Crítica | Ponte dos Espiões

Crítica | Ponte dos Espiões

COMPARTILHE!

Qual o próximo passo quando você não sabe qual é o jogo? Duas conflitantes potências do mundo, envolvidas em uma guerra de ameaças numa época de exércitos com grande potência de fogo. Nesse cenário, Ponte de Espiões, novo trabalho da dupla Tom Hanks e Steven Spielberg (antes já fizeram O Resgate do Soldado Ryan,Prenda-me Se For Capaz e O Terminal), conta a incrível história de um norte-americano, pouco conhecido, que fora até mesmo chamado pelo ex-presidente norte-americano Kennedy para intermediar negociações políticas anos mais tardes dos acontecimentos deste longa. Com uma atuação brilhante do eterno Forrest Gump e uma direção fantástica do mago Spielberg, este trabalho deve listar nos caderninhos cinéfilos como um dos grandes filmes do ano.

pontedosespioes_2

Na trama, acompanhamos detalhadamente a saga heroica do advogado, especialista em seguros, James Donovan (Tom Hanks), um norte-americano cheio de princípios que recebe a difícil missão de defender nos tribunais um espião russo capturado pelo FBI.  Se isso já não bastasse para tirar o sono do advogado, ele é colocado na linha de frente de uma negociação, em plena Berlim na época de sua histórica divisão, que envolve um soldado norte-americano detido atrás das linhas inimigas, um estudante de economia norte-americano acusado de espionagem, e seu mais difícil cliente, o espião russo que defendeu no tribunal.




Ponte de Espiões tem um grande mérito de ser um grande aulão sobre história mundial, e pode (e deve), servir para professores exibirem aos seus alunos, gerando debates sobre todo o contexto desta época marcante da história mundial. Como todo, ou melhor dizendo, quase todo, blockbuster, existe aquelas pausas dramática para os clichês mas, nesse caso, nada que atrapalhe o andamento da trama. Durante os pouco mais de 130 minutos de fita, que nem vemos passar, assistimos a uma história muito bem elaborada, cheio de minuciosas explicações sobre a situação política mundial da época, além de personagens intrigantes que volta e meia circulam a trajetória do protagonista.

pontedosespioes_3

O estudo, a força cênica e habilidades  incontáveis de Hanks enchem a tela do cinema de talento, do primeiro ao último minuto. É mais um grande trabalho desse baita ator, ganhador de dois Oscars de melhor ator. Seu personagem tinha tudo para ser caricato, chato, metódico, mas Hanks consegue dar muito brilho e transbordar carisma em James Donovan. Além de Hanks, vale o destaque ao ator que interpreta o espião russo, Mark Rylance. Ótima atuação, se mantém misterioso durante todo o tempo, deixando o público ligado em qualquer dica sobre quais são os seus segredos.

O longa-metragem, já apontado por pesquisas como forte pretendente a uma vaga nos melhores filmes indicados ao próximo Oscar, chega ao Brasil ainda neste mês e promete agradar aos cinéfilos de plantão.




Curta nossa ENTREVISTA com a Milla Jovovich:



» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «