A representatividade feminina chegará forte em 2020. Cada vez mais os grandes estúdios estão percebendo que protagonistas femininas podem dar muito certo, e o número de franquias empurradas pelo carisma de suas personagens principais só aumenta. Em 2020, teremos uma quantidade significativa com algumas das superproduções mais alardeadas do ano sendo representadas com mulheres à frente do elenco de tais projetos.

Isso sem contar outros gêneros, como o terror, o suspense, filmes de diretores renomados e, é claro, produções que estão dando o que falar na época de premiação. Ah sim, e não podemos esquecer das animações, em especial Frozen II, que abriu o ano por aqui (no dia 2) trazendo de volta as desventuras das irmãs Anna e Elsa, e pelo mundo se tornou a terceira maior bilheteria de 2019 (o filme foi lançado em novembro nos EUA e em muitos países) com mais de US$1.374 bilhão.

Quem também já chegou por aqui foram os Oscarizáveis Adoráveis Mulheres e O Escândalo. O primeiro é totalmente girlpower e adapta para uma nova geração o conto clássico de Louisa May Scott, com Greta Gerwig na direção e um elenco formado por atrizes do nível de Saoirse Ronan, Emma Watson, Florence Pugh e Laura Dern. O longa tem 6 indicações ao Oscar, incluindo melhor filme. Não saindo muito atrás, O Escândalo é representado por três estrelas de suas respectivas gerações, Charlize Theron, Nicole Kidman e Margot Robbie, e aborda o polêmico tema do assédio sexual no local de trabalho. O filme-denúncia descolou três indicações ao Oscar, incluindo para atriz (Theron) e coadjuvante (Robbie). No dia 30, mas já com sessões de pré-estreia, chega Judy – Muito Além do Arco-Íris, que traz uma performance arrebatadora de Renée Zellwegger na pele da icônica Judy Garland – e muitos afirmam que será a futura vencedora na categoria de melhor atriz no Oscar.

Pulando dos filmes de prêmios para produções de entretenimento, igualmente já está em cartaz Ameaça Profunda, thriller que apresenta Kristen Stewart como uma pesquisadora numa base submarina, que precisa lutar por sobrevivência após um acidente destruir o local. Estreando neste fim de semana, Jumanji: Próxima Fase resolve dar maior destaque para a personagem Ruby Roundhouse (Karen Gillan), que rouba grande parte das cenas da aventura.

Conheça abaixo alguns dos filmes mais girlpower que chegarão ainda em 2020

Aves de Rapina

Margot Robbie volta ao papel do ícone pop Arlequina, desta vez num filme solo da personagem – ou quase. Mesmo que Esquadrão Suicida não tenha atingido seu alvo, uma coisa é inegável: a perfeição com que a atriz indicada ao Oscar deu vida à adorada antagonista do Batman. Aqui, ela busca sua emancipação ao terminar com o Coringa e tomar as rédeas da própria vida, fazendo o que sabe de melhor: criar o caos. Assim tem início uma sororidade disfuncional, quando a protagonista se une a outras mulheres, todas muito diferentes entre si, mas com um objetivo maior em comum. Entram em cena a Canário Negro (Jurnee Smollett-Bell), a Caçadora (Mary Elizabeth Winstead), Renee Montoya (Rosie Perez) e Cassandra Cain (Ella Jay Basco). A direção é de Cathy Yan (Dead Pigs). A estreia ocorre no dia 6 de fevereiro.

Aproveite para assistir:

Um Lugar Silencioso – Parte II

Criado como uma obra em família, Um Lugar Silencioso apresentou a primeira colaboração nas telonas do casal da vida real John Krasinski e Emily Blunt. O clima não poderia ser mais íntimo. O terror se tornou um sucesso estrondoso, recolhendo todos os elogios imagináveis da imprensa e lucrando uma bilheteria muito favorável. Justamente por isso, não demorou muito para se arquitetar uma sequência. Desta vez, no entanto, Evelyn (Blunt) é a protagonista absoluta, assumindo a narrativa numa trama onde a mulher é a “chefe” de família. Ela precisará estar sempre um passo a frente das mortais criaturas guiadas pelo barulho, para proteger seus filhos. A direção segue com o maridão Krasinski e a estreia ocorre no dia 19 de março.

