Enquanto várias pessoas estão animadas para assistir ao remake de Amor, Sublime Amor, certos fãs estão decepcionados com o fato de Ansel Elgort ainda estar envolvido com o projeto.

O motivo? Acusações de abuso sexual.

As alegações ressurgiram nas redes sociais com o lançamento das primeiras reações ao longa-metragem e ao vários materiais promocionais divulgados pela 20th Century Studios.

Vários internautas fizeram postagens contra as atitudes de Elgort, tecendo comentários condenando seu comportamento predatório e abusivo.



Confira:

Aproveite para assistir:

“Algo sobre os termos ‘Ansel Elgort’ e ‘garota da escola’ estarem juntos não parece certo para mim”.

“Hollywood é hipócrita pra ca****o. Eles fazem seus pequenos eventos e dizem apoiarem os sobreviventes a abuso sexual, fazem o movimento ‘Me Too’, vendem as histórias para os sobreviventes e, então, dão plataforma para os estupradores”.



“Animado para Amor, Sublime Amor e temendo toda a aparição de Ansel Elgort [no filme]”.

“Meu rei sabia lá atrás que Ansel Elgort é só uma mistura entre Jared Kushner e Armie Hammer”.

“Se você não leu essa thred sobre as alegações contra Ansel Elgort (completada com provas), você deveria”.

‘Amor, Sublime Amor’: Remake de Steven Spielberg abre com 96% de aprovação no RT; Confira as críticas!

ENTENDA O CASO

Em junho de 2020, o perfil @itsgabby revelou uma história chocante e desconcertante sobre um encontro casual que teve junto a Elgort pouco antes de fazer 17 anos.

Segundo a postagem, a vítima foi violentada e, durante a relação sexual, ela se debulhou em lágrimas de dor por ser sua primeira vez. Em vez de parar o ato, Elgort forçou ainda mais, dizendo para ela: “temos que te abrir”.



Confira:

“Eu fui sexualmente abusada poucos dias depois de completar 17 anos. Eu só tinha 17 anos. E eles estava em seus 20. Ele sabia o que estava fazendo. Não estou postando isso para ‘persegui-lo’, porque simplesmente não dou a mínima para isso. Estou postando isso para que finalmente possa me curar, e sei que não estou sozinha nisso e que ele fez isso com outras garotas.

Ansel Elgort abusou de mim sexualmente quando eu tinha 17. Eu o tinha chamado no privado do Snapchat. Não achei que ele veria minha mensagem em algum momento e eu era apenas uma criança e fã dele.

Quando tudo aconteceu, em vez de me perguntar se eu queria parar de transar, sabendo que era minha primeira vez e que eu estava soluçando de dor e não queria fazer aquilo, as únicas palavras que saíram de sua boca foram: ‘precisamos forçar’. Eu não estava lá, naquele momento, mentalmente. Eu me desassociei de mim mesma e senti que minha mente estava em outro lugar. Eu estava em choque e não conseguia sair. […] Ele me fez sentir que era assim que sexo deveria ser. Eu era muito jovem e ele sabia disso. Ele também me disse coisas do tipo, ‘você vai ser uma mulher linda quando crescer’. Eu tinha 17. Ele não apenas fez isso, mas me pediu nudes. Eu tinha apenas 17. Ele também pediu um ménage à trois com uma de minhas “amigas da dança” – elas também eram menores de idade e não contaram para ninguém, porque ele disse que aquilo ‘poderia arruinar sua carreira’. […]


Anos mais tarde, eu ainda tenho síndrome do estresse pós-traumático, ataques de pânico e vou para a terapia. Estou pronta para falar sobre isso e quero contar para outras garotas que passaram pela mesma situação que vocês não estão sozinhas”.

A autora do post também postou fotos ao lado de Elgort, provando que realmente esteve ao seu lado:

Em um dos múltiplos comentários em resposta, um outro usuário do Twitter disse que Elgort uma vez havia declarado à GQ Magazine que era “bastante ameaçador” em relação ao sexo:

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: