[ANTES DE COMEÇAR A MATÉRIA, FIQUE CIENTE QUE ELA ESTÁ RECHEADA DE SPOILERS]

Se você ainda não assistiu ao último episódio de WandaVision, não leia esta matéria, a menos que não se importe em receber spoilers.

Acabou. Após alguns meses, WandaVision enfim terminou, resolvendo alguns de seus mistérios e deixando outros para serem trabalhados futuramente no Universo Cinematográfico Marvel. Nesse series finale, o maior episódio de toda a série, tivemos a resolução de quatro personagens, que, sem dúvida alguma, não fizeram sua última aparição no MCU em Westview. Bem, vamos começar logo a nossa última análise de WandaVision. Que, para o desespero de alguns fãs, não tem Mephisto.



Começando com a grande protagonista da série, Wanda (Elizabeth Olsen). Ao contrário do que muitos esperavam – me inclua nesse “muitos” – ela não surtou, muito pelo contrário! Na verdade, o oitavo episódio acabou servindo como uma verdadeira sessão de terapia para que a bruxinha lidasse com os estágios do luto e chegasse ao nono episódio na aceitação. Ela até chega a ter uma breve recaída, mas se recompõe e libera os cidadãos desesperados de Westview de sua escravidão encenada. Tomando as rédeas de sua própria vida, a jovem entende e aprende a viver com suas perdas, enquanto se prepara para perder mais gente até o fim do dia. Em seu embate pessoal com Agatha Harkness (Kathryn Hahn), Wanda aceita seus poderes e se torna a Feiticeira Escarlate. Após derrotar a rival, a Feiticeira escuta um aviso que significa bastante para o futuro do MCU: “Você não sabe o que libertou”. A quem Agatha se referia? Estaria ela falando da própria “entidade” que Wanda é, ao melhor estilo Fênix Negra dos X-Men, ou de alguma outra criatura vilanesca que veremos mais pra frente? Bem, fato é que sabemos agora que a jovem Maximoff é mais forte que o Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch).

Falando no Doutor Estranho, enquanto o Mago Supremo fazia animação de festa infantil, literalmente todo o mundo mágico desabou em plena Terra e ele sequer apareceu. Brincadeiras a parte, é provável que eles justifiquem essa ausência na série do protetor da nossa realidade com a destruição do Olho de Agamotto, a Joia do Tempo, em Vingadores: Guerra Infinita (2018). Porque é aquela história, né? Sem poder controlar mais o tempo, não tem como ele estar em todos os lugares o tempo todo. O ponto é que ele está com um filme em produção e a presença de Elizabeth Olsen já foi confirmada. Como vimos, após Wanda derrotar Agatha e prendê-la em Westview na alcunha de Agnes, a vizinha insuportável, a Feiticeira Escarlate pegou o Darkhold e se isolou nas montanhas, onde a Wanda repousa e a Feiticeira estuda o livro no plano astral, enquanto busca uma forma de trazer Billy e Tommy de volta a vida. Não ficou claro se essas duas “versões” da Wanda são a mesma Wanda. Não sei se vocês lembram, mas em Doutor Estranho (2016), quando Stephen acessa o plano astral para estudar magia, ele mantém as mesmas roupas do plano físico. Ou seja, existe a possibilidade da jovem estar desenvolvendo, sim, uma dupla personalidade, o que talvez faça dela uma antagonista ou ameaça de Doutor Estranho: No Multiverso da Loucura. É interessante ver como o Darkhold entrou de vez no MCU, o livro que é conhecido por corromper almas, indo parar nas mãos de uma das criaturas mais poderosas do universo. Tem como dar problema?

Aproveite para assistir:



Porém, não é só com Wanda que se faz WandaVision. E mesmo tendo passado meio apagado ao longo da série, o Visão (Paul Bettany) ganhou um merecido destaque nessa reta final e teve seu auge justamente no último episódio. Eu fiz uma matéria há pouco tempo sobre o embate pessoal que o personagem travaria no fim do seriado, porque a jornada dele até o penúltimo episódio tinha sido muito sofrida e precisava de uma resolução. Os fãs acertaram na teoria de que não terminaríamos WandaVision sem “um Visão sobrevivente”. No fim das contas, terminamos com a volta do nosso Visão pré-série, com suas memórias foram “religadas” no corpo do Visão Branco.

A cena em si é incrível, já que acontece depois de um duelo mental entre o “Visão Razão” e o “Visão Emoção”. No embate argumentativo entre sentimentos Vs lógica, o Visão Branco resolveu ceder aos apontamentos do Visão do Hex para que ele reativasse suas memórias, em uma tentativa de entender quem é mesmo o Visão e conseguisse seguir suas diretrizes de exterminá-lo. No entanto, ao receber suas vivências passadas, o Visão Branco entende quem ele é, e passa a agir de forma passional novamente, se consolidando como o novo velho Visão. E, parafraseando o NX Zero, entre razões e emoções, o Visão percebeu que a saída é… Sair de cena. Sim, ele foge, provavelmente por conta do choque de realidade que levou, abrindo margem para novas aparições no Universo Cinematográfico Marvel. Será que enfim veremos o sintozoide se unir ao “universo” do Homem-Formiga junto ao Agente Jimmy Woo (Randall Park)?



Ainda falando sobre o Visão do Hex, muita gente acreditava que ele não teria tanto envolvimento emocional com os filhos, porque, como vimos, ele estava mais para irmão do que pai das crianças, levando em conta que os três foram criados pelos poderes de Wanda. Pois bem, nesse capítulo final, ele se mostrou bastante ligado com Billy e Tommy, principalmente nas cenas em que eles começam a se desfazer. Mesmo sabendo do fim iminente, o “Paizão” fez de tudo para proteger as crianças e dar uma “morte” digna, sem sofrimento, para os pequenos. Essa cena do casal colocando os filhos para dormir lembra bastante um momento bem pesado de Titanic (1997), quando o navio já está quase todo naufragado e vemos uma mãe contando uma historinha para os filhos dormirem e não sentirem o desespero da morte gélida. Momentos depois, o próprio Visão se despede da existência e de seu amor, acreditando que voltará a ver Wanda em algum momento. Pode ter sido só uma frase amorosa, mas também pode indicar que ele transferiu parte de sua vivência no Hex para a consciência do corpo do novo velho Visão.

Monica Rambeau (Teyonah Parris), que tinha sido completamente esquecida no episódio oito, voltou com tudo demonstrando mais dos seus poderes e recriando uma cena muito legal dos quadrinhos, que são as balas atravessando seu corpo feito de energia. Queria, né, Aaron Taylor-Johnson? Ao final, na primeira cena pós-créditos, ela é levada para dentro do cinema por uma agente que se revela uma Skrull disfarçada. A alienígena afirma que a querem “lá em cima”. Esse “cima” é a base espacial da E.S.P.A.D.A., mostrada na cena pós-créditos de Homem-Aranha: Longe de Casa (2019), onde Nick Fury (Samuel L. Jackson) está trabalhando junto aos Skrulls. Essa convocação já começa a introduzir a série Invasão Secreta, uma das próximas produções da Marvel no Disney+. Ah, também é bom lembrar que essa energia amarelada fluindo pelo corpo e alterando a cor dos olhos já foi vista antes no MCU, em uma personagem superpoderosa e que, aparentemente, magoou Monica de alguma forma: a Capitã Marvel (Brie Larson).



Com a vindoura série da Miss Marvel, já em produção, há muitas especulações sobre uma possível participação especial da Capitã. Seria uma chance bem legal de vermos as duas Capitãs Marvel dos quadrinhos se encontrando e resolvendo seus problemas pessoais, para formar uma grande “família Marvel” com Capitã Marvel, Fóton e Miss Marvel. Enfim, é uma personagem com bastante potencial e que deve assumir um protagonismo bem interessante daqui pra frente no MCU.

Nos foi revelado que o Pietro Fake era o tal “Ralph” sempre citado pela Agnes. Ele era um ator chamado Ralph Bhoner, uma piada sobre “ereção”. E a gente achando que ele era um vilão sério…

Enfim, foi um episódio incrível que encerrou muitos ciclos e iniciou novos, ajudando a expandir o Universo Cinematográfico Marvel para essa já iniciada Fase Quatro. O futuro para Wanda, mesmo resolvida com seu luto, parece sombrio e vai influenciar bastante na vida dos outros heróis. Sempre bom lembrar do comercial do YoMagic, né? Esse “upgrade” de ser A Feiticeira Escarlate pode acabar sendo a ruína da personagem ou até mesmo sua salvação.

Fato é que a Disney tem muitas histórias para contar, com ou sem Mephisto, e WandaVision foi fundamental para traçar esses novos rumos da empresa nos cinemas e principalmente no Disney+. Estrear no streaming com uma produção dessa qualidade deve servir como exemplo para a própria Marvel querer se superar daqui pra frente nas novas empreitadas televisivas e cinematográficas. Que venham os próximos “capítulos” da Fase Quatro!

Comentários

Não deixe de assistir:

🚨 INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE 🚨http://bit.ly/CinePOP_Inscreva