É nesse cenário que em sua porta aparece um menino perdido e ela começa a tomar conta dele. Durante uma terrível tempestade o garoto desaparece, e ela precisa encontra-lo. No elenco, as presenças de Jacob Tremblay e Charlie Heaton (de Stranger Things). O filme chegou a ser exibido nos cinemas do Brasil.



O Quarto dos Esquecidos

Sem dúvidas um título sugestivo. Mas não é só o quarto que ficou esquecido, o filme todo também. Pulando de uma musa para outra, aqui quem protagoniza é a bela Kate Beckinsale, estrela dos filmes de ação B Anjos da Noite. A atriz, no entanto, já fez trabalhos mais sérios, e inclusive filmou O Aviador (2004) com o grande Martin Scorsese. Digamos que ao aceitar protagonizar este filme de terror, Beckinsale não estaria no seu melhor. Curiosamente, por trás da produção temos dois nomes de talento, além da atriz. O roteiro foi escrito pelo ator Wentworth Miller, cujo texto anterior rendeu o intrigante Segredos de Sangue (2013), de Park Chan-Wook. E na direção, D.J. Caruso marcou seu nome com thrillers como Paranoia (2007) e Controle Absoluto (2008). Ou seja, tudo parecia no lugar. Aqui, Beckinsale vive uma mãe, se mudando para uma grande casa rural de seus sonhos ao lado de seu filho. No local, um quarto permanece trancado e não deve ser aberto. Mas é claro que ela vai querer abri-lo. Esse foi outro que passou em nossos cinemas, em novembro de 2016. Você lembrava?

Aproveite para assistir:

Floresta Maldita

Depois de Watts e Beckinsale, musas do cinema que já tiveram trabalhos marcantes nas telonas, aparecerem na lista em filmes que ninguém lembra, chegou a vez das estrelas da TV arriscando na transição para produções cinematográficas. A primeira delas é a loira Natalie Dormer, que ganhou destaque como a Margaery Tyrell de Game of Thrones. Depois disso, a jovem emplacou na franquia Jogos Vorazes no cinema, no papel de Cressida. Aqui, Dormer usava sua exposição para protagonizar seu próprio filme de terror. Em meados da década passada, a chamada “Floresta do Suicídio” no Japão, um lugar que as pessoas vão para se matar, esteve em voga e foi tema de dois longas. O primeiro foi o drama de Gus Van Sant, O Mar de Árvores (2015). Em sequência chegava este terror que trazia Dormer como destaque, no papel de irmãs gêmeas. Na trama, Sara recebe uma ligação da polícia japonesa avisando sobre o desaparecimento e possível morte da irmã, Jess. Assim, a mulher embarca numa viagem para descobrir o paradeiro de sua gêmea, se deparando com muitas assombrações no local. O longa chegou a ser exibido em nossos cinemas. Você conhecia?



Do Outro Lado da Porta

De uma estrela da TV para a outra, agora chega a vez de um terror protagonizado pela morena Sarah Wayne Callies, a eterna Lori Grimes de The Walking Dead. Antes da série de zumbis, Callies havia participado de Prison Break, como a Dra. Sara. No cinema, participou do filme de ação da Warner, No Olho do Tornado (2014), e estrelou um thriller com Nicolas Cage, Regresso do Mal (2015). No ano seguinte, foi a vez de ter um filme de terror para chamar de seu, ao ser o destaque de Do Outro Lado da Porta. Essa produção da Fox, usa como trama algo muito semelhante à história criada por Stephen King para Cemitério Maldito. Aqui, Callies é uma mulher traumatizada pela morte repentina de seu filho pequeno. Ela logo fica sabendo sobre um ritual que o trará de volta para se despedir. Porém, ao desrespeitar as regras sagradas, o equilíbrio entre a vida e a morte ficará abalado. Ao contrário dos demais itens acima na lista, este longa não chegou a ser lançado nos cinemas brasileiros – o que o torna ainda mais desconhecido do grande público.

Dominação

Já imaginou uma mistura de O Exorcista (1973) com Matrix (1999)? Poucos o fizeram. Até aí tudo bem. O problema é que apesar da premissa levemente intrigante, o filme terminou rapidamente varrido para debaixo do tapete, mesmo com distribuição da Playarte aqui no Brasil, o que garantiu um lançamento nas telonas do país no início de janeiro de 2017. Quem estrela é o onipresente Aaron Eckhart, no papel de um cientista e exorcista não convencional, que possui a capacidade de entrar na mente de pessoas possuídas pelo demônio, para enfrentar o mal no subconsciente. Doido certo? Na direção temos Brad Peyton, o sujeito responsável por dois blockbusters de Dwayne Johnson, Terremoto (2015) e Rampage (2018). Com o título original Incarnate, é curioso notar como alguns filmes que não geram muita ressonância às vezes recebem a mesma tradução no Brasil. Por exemplo, em 2000, um terror com Winona Ryder também ganhou o título Dominação no Brasil – apesar de originalmente se chamar Lost Souls (Almas Perdidas). Você lembrava deste?

A Escuridão

Kevin Bacon é definitivamente um ícone. O ator possui até mesmo seu próprio jogo, “Os Seis Degraus de Kevin Bacon”, criado antes da era da internet. Esse jogo consiste em achar uma ligação entre Bacon e qualquer ator americano em seis passos ou menos. Acredite, dá certo. Isso se deve porque o ator tem uma longa ficha corrida em sua filmografia, tendo trabalhado com diversos artistas em filmes e séries, ao longo de seus mais de 40 anos de carreira. São mais de 100 créditos como ator. Há 5 anos, Bacon aumentava as opções para o jogo ao estrelar esse terror sobre uma família de férias no Grand Canyon, despertando uma entidade sobrenatural, e precisando combate-la a fim de sobreviverem. No filme, ao lado do ator, se encontra um elenco de talento vide Radha Mitchell, Paul Reiser, Jennifer Morrison, Ming-Na Wen e Lucy Fry. Quem dirige é Greg McLean, de Wolf Creek – Viagem ao Inferno (2005). Este foi outro que não ganhou um lançamento nos cinemas, dificultando ainda mais que o público o conhecesse.

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: