Execrado pela crítica francesa por falta de compromisso com a realidade em Emily em Paris (desde 2 de outubro na Netflix), Darren Star revelou que escreveu a série porque sonhava em se mudar para Paris. Durante uma masterclass na 3ª edição do festival Canneséries, realizado entre os dias 9 e 14 de outubro, o criador ainda declarou que a protagonista é baseada na jornalista norte-americana Rebecca Leffler, ex-correspondente do The Hollywood Reporter e ex-crítica de cinema da rede de TV francesa Canal +

Com base na reportagem divulgada pelo jornal La Dépêche, o CinePOP traz as declarações do criador de Barrados no Baile (1990–2000), Sex in the City (1998-2004) e Younger (2015-2020) em relação às críticas do seu olhar sobre os franceses e do cotidiano na capital da França. 



Um Sonho Antigo de Darren Star

Na transmissão online da masterclass, Darren Star explica que a série “é uma forma de explorar o multiculturalismo e conectar-se com a nova geração”. Além disso, ele revela que a ideia do seriado já estava na sua cabeça há muito tempo – Já que ele pensava em morar na França desde que realizou um intercâmbio aos 19 anos no país. Ele também se considera um “francófilo”, isto é, possuidor de um grande apreço pela cultura e costumes franceses. 

Durante o evento, o produtor relembrou que morou durante 11 meses em Paris e que sempre imaginou como poderia ter sido a vida de expatriado. “Ao realizar a série, pude ter essa experiência e espero poder continuar”, declarou com esperança de que haja uma segunda temporada. Outro grande esclarecimento do encontro foi a “notável contribuição” da real expatriada Rebecca Leffler

A Consultora Criativa da Série 

Além da sua vivência na cidade luz, o showrunner relatou que a jornalista Rebecca Leffler lhe concedeu muitas informações para construir a personagem a fim de que o roteiro fosse semelhante a uma experiência real. Consultora criativa da série, Leffler declarou estar contente pelas pessoas descobrirem secretamente a sua história de vida, “mesmo que a vida da protagonista seja muito mais glamorosa que a minha”, esquiva-se a jornalista norte-americana. 

Aproveite para assistir:



Atualmente, Rebecca Leffler escreve livros sobre culinária vegetariana e vegana, no entanto, ela trabalhou como publicitária, tal com Emily, no início da sua vida na França. Sem tradução para o português, o seu título mais famoso é Green, Glam, Attitude (2017). 

Assista também:

 



Sucesso e Críticas pelo Mundo

Grande sucesso na Netflix, após quatro semanas segue no TOP 10 de vários países, inclusive Brasil e França, Emily em Paris desencadeou uma avalanche de comentários irritados nas redes sociais. Nas postagens, os internautas apontam os clichês sobre Paris e seus habitantes, além da falta de veracidade da vida de Emily. A começar pela jovem estadunidense, interpretada por Lily Collins, se estabelecer em Paris sem falar uma palavra em francês.

Segundo o próprio Darren Star, houve um receio inicial de filmar com uma equipe francesa cenas que mostrassem as diferenças culturais entre franceses e americanos, ainda mais porque existia uma certa zombaria com os franceses. Contudo, ele alega que as filmagens deram certo e não ocorreu nenhum problema entre os profissionais. Para finalizar o assunto, ele admite: “Eu realmente queria filmar em Paris para que parecesse autêntico, mas também porque queria oferecer aos espectadores uma experiência especial”. 

Você acredita que alguém pode ter a vida da Emily Cooper na realidade? Ou mesmo com a consultoria especializada, o seriado está longe de representar uma jovem norte-americana vivendo o sonho europeu? Deixe o seu comentário!

Comentários

Não deixe de assistir:

🚨 INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE 🚨http://bit.ly/CinePOP_Inscreva