Mulan

Mais uma querida animação da Disney ganhará nova roupagem. Desta vez, é Mulan (1998) que recebe uma reimaginação de carne e osso. Adorado por toda uma geração,o filme fala sobre uma jovem honrada, que se torna guerreira e se disfarça de homem para ajudar seu pai e sua família. Esta versão assume formas mais sérias e está sendo tratada como épico medieval com grandes batalhas e sem tantos elementos de fantasia – o que inicialmente causou polêmica entre os fãs. A gracinha Liu Yifei vive a protagonista e promete encantar com seu charme e carisma. Na cadeira de direção, a neozelandesa Niki Caro (Encantadora de Baleias). A estreia acontece no dia 26 de março.

Viúva Negra

A primeira “Vingadora” mulher finalmente ganha seu próprio filme. A Viúva Negra esteve na primeira formação da superequipe da Marvel como membro original, e antes disso já havia debutado com sua participação em Homem de Ferro 2 (2010). São dez anos de casa e oito participações na pele da personagem. Fora isso, Scarlett Johansson está com tudo nesta edição do Oscar com duas indicações ao maior prêmio do cinema: uma como atriz principal (História de um Casamento) e outra como coadjuvante (JoJo Rabbit). Consagrando seu ano, a espiã mais amada da Marvel estrelará seu primeiro filme solo. A trama se passará entre os eventos de Capitão América: Guerra Civil (2016) e Vingadores: Guerra Infinita (2018), quando a personagem precisou fugir e se esconder. Nesta jornada, ela retorna para a Rússia e reencontra velhos companheiros. A australiana Cate Shortland (Lore) é quem comanda na direção. A estreia é no final de abril, no dia 30.

Antebellum

Dos mesmos produtores de Corra! (2017) e Nós (2019), chega este novo terror racial. Desta vez sem a direção de Jordan Peele, substituído pela dupla Gerard Bush e Christopher Renz, diretores de videoclipes estreando no comando de longas para o cinema. A protagonista da vez é a belíssima cantora e atriz Janelle Monáe (Estrelas Além do Tempo), que vive uma autora de sucesso transportada, através de um evento sobrenatural enigmático, para a época da escravidão. Agora, ela precisa decifrar este mistério enquanto vive o pior pesadelo de sua vida. A estreia é prometida para o dia 14 de maio.

Mulher-Maravilha 1984

No início de junho, mais precisamente no dia 4, chega o que é a maior estreia de um filme protagonizado por uma mulher este ano. A Mulher-Maravilha é a maior super-heroína de todas já criadas nos quadrinhos. E seu filme merecia sucesso. Dito e feito, a produção de 2017 foi unânime e fez o público ter fé novamente nos personagens da DC Comics nos cinemas. Dois nomes são responsáveis pelo sucesso da heroína: Gal Gadot e Patty Jenkins. A primeira, uma escolha tida como controversa no início, convenceu os fãs de que esse papel era seu – mesmo tendo feito anteriormente uma aparição “morna” em Batman Vs. Superman (2016). E a segunda, a diretora que realizou o longa, excedendo as expectativas. É natural que a ansiedade atinja novos patamares para esta tão aguardada continuação, que colocará a heroína no ano de 1984, para combater dois grandes vilões: a Mulher Leopardo (Kristen Wiig) e Max Lord (Pedro Pascal). Além de ver o retorno de seu amado Steve (Chris Pine).

Monster Hunter

Ela está de volta! Milla Jovovich é provavelmente uma das maiores atrizes de ação do nosso tempo. Desde O Quinto Elemento (1997), passando por Joana D’Arc (1999) e chegando até a franquia Resident Evil, Jovovich já deu muitos sinais de que distribuir sopapos, piruetas, tiros e escapar de explosões é com ela mesmo. Não é à toa que seus dois últimos companheiros viram tal potencial na moça e ajudaram a transformá-la num ícone do gênero – primeiro Luc Besson e agora Paul W.S. Anderon. É justamente este segundo que investe em um novo projeto, recobrando a parceria de Resident Evil com sua atriz preferida (e esposa na vida real). Buscando uma nova franquia para chamar de sua, o casal adapta para as telonas outro game, este contando a história de uma equipe de militares transportados para outro mundo, precisando lidar com criaturas gigantescas e poderosas. Anderson ainda alista outra atriz durona para ajudar Jovovich nesta empreitada, a nova rainha fitness, Meagan Good (Shazam!). O filme estreia no dia 3 de setembro.

Os Eternos

A Marvel vai apostar no potencial girlpower de suas personagens em 2020. O ano abre com a Viúva Negra. A Feiticeira Escarlate ganhará sua própria série com WandaVision (ainda sem data de estreia definida na Disney+). Mas a grande superprodução do estúdio no ano será mesmo o ambicioso Os Eternos – nova investida da casa numa equipe de super-heróis. Desta vez, a empreitada é em larga escala investindo no universo cósmico de personagens que são verdadeiros Deuses. E já que o assunto é protagonismo feminino, este filme não estaria na lista se a proposta não fosse essa. Para os papeis principais destas entidades, a Marvel escalou nada menos que Angelina Jolie (uma de suas maiores estrelas até o momento), Salma Hayek e Gemma Chan (que já havia aparecido em Capitã Marvel e aqui interpreta outro papel). Fora isso, o estúdio optou por transformar o gênero masculino de vários personagens em feminino, garantindo assim uma maior representatividade no blockbuster. A direção é de Chloé Zhao e a estreia tão aguardada ocorre no dia 4 de novembro.

Harriet

Até o fechamento desta matéria, este filme indicado em duas categorias para Oscar 2020 não possuía data de estreia definida em nosso país. Esperamos que isso mude logo e que a Universal Pictures encontre um jeito de estrear o drama antes da grande noite da sétima arte. Afinal, todos querem conferir a atuação da promissora Cynthia Erivo (As Viúvas). Nesta biografia, a atriz interpreta a líder revolucionária Harriet Tubman, que escapou da escravidão e se tornou uma das heroínas da vida real mais celebradas da história norte-americana, ajudando a libertar outros escravos. Importantíssimo para nossa história como seres humanos, o filme é dirigido por Kasi Lemmons (Amores Divididos), e além da poderosa trama racial, é uma aula de empoderamento feminino.

Legalmente Loira 3

Fechamos a lista com um dos retornos mais aguardados de 2020. Reese Witherspoon, atriz vencedora do Oscar que se encontra na crista da onda de Hollywood na atualidade (principalmente por seus trabalhos na TV, como Big Little Lies e The Morning Show), revive a personagem que a transformou em uma estrela no início da década de 2000: Elle Woods. A Barbie humana mais querida do cinema (isto é, até a própria Barbie ganhar seu filme nas formas de Margot Robbie) estará de volta para mais um round este ano. A trama ainda não foi divulgada, assim como a data de estreia no Brasil. Tudo o que sabemos é que Witherspoon reprisa a personagem e o lançamento nos EUA ocorre no dia 8 de maio.

Menções Honrosas:

Maria e João – O Conto das Bruxas

A representatividade feminina chegou aos contos clássicos infantis. A lendária história de João e Maria ganha uma subversão dando protagonismo para Maria (cujo nome se destaca no título). Para tal, a menina recebe as formas da ótima Sophia Lillis (It: A Coisa). Ela e o irmão se perdem na floresta e precisam enfrentar uma bruxa, como sabemos bem, mas aqui o conto é transformado numa história de terror barra pesada. A estreia ocorre no dia 20 de fevereiro.

The Rhythm Section

Adiado do ano passado para este, devido a um acidente sofrido no set de filmagem pela protagonista Blake Lively em uma das cenas de ação do longa, The Rhythm Section é um thriller de espionagem e vingança. Na trama, Livley interpreta uma mulher atrás dos responsáveis pela queda proposital do avião que se encontrava sua família. Para isso, ela treina e se transforma numa exímia assassina. A estreia é no dia 31 de janeiro nos EUA. O filme ainda não possui lançamento no Brasil.

Promising Young Woman

Por falar em vingança, este suspense protagonizado por Carey Mulligan é um dos chamarizes do Festival de Sundance deste ano. A proposta do longa é ser um ultimato contra os assediadores, tendo uma mulher como justiceira na trilha de todos que saem da linha. Traumatizada por um evento ocorrido em sua vida, a protagonista se torna algoz de todos que passam dos limites e cruzam seu caminho. O filme é prometido para o dia 28 de maio no Brasil.

Comentários