Amazon Prime | Clássicos do Terror para comemorar os 200 milhões de Assinantes

Essa semana foi divulgado que a plataforma Amazon Prime Video chegou à impressionante marca de 200 milhões de assinantes. O recorde da empresa a aproxima cada vez mais da toda poderosa Netflix, que atualmente possui cerca de 204 milhões de assinantes. De acordo com o The Hollywood Reporter, a quantidade colossal da Amazon foi atingida este mês, com a adição de 50 milhões de assinaturas nos últimos três meses. Como forma de comemorar essa impulsionada da plataforma de streaming azul, que muito em breve pode vir a se tornar a favorita do grande público pelo mundo, ultrapassando a até agora campeã Netflix, resolvemos selecionar em nossa nova matéria uma série de dicas de um gênero que adoramos e é um dos favoritos de vocês, nossos leitores: o terror.

A Amazon Prime Video tem em seu acervo atual grandes clássicos do terror para você assistir neste instante. Portanto não perca mais tempo. Aqui iremos ajudar você nesta peneiração, a fim de encontrar essas verdadeiras preciosidades escondidas na plataforma. Confira abaixo.

Franquia Halloween

Você que é fã do maníaco Michael Myers, adorou o reboot Halloween (2018), e mal pode esperar para a sequência Halloween Kills – que estreia este ano -, mas ainda não teve a oportunidade de conhecer os capítulos anteriores da saga, esta é para você. A Amazon possui quase todos os filmes da franquia. O primeiro, Halloween – A Noite do Terror (1978), de John Carpenter, nem precisa ser dito, é imprescindível, e uma verdadeira obra-prima do terror. A continuação Halloween II – O Pesadelo Continua (1981) está fazendo 40 anos em 2021, conta com roteiro e produção de Carpenter e embora não se compare ao original, ainda é uma boa pedida.

Halloween III (1982) tem uma ideia ousada que não deu muito certo na época, mas ressurgiu como obra cult atualmente. Aqui, ainda com produção de Carpenter, Michael Myers não dá as caras, e temos uma história envolvendo magia sombria e ciência. E bem, você pode ver esses três e parar por aí. A plataforma ainda possui as partes 4 e 5 da franquia, com a volta de Michael Myers, mas esses assista por sua conta e risco, se for muito fã ou curioso.

The Monster Squad

Aproveite para assistir:


🚨 INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE 🚨http://bit.ly/CinePOP_Inscreva

Intitulado no Brasil Deu a Louca nos Monstros, essa produção de 1987 consta com seu título original na Amazon, The Monster Squad (Esquadrão dos Monstros). Assim, para facilitar sua busca, utilizamos aqui o nome original também, embora muitos o conheçam pelo título brasileiro das reprises da TV aberta. O conceito do filme é muito legal, e mistura os Goonies, com uma turminha de pré-adolescentes a la Stranger Things, se deparando com os monstros clássicos da Universal, ou seja: Drácula, Frankenstein, o Lobisomem, A Múmia e o Monstro do Lago Negro. Por não ter feito muito sucesso em sua época de lançamento, o filme ficou logo restrito ao status de cult já naquela época. Ao longo dos nos, no entanto, um grupo cada vez menor (só formado por quem o conheceu na época) guardava com carinho a lembrança do longa. Esta é a chance de fazer esta produção, que mistura terror e aventura, ressurgir para uma nova geração.

Um Lobisomem Americano em Londres

Por falar em lobisomens, este talvez seja o filme mais famoso do cinema a abordar tais criaturas peludas. Além disso, serviu para revigorar a mitologia das bestas assassinas para uma nova geração, adicionando muito humor ácido, criatividade, mas sem esquecer os inúmeros sustos. Ainda reverenciado como um dos melhores filmes de terror de todos os tempos, Um Lobisomem Americano em Londres completa 40 anos em 2021, fazendo desta a ocasião perfeita para ser visto ou revisitado. O filme levou o Oscar de melhor maquiagem, premiando o especialista Rick Baker com a primeira de suas 7 estatuetas da Academia.

Dia dos Namorados Macabro

Por falar em filmes de terror que completam 40 anos em 2021, aqui voltamos ao terreno das obras slasher. No mesmo ano de Halloween II, era lançado no chamado ano do boom do subgênero este Dia dos Namorados Macabro. Uma produção canadense, o longa ficou conhecido como o “slasher proletário”, com trabalhadores de uma mina de carvão em uma pequena cidade tendo seus pares atormentados por uma figura misteriosa. O filme gerou uma boa refilmagem em 2009.

O Duende

Aqui temos um clássico não dos anos 80, mas sim dos anos 90. Lançado em 1993, o terror traz o famoso Warwick Davis (Willow e Harry Potter) como um infame duende assassino. A ideia era impulsionar um novo ícone do terror, como Michael Myers, Jason e Freddy. Mas o que chama atenção mesmo é a presença da estrela Jennifer Aniston, antes de Friends, em seu primeiro papel no cinema. Assim como a franquia Halloween, a Amazon disponibiliza quatro dos filmes do Duende na plataforma, mas sendo muito amigo de vocês, recomendamos apenas o primeiro por uma curiosidade mórbida de ver Aniston protagonizando um filme de terror ainda bem novinha.

Hellraiser – Renascido do Inferno

Outro marco do terror, Hellraiser é baseado no livro do mestre Clive Barker e o primeiro filme é inclusive dirigido pelo próprio. O autor tem um desempenho primoroso no comando da obra, sendo responsável pelos pesadelos de uma geração inteira com suas imagens para lá de gráficas contidas no filme. Inferno e prazer são alguns dos temas deste longa. Assim como ocorre muitas vezes no terror, Hellraiser gerou continuações intermináveis, mas a Amazon disponibiliza apenas quatro dos filmes. Recomendamos os três primeiros, que são os únicos que de fato valem a pena, sendo que mesmo assim vão se diluindo em qualidade gradativamente. O primeiro, no entanto, ainda se mantém como uma das obras-primas do terror gore saídas da década de 80.

Suspiria

Por falar em obras-primas do terror, aqui voltamos mais 10 anos no passado em relação a Hellraiser, para o ano de 1977. Quem comanda é um nome muito celebrado no gênero: Dario Argento, diretor italiano que é sumidade no terror. Os filmes de terror italianos ficaram conhecidos pela alcunha Giallo (amarelo), que fala sobre o uso excessivo de violência, sangue (gore) e a sensação de pesadelo versus realidade. Tirando o último item, podemos dizer que tais filmes tiveram influência no subgênero americano do slasher. Esse é um dos poucos filmes em que Argento utiliza elementos sobrenaturais como fonte de seu horror. Muito famoso por sua estética, aqui temos uma companhia de dança que serve como fachada para um covil de bruxas. O filme é a primeira parte de uma trilogia e foi refilmado em 2018 por Luca Guadagnino.

O Mestre dos Desejos

Muitos entusiastas e especialistas do terror afirmam que o último grande vilão do gênero criado foi Candyman. No entanto, nos anos 90 outros vilões que visavam o coração e a popularidade com os fãs tentaram emplacar no gosto do público. Foi o caso com o citado Duende em 1993. Alguns anos depois, em 1997, o mesmo acontecia neste terror protagonizando pelo vilão Djin, um “gênio da lâmpada” maldito que proporcionava desejos a todos que encontrassem uma pedra preciosa de onde ele saía. A pegadinha era que os tais desejos nunca aconteciam da forma que a pessoa imaginava e o infeliz terminava na maioria das vezes morto ou ferrado. Produzido pelo veterano Wes Craven a grande sacada nos bastidores do filme foi reunir os lendários Jason, Freddy Krueger e o citado Candyman em seu filme. Bom ou quase. Já que quem dá as caras mesmo são os intérpretes de tais personagens sem a maquiagem.

Cujo

Voltando para a década de 80, agora vamos soltar a cachorrada. O primeiro é este cão da raça São Bernardo, cuja origem data de um livro do mestre do gênero Stephen King. Na trama, um cachorro bonachão é mordido por um morcego e adquire raiva, se tornando assim uma fera incontrolável. Ele termina encurralando uma mãe de família (papel da atriz Dee Wallace – que no ano anterior havia brilhado em E.T. – O Extraterrestre) e seu pequeno filho num carro, onde passam um dia inteiro desesperados por ajuda. É tensão na forma mais pura.

Cão Branco

Um ano antes de Cujo chegar aos cinemas, o lendário diretor Samuel Fuller entregava uma obra perturbadora e muito questionadora, para além de simplesmente um filme de terror. Antes de Jordan Peele, outros cineastas já haviam pego temas mais sérios e dignos de discussão e os moldado para formas mais pop a fim de indagar e questionar sobre seus significados. Assim, Fuller criava um longa para discutir o racismo na forma de terror. Na trama, uma atriz de Hollywood encontra um cão da raça Pastor alemão branco ferido e decide ficar com ele para cura-lo. O que ela não sabe é que seu antigo dono era um racista e o treinou para atacar pessoas negras, criando assim uma verdadeira máquina de matar. Agora, a mulher precisa desprogramar essa raiva no animal.

Comentários