Uma família disfuncional, com uma mãe e duas filhas adolescentes. Então, Shannan, a filha mais velha e distante liga, a mãe pede dinheiro emprestado e a filha diz que vem jantar no dia seguinte. Shannan não aparece. Passam-se alguns dias, a mãe tenta contactá-la, mas a jovem não responde o celular e ninguém sabe dela. Começa assim o drama de Mari Gilbert.

Baseado numa história real – retratada no livro escrito por Robert Kolker -, o suspense dramático da Netflix constrói uma atmosfera mais dramática do que investigativa, porque boa parte do longa acompanha a angústia da família por notícias da filha desaparecida, seu envolvimento com outras famílias que aparecem na trama e o carrossel de emoções que Mari passa perante a incompetência da polícia local, incapaz de seguir uma linha de investigação reta, precisa e imparcial.

Embora o filme tenha Gabriel Byrne (no papel do comissionário Dommer), um dos pontos interessantes do longa é que ele tem um elenco quase todo composto por mulheres: Mari Gilbert (Amy Ryan), Sherre (Thomasin McKenzie), Sarra (Oona Laurence), além das mães e irmãs que aparecem na trama. Isso não é por acaso: ao rechear seu elenco com mulheres, o filme dirigido por Liz Garbus faz uma escolha sobre o ponto de vista que quer contar: o delas.

Ao optar por acompanhar o lado da família Gilbert na história, o roteiro de Michael Werwie constrói uma crítica social relevante, que é o fato da polícia ser seletiva com quem da sociedade tem a preferência no socorro e quais são os cidadãos que, pelo viés da força maior, não são contemplados com o socorro policial com a mesma eficiência. A crítica também vale para a imprensa, que, ao tratar de casos de feminicídio, tende a escolher palavras que colocam as mulheres como as causadoras dos próprios crimes sofridos por elas, julgando-as pela sua condição social, de trabalho, suas origens etc.

A bem da verdade, a crítica social é o ponto mais interessante desse ‘Lost Girls – Os Crimes de Long Island’ (aliás, por que não deixaram apenas o subtítulo né?), que, com dissemos, se inclina mais pro drama do que pro suspense policial. É um filme interessante, baseado numa terrível tragédia real, que ajuda a refletir sobre como e porque crimes assim continuam a acontecer em todos os locais – até mesmo nos paraísos que parecem perfeitos, como Long Island.

10 filmes de terror no Amazon Prime Video para fugir dos problemas…

Aproveite para assistir:

10 Séries de Comédia para Maratonar nas Próximas Semanas

15 Séries da Netflix Para Maratonar

15 Séries da Globoplay Para Você Maratonar

15 Séries da Amazon Prime Para Maratonar neste mês

10 reality shows insanos pra você que amou The Circle e Casamento às Cegas

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE