Desde que chegou ao Brasil no fim de junho, a HBO Max tem feito a alegria dos fãs de filmes, seriados e entretenimento audiovisual com muitas produções de qualidade. No acervo da plataforma constam obras originais da HBO e, claro, grande parte da filmoteca da Warner – constantemente renovada, afinal trata-se de um dos estúdios mais tradicionais de Hollywood. No entanto, a proposta que mais agradou os assinantes foi a mesma que deixou o mercado exibidor dos cinemas de cabelos em pé.

Aproveitando a pandemia e os cinemas fechados, como forma de impulsionar sua plataforma de streaming, a Warner decidiu lançar simplesmente todas as suas produções do ano (incluindo seus maiores blockbusters) de forma simultânea nos cinemas (na época os poucos abertos) e também na HBO Max. Na época, a polêmica rondou a ideia. Agora, outros estúdios decidiram subir a bordo, como a Disney e a Paramount. Ou seja, quem estiver disposto a ir ao cinema e os que preferirem assistir do conforto de sua casa serão atendidos da mesma forma.

No fim do ano passado, Mulher-Maravilha 1984 deu início a tal proposta, após Tenet, de Christopher Nolan, mostrar inviável um lançamento apenas no cinema. Esse ano, na primeira metade já tivemos a estreia de grandes produções da casa como Godzilla vs Kong, Mortal Kombat, Aqueles que Me Desejam a Morte (com Angelina Jolie), o terror Invocação do Mal 3, o musical Em um Bairro em Nova York e a continuação Space Jam: Um Novo Legado. No Brasil, os filmes não saem exatamente de forma simultânea, mas com uma janela de intervalo bem pequena após ter estreado nas telonas. Alguns dos citados acima, inclusive, já se encontram na plataforma e os outros irão estrear em breve.

Pensando nisso, resolvemos criar uma nova matéria para você, fã da HBO Max que não aguenta esperar para assistir algumas das maiores superproduções do ano. E nós não os culpados, afinal no acervo da plataforma em breve estarão alguns dos filmes de maior hype de 2021. Confira abaixo, anote a data da estreia e comente quais são os que você mais aguarda.



O Esquadrão Suicida

O primeiro a chegar é esta espécie de reimaginação do “filme maldito” de 2016, agora pelas mãos do “papa dos quadrinhos” James Gunn – o sujeito por trás do sucesso de Guardiões da Galáxia da Marvel. A estreia aqui no Brasil já ocorre amanhã nos cinemas (5 de agosto). Os que tiverem um pouquinho mais de paciência e quiserem assistir em segurança deverão esperar provavelmente um mês até a estreia na plataforma (quem sabe menos que isso). Margot Robbie volta como Arlequina e isso é quase tudo o que importa. Mas desta vez também temos destaque para novos personagens, como o Sanguinário (Idris Elba) e O Pacificador (John Cena) – este último com uma série própria já em andamento.

Aproveite para assistir:

Caminhos da Memória

O mês de agosto começa fervendo com O Esquadrão Suicida, que promete elevar a temperatura e não deixar a fumaça baixar. Isto é, pelo menos até o fim do mês, quando outra superprodução pega o bastão e igualmente promete velocidade. Trata-se da ficção científica / thriller / drama Caminhos da Memória, estrelada pelo eterno Wolverine, Hugh Jackman. Com fortes ecos de A Origem e do subestimado Estranhos Prazeres (de Kathryn Bigelow), o astro vive um cientista descobrindo uma tecnologia capaz de reviver o passado. Assim, ele mesmo decide usá-la para ir atrás de seu grande amor de sua vida – papel da bela Rebecca Ferguson. O longa marca o debute na direção de Lisa Joy, cunhada de Chris Nolan e um dos grandes nomes por trás do sucesso da série Westworld.



Maligno

No início de setembro é a vez do puro terror com a volta do mestre James Wan. Muitos ficaram receosos com a ausência do cineasta no terceiro filme da franquia Invocação do Mal – que terminou se tornando dono da avaliação mais baixa da trilogia. E foi por causa deste Maligno que Wan abriu mão de dirigir o novo filme do casal Warren. Depois de ter deixado sua marca em grandes produções de ação como Velozes e Furiosos 7 e Aquaman, Wan retorna agora ao gênero que o consagrou para o que parece mais um exemplar pra lá de gélido e de muito medo. Com ecos do clássico Os Olhos de Laura Mars (1978), Annabelle Wallis protagoniza morena na pele de uma mulher com visões muito macabras de assassinatos. Mas não para por aí, ela parece ter um amigo imaginário – que pode ser a própria encarnação do coisa ruim.

Cry Macho

A proposta da HBO Max em relação ao cronograma de lançamentos é boa e não difere muito do que se tinha nos cinemas. Para a segunda metade do ano, os lançamentos serão basicamente duas grandes produções por mês, delineando o início e o fim de cada trinta dias. Dividindo o mês de setembro com o novo terror de James Wan estará uma verdadeira prata da casa da Warner. Não apenas isso, o nonagenário Clint Eastwood é um verdadeiro tesouro do cinema mundial. Tendo completado 91 anos recentemente, o ícone já fingiu aposentadoria algumas vezes no passado. Muitos achavam que seu último trabalho na frente das câmeras seria Gran Torino (2008). Mas eis que o veterano surge em tela em Curvas da Vida (2012) e A Mula (2018). Agora, novamente como diretor e ator, ele protagoniza Cry Macho, baseado num livro, e vive um ex-caubói com a missão de trazer o filho de seu antigo patrão de volta do México para os EUA.

The Many Saints of Newark

Seguindo a trilha do filme de Eastwood, outubro começa com um filme mais sério e adulto. Este voltado a universo criminal. O longa é a pré-sequência de um dos maiores produtos da casa, a querida série de máfia Família Soprano (1999-2007), e funcionará como belíssima homenagem não apenas para os fãs, mas também para o saudoso James Gandolfini, impulsionado para o estrelato na pele do gângster Tony Soprano. No filme, teremos revelada a juventude de Tony – desta vez interpretado pelo filho do ator na vida real, Michael Gandolfini. A caracterização está simplesmente impressionante e segue o apresentado, por exemplo, em Straight Outta Compton (2015), quando O’Shea Jackson Jr. viveu seu pai Ice Cube nas telonas.

Duna



Com paradas nos Festival de Toronto e Veneza em setembro, o novo filme do canadense Denis Villeneuve (A Chegada) aporta repleto de prestígio. Terceiro longa do cineasta no gênero da ficção científica, a superprodução adapta o livro clássico e complexo de Frank Herbert, que serviu de inspiração para muito do que foi feito no gênero no cinema. Uma versão foi lançada em 1984, por David Lynch, e se tornou um fracasso retumbante. O novo chega com a pressão de fazer essa história um sucesso. Se depender do elenco de peso, um dos melhores de anos recentes, o longa já começa ganhando. A estreia ocorre ainda em setembro em muitos lugares do mundo e na segunda metade de outubro nos EUA e Brasil.

King Richard: Criando Campeãs

Tudo a ver com o clima das olimpíadas, este filme poderia se beneficiar se tivesse um lançamento ainda para agosto – para pegar o hype do maior evento esportivo do mundo. Isso porque aqui temos a biografia das irmãs Williams, Serena e Venus, duas das maiores tenistas que já passaram por este planeta. Mas não apenas isso, King Richard foca no empenho de seu pai, o Richard do título, em transformá-las nestas figuras imponentes do tênis e da sociedade. Num clima meio À Procura da Felicidade (2006), Will Smith encarna um sujeito determinado a dar uma vida melhor para suas filhas e sua família. E pode ser que do empenho do ator saia sua terceira indicação ao Oscar. A estreia ocorre em novembro.

Matrix 4

No ano de 2021, a Warner / HBO Max nos trouxe Godzilla vs Kong, Invocação do Mal 3, Mortal Kombat, Space Jam 2 e até um novo Esquadrão Suicida. Mas nenhuma estreia será mais significativa que o quarto Matrix. Na época do lançamento do primeiro, ele não foi por assim dizer um grande fenômeno, mas conquistou uma legião cada vez maior de apreciadores que o redescobriram com o advento do DVD e se tornou um forte divisor de águas para o mercado – graças a uma parte técnica impecável, especialmente feita para ser assistida na mídia digital. Seus efeitos se equiparavam com sua filosofia, que perguntava a questão definitiva: o que é a realidade? A continuações vieram em 2003, ano que ficou conhecido como o ano de Matrix. Agora, passados quase vinte anos, Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss retornam para mais um round. E a promessa? Esperamos nada menos que um grande filme.


Comentários

Não deixe de assistir: