Os 10 Melhores Filmes de Tim Burton

Os 10 Melhores Filmes de Tim Burton

COMPARTILHE!

Após uma sequência de filmes fracos, o diretor Tim Burton, 58 anos, promete reerguer sua carreira com a adaptação de ‘O Lar das Crianças Peculiares‘ (Miss Peregrines Home for Peculiar Children), que estreia no Brasil em 29 de Setembro.

Para nos prepararmos para o grande retorno do diretor, selecionamos os 10 melhores (que trabalho árduo!) filmes desse mestre.

Tim Burton – finalmente – ganha estrela na Calçada da Fama 




São eles:

10. Batman

Podemos dizer que foi o responsável pelo atual subgênero de super-heróis no cinema. Se aguardamos ansiosamente por Liga da Justiça, pelo novo Homem-Aranha, ou se ficamos discutindo no Fabebook qual será o próximo herói a invadir as telas, devemos ao sucesso deste filme.

Boa direção, clima sombrio fiel ao cavaleiro das trevas, grandes estrelas e um vilão poderoso. E claro, a visão peculiar de um sujeito problemático oferecida por Burton foram motivos do sucesso deste filme.




9. Batman – O Retorno

Na sequência, Burton foi mais ele. Sinal do sucesso e do respeito que esse tipo de filme iria ganhar ao longo dos anos. Os tons sombrios ficaram mais evidentes. Os cenários entre o infantil e o fantasmagórico ganharam mais destaque. E, sem dúvida, Pinguim foi, dentre os dois filmes, o mais burtoniano das personagens.

8. A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça

Tim Burton faz um cinema fantástico, calcado na fantasia, delírio, entre o sonho infantil e o terror gótico. ‘A Lenda…‘ é dos seus trabalhos mais góticos: florestas com árvores retorcidas mais do que em outros filmes, um fantasma movido por um desejo, fotografia gélida.

A figura de Johnny Depp (sem ele!) é o lado mais explícito do humor do filme. Porém, não dá para considerar a imagem do cavaleiro cortando as cabeças algo assustador.

7. Sweeney Todd – O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet

Ao lado de ‘Planeta dos Macacos’, é o trabalho que mais perto chega do ‘terror’. Mas não se enganem, não é um Terror! Tem lá algumas cenas que podem ferir estômagos mais sensíveis (do tipo daqueles que nunca assistiram a uma novela da Globo). O filme capricha na fotografia em tons escuros.

A força de Depp (tem algum filme que ele não fez) e o mistério dão as cartas no filme. O maior destaque fica com as músicas.

6. A Fantástica Fábrica de Chocolates

O Willy Wonka do primeiro filme era uma personagem sem passado e só sabemos que ele vai morrer apenas no final. Sua figura é bem normalzinha. O que o faz estranho é a falta de explicação sobre seus objetivos.

O Sr. Wonka que Burton criou para Depp (de novo!?!?) tem figurino mais extravagante, sua imagem é andrógena e não sabemos seus objetivos. Essas coisas produzem o mesmo efeito que o primeiro Wonka. Porém, ele é humanizado quando descobrimos o seu passado. Alguns devem pensar que com isso Burton explicou demais. Vá lá, isso tira pontos.

Mas, a visão mais mágica dessa Fantástica Fábrica lhe garante um espaço nesta lista e nos nossos corações. Infelizmente, a música original dos oompa-loompas não foi alterada.

5. Planeta dos Macacos

Burton é um sujeito que gosta de fazer releituras. E não me venha falar em refilmagens. Ele não faz remake. Ele dá sua visão sobre outra obra. Foi assim com a ‘A Fantástica…‘ ou com ‘Alice

De todas as tentativas, a mais bem sucedida foi ‘Planeta dos Macacos‘. É o trabalho mais sombrio de Burton, onde construiu o terror de viver em uma terra de pólos invertidos. Mas, cadê o Depp???

4. Os Fantasmas Se Divertem

O primeiro trabalho de sucesso de Burton é um resumo do humor, dos delírios e da estética que seguiria. É também o mais engraçado desta lista – e de toda sua obra. O filme guarda um frescor de quem esta começando e não possui as amarras do próprio nome. Piadas ágeis, a maquiagem de Michael Keaton e a música da parte final são pontos altos.

3. Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas

Não sei se vocês vão concordar, mas aqui começam os três trabalhos mais perfeitos de Burton. Obras que unem humor, drama, grandes personagens, equilíbrio no visual. Em ‘Peixe Grande…‘, William busca reconstruir a história de seu pai Edward Bloom. Como não sabe quase nada, completa os espaços vazios com as histórias maravilhosas do título. A ambiguidade entre realidade e fantasia alcançam a química perfeita.

No visual, o filme é fantástico sem extravagâncias. Em poucos filmes Burton conseguiu tanto sendo tão comportado, além de ser onde melhor tratou da relação pai e filho.

2. Edward Mãos de Tesoura

Se em ‘Peixe Grande…Burton teve a melhor síntese de seu talento, a maior personagem que ele criou foi Edward (Pelos céus, tirem do Depp desta matéria!). Neste que é dos mais populares trabalhos, encontramos uma figura atormentada simbolizando e causando medo, depois gerando encantamento.

No fim, a figura volta a causar medo entre os moradores da cidade colorida. Entre o público, ficamos tristes. Poética a explicação sobre a neve no final da fita, aumentando a mitologia entorno do homem com mãos de tesoura.

1. A Noiva-Cadáver

Uma verdade sobre as listas: elas não são mais do que o gosto de um sujeitinho atrás do computador! O critério de desempate foi: é o mais emocionante (ou o que mais me emocionei). Esta animação em stop-motion tornou-se clássico repete a fórmula do sujeito que não se adapta à sociedade.

O casal principal é formado por uma noiva-cadáver e um sujeitinho estranho (preciso falar quem fez a voz???) é ícone da obra do diretor. O filme tem visual delirante e o recurso às massinhas dá o toque diferencial: Burton alcança emoções profundas em uma animação!

Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema!


Não esqueça de CURTIR nossa MATÉRIA ESPECIAL: