Hollywood desde seus primórdios foi construída para ser uma fábrica de sonhos. A indústria sempre foi também especializada em criar astros e estrelas. Algumas se tornam eternas, outras se apagam rapidamente, no entanto, todas brilham forte em algum momento – mesmo que seja num único filme. Independente do sucesso de um projeto, dos elogios da imprensa para uma obra, ou uma bilheteria fenomenal, a força de um nome pode transcender à do próprio filme.

Sim, Hollywood continua a entregar estrelas a cada nova geração. Com a renovação vem a árdua tarefa de se manter no topo por mais de uma década. Por exemplo, recentemente foi noticiado que o astro Sylvester Stallone com O Esquadrão Suicida, emplacou filmes no topo das bilheterias por seis décadas em sua carreira. Isso é para poucos. E se hoje temos nomes como Scarlett Johansson, Emily Blunt, Charlize Theron, Dwayne Johnson, Chris Hemsworth, Margot Robbie e Vin Diesel, a lista de nomes quentes de trinta anos atrás era igualmente imponente.

Sendo assim, nesta nova matéria iremos revisitar o passado e ver quais estrelas de Hollywood comandavam o show há trinta anos. Algumas permanecem até hoje no topo da cadeia alimentar, outras se ofuscaram e alguns tristemente nos deixaram. Confira abaixo e comente.

Julia Roberts



Uma das estrelas mais queridas de Hollywood ainda hoje, Julia Roberts teve seu divisor de águas na carreira com o sucesso estrondoso de Uma Linda Mulher (1990) – que a rendeu sua segunda indicação ao Oscar (a primeira sendo com Flores de Aço, 1989). Aos 23 aninhos, Roberts estava no topo do mundo e aproveitou a onda para estrelar duas produções badaladas da FOX: o thriller sobre abuso doméstico Dormindo com o Inimigo (um grande sucesso de bilheteria) e o romance dramático Tudo por Amor (que serviu para cimentar sua imagem de namoradinha da América). Finalizando seu produtivo ano de 1991, Roberts foi parte do elenco de Hook – A Volta do Capitão Gancho, de Steven Spielberg.  Apesar do sucesso desta aventura de fantasia, a atriz passava por um momento pessoal difícil e transformou a experiência de todos que trabalharam com ela, inclusive o tarimbado diretor, num verdadeiro inferno. Ainda bem que ela melhorou.

Robin Williams

Aproveite para assistir:

Se tem um ator que deixou saudade por sua partida repentina do mundo do entretenimento, este ator é Robin Williams. Ao adentrar o ano de 1991, Robin Williams já tinha duas indicações ao Oscar em filmes muito queridos pelos fãs: Bom dia Vietnã (1987) e Sociedade dos Poetas Mortos (1989). Há 30 anos, ele fez participação na comédia criminal cult Um Palhaço Suspeito (dirigido e estrelado por Bobcat Goldthwait – o Zed da Loucademia de Polícia) e coadjuvou em Voltar a Morrer, suspense que serviu de veículo para o então casal Kenneth Branagh (que também dirige) e Emma Thompson. Os chamarizes de Robin Williams no ano, no entanto foram O Pescador de Ilusões, drama com doses de surrealismo que foi responsável por sua terceira indicação ao Oscar; e o citado Hook – A Volta do Capitão Gancho, no qual interpretava o protagonista, um Peter Pan crescido e workaholic. Hook é um de seus filmes mais queridos. O ator faleceu em 2014, aos 63 anos.

Macaulay Culkin



Esqueceram de Mim (1990) é um verdadeiro marco do cinema de entretenimento em Hollywood. O filme serviu para transformar o menino Macaulay Culkin, então com 10 aninhos, em uma das figuras mais famosas do mundo. No ano seguinte, seus pais não perdiam tempo em capitalizar em cima da sua imagem e trataram de conseguir outro sucesso para o pequeno: o romance juvenil da Columbia, Meu Primeiro Amor. Se você não chorou com o final deste filme, é melhor checar para ver se ainda tem um coração. Mas não foi o que Macaulay fez há 30 anos, e o astro mirim ainda protagonizou a abertura do clipe de Michael Jackson, Black or White, e ganharia seu próprio desenho animado, Perdido nas Estrelas (Wish Kid).

Demi Moore

Falando em atores mirins, a estrela Demi Moore foi outra que começou a carreira ainda na adolescência, como parte do chamado Brat Pack. O filme que marcaria sua transição para a maturidade artística nas telonas foi Ghost: Do Outro Lado da Vida (1990), grande sucesso do cinema indicado ao Oscar. Assim, Moore era outra que aproveitava sua popularidade para estrelar alguns projetos de renome logo no ano seguinte. Há 30 anos, Demi topou a brincadeira na superprodução da Warner Nada Além de Problemas, uma comédia insana (com Chevy Chase, Dan Aykroyd e John Candy) que era uma mistura entre O Massacre da Serra Elétrica e Beetlejuice. Em seguida foi a vez do subestimado thriller da Columbia (Sony) Pensamentos Mortais. No filme, ela vive uma de duas cabelereiras amigas, abusadas e oprimidas por seus maridos que planejam vingança contra eles. No elenco, seu então companheiro Bruce Willis. Finalizando o atarefado ano da estrela, A Mulher do Açougueiro, da Paramount, trouxe Demi Moore loira pela única vez em sua carreira, num romance com doses de fantasia.

Bruce Willis

Por falar em Demi Moore, seu ex-marido Bruce Willis também via sua popularidade em alta há 30 anos. Willis havia se tornado um dos heróis de ação do cinema e um dos grandes astros da época graças ao sucesso de Duro de Matar (1988). Em 1990, era lançada a continuação Duro de Matar 2 – igualmente bem sucedido e elogiado. Assim, além da participação em Pensamentos Mortais (dando uma força para a então esposa), Willis também fazia ponta no drama de máfia Billy Bathgate – O Mundo a Seus Pés. Porém, outros dois longas eram as verdadeiras apostas de Willis para o ano como protagonista. O primeiro era a superprodução da Columbia Hudson Hawk – O Falcão está à Solta, que misturava aventura com comédia. Depois, O Último Boy Scout, da Warner, era um filme de ação policial mais nos moldes do que astro estava acostumado a estrelar.

Kevin Costner

Todo astro possui seu divisor de águas na carreira e também o auge em sua filmografia. Quando falamos de Kevin Costner, muitos apontariam Dança com Lobos (1990), sucesso arrebatador do Oscar, como sendo este marco profissional. Costner foi produtor, diretor e protagonista do faroeste que revolucionou o gênero. E logo no ano seguinte, há 30 anos no passado, voltava para clamar seu posto no topo de Hollywood. O astro lançava duas das produções mais badaladas daquele período. O primeiro, Robin Hood – O Príncipe dos Ladrões, foi um dos grandes filmes do ano (e terceira maior bilheteria de 1991), uma aventura mais real que reimaginava o herói para os novos tempos. Depois, com JFK – A Pergunta que Não Quer Calar, Costner investia em um drama político sério, do diretor questionador Oliver Stone, sobre a investigação o assassinato do presidente Kennedy.



Jodie Foster

A estrela Jodie Foster se enquadra em dois quesitos apresentados acima. Também foi uma atriz que começou sua carreira na infância, mas ao contrário de muitos não desapareceu e seguiu em ótima forma na fase adulta. Além disso, emplacou também uma bem sucedida carreira como diretora. E tudo começava há 30 anos atrás. O curioso é que o suspense O Silêncio dos Inocentes, um dos maiores sucessos de sua filmografia, não iria ser estrelado por ela. A atriz visada para o papel da agente do FBI Clarice Starling era Michelle Pfeiffer – que pediu um salário muito alto e terminou substituída. Foster topou e saiu da experiência com um Oscar de melhor atriz. Mas o acordo da atriz com o estúdio estipulava que ela pudesse dirigir seu primeiro filme. E assim o fez, entregando no mesmo ano Mentes que Brilham, também protagonizado por Foster como a mãe de um menino prodígio. Finalizando o ano, a estrela fez participação como uma prostituta no filme noir de Woody Allen, Neblina e Sombras.

Keanu Reeves

Muso atual da internet, Keanu Reeves teve sua carreira revigorada pelos fãs graças ao sucesso da franquia John Wick. Muito antes disso, porém, e inclusive antes de Matrix (1999), por exemplo, Reeves já aparecia em sucessos cult do cinema. Há 30 anos, o astro lançava um filme de ação que marcaria época. Ao lado do saudoso Patrick Swayze, o ator estrelava Caçadores de Emoção, sobre um agente do FBI infiltrado numa turma de esportistas radicais que talvez sejam assaltantes de banco. No mesmo ano, mostrando um lado mais dramático de sua atuação, ele participava junto de outro ator que se foi jovem, River Phoenix, no ousado Garotos de Programa. Mas não pense que 1991 acabou aí para Reeves, e o ator ainda entregava a sequência Bill & Ted – Dois Loucos no Tempo. Reeves voltou ao papel na terceira parte da franquia em 2020.

Não deixe de assistir: