Para muitos o ano de 2020 foi o maior ‘filme’ de terror da história. E esperamos de verdade que em 2021 consigamos derrotar este vilão que é a Covid. Quando falamos em ficção, no entanto, o ano passado nos deu ao menos um grande sucesso no gênero: o ótimo O Homem Invisível. No entanto, como não poderia deixar de ser, 2020 também viu sua cota de fiascos no terror – vide Os Órfãos, O Grito, Maria e João, Ameaça ProfundaOs Novos Mutantes (tido como o primeiro a mesclar terror e super-heróis) e o grotesco A Possessão de Mary.

Fora isso, alguns filmes ainda inéditos por aqui receberam elogios da imprensa lá fora, como o cult Possessor, Run (com Sarah Paulson) e o terrir Freaky – No Corpo de um Assassino. Sem falar em produções lançadas diretamente na Netflix, como os renomadíssimos O Que Ficou para Trás e A Ligação. Se o colosso do audiovisual já era uma potência antes, agora com o fechamento das salas de cinema mundiais por quase um ano, a plataforma de streaming número 1 do mundo ganhou mais força do que podemos imaginar.

Seja como for, sem mais delongas – seja nas plataformas de streaming, ou nos cinemas após a vacina, estes são os filmes de terror mais esperados de 2021.



15 | Shadow in the Cloud

Começamos a lista com um filme ainda pouco conhecido, mas que vem ganhando bastante popularidade. Exibido no Festival de Toronto 2020 (onde fez sua estreia), o longa foi lançado na internet no primeiro dia deste ano nos EUA. Escrito pelo insano Max Landis, o filme mistura ação, guerra e terror, e traz a jovem Chlöe Grace Moretz como uma militar a bordo de um avião durante a Segunda Guerra Mundial. Como se não bastasse, no meio do conflito, bizarras criaturas começam a surgir na aeronave. Devido ao teor do longa, acreditamos que não ocorrerá um lançamento nos cinemas em nosso país.

Aproveite para assistir:



14 | Prisoners of the Ghostland

A esta altura de sua carreira, fica difícil levar o outrora talentoso astro Nicolas Cage a sério. A verdade é que o ator tem feito mais filmes “qualquer nota” do que qualquer outra coisa. No entanto, aqui temos na direção o criativo cineasta japonês Sion Sono, cria de festivais de cinema. Não por acaso, Ghostland vai estrear no Festival de Sundance deste ano. E conta com a bela e carismática Sofia Boutella dando credibilidade à produção. Na trama, um criminoso de longa data precisa jogar no lado do bem para variar, e impedir que uma maldição ocorra, ao mesmo tempo em que tenta resgatar uma jovem desaparecida.

13 | Escape Room 2



Enquanto a sequência de A Órfã (que na verdade será uma pré-sequência) não sai, ficamos com a menina (ou seria jovem) Isabelle Fuhrman em outra franquia de terror. Desta vez ela é o reforço de Escape Room 2, continuação do sucesso da Sony de 2019 sobre as famosas salas de armadilhas – sendo estas bem mortais. A trama é mantida ainda em segredo, assim como a data de estreia.

12 | The Green Knight

Este terror medieval é a reimaginação da história clássica de Sir Gawain e o Cavaleiro Verde. Sobrinho do Rei Arthur e Cavaleiro da Távola Redonda, Sir Gawain (Dev Patel) é desafiado em um jogo mortal pelo misterioso Cavaleiro Verde do título. Muitos atrativos nos fazem ter este como um dos longas mais esperados do ano. No elenco ainda temos Joel Edgerton e a vencedora do Oscar Alicia Vikander. A direção é de David Lowery (da obra-prima Sombras da Vida), um dos cineastas mais inventivos da atualidade. A estreia ocorre no dia 30 de Julho.

11 | Espíritos Obscuros

Outro diretor de muita qualidade chega na lista. Este é o primeiro filme de terror do prestigiado Scott Cooper, que tem no currículo obras viscerais como Coração Louco, Tudo por Justiça e Aliança do Crime. Este foi um dos filmes adiados do ano passado para 2021 e ainda não marcou nova data. Na trama, uma professora e seu irmão policial (Keri Russell e Jesse Plemons) começam a suspeitar que um dos meninos da classe dela esteja envolvido como uma criatura sobrenatural, fruto de uma famosa lenda local.



10 | Army of the Dead

Depois de não ter rendido bons frutos em sua parceria com a DC no cinema, o diretor Zack Snyder volta às origens para um novo filme de terror de zumbis. Aqui, em meio a uma pandemia de mortos-vivos, um grupo de mercenários planeja um roubo audacioso em Las Vegas. O filme será lançado pela Netflix, e quem encabeça o elenco é o grandalhão Dave Bautista.

09 | Halloween Kills – O Terror Continua

O maníaco Michael Myers não tem medo de nada, sobrevive a tudo e já se mostrou osso duro de roer ao longo de seus onze filmes lançados. Mas algo assustou o psicopata, ou ao menos os produtores de seu mais recente longa: o ano de 2020. Halloween Kills foi outro que atrasou sua estreia e pulou para este ano. No filme veremos uma nova matança de Michael, e como conseguiu sair da casa em chamas. Uma das coisas mais legais deste novo longa é a adição dos personagens Tommy e Lindsey, as crianças que Laurie toma conta como babá no primeiro (de 1978) agora adultos e prontos para enfrentar o vilão. A estreia é prometida para outubro, é claro.



08 | Noite Passada em Soho

Particularmente, este é o filme de terror que mais me anima para 2021. Edgar Wright é um de meus diretores preferidos. Mas entendo que por não ser uma franquia, ou tenha um tema, digamos, muito palatável para o grande público, não serão todos que irão concordar. Aqui, o diretor da chamada “trilogia do Cornetto” aposta num longa aparentemente sem elementos cômicos, e traz a nova queridinha de Hollywood Anya Taylor-Joy para protagonizar. Ela vive uma jovem que volta no tempo para a década de 1960 e tem a chance de conhecer seu ídolo na moda. No entanto, é claro que este vórtice temporal acarretará um mau agouro. A estreia é em abril.

07 | A Lenda de Candyman

E se Noite Passada em Soho chega em primeiro para este que vos fala, o reboot da franquia Candyman chega logo atrás. E por que, você pergunta? Simples, caro leitor. Aqui, temos roteiro e produção do novo midas do “terror social” de muito conteúdo, o prestigiadíssimo Jordan Peele – que nos deu maravilhas como Corra! e Nós. Na direção, Nia DaCosta, que irá comandar o segundo Capitã Marvel. Fora isso, essa é tida como continuação espiritual/reimaginação dos filmes dos anos 1990, e terá até mesmo participação do veterano Tony Todd, intérprete de tal bicho papão. O Candyman reaparece em Agosto.



06 | Resident Evil

Agora chega na lista uma franquia adorada por vocês. Por mais que muitos reclamem do que foi feito com Resident Evil no cinema até aqui, é indiscutível que a série tem seus inúmeros fãs. Os seis filmes lançados deixam isso bem claro. Agora é a vez da Sony investir em algo mais fiel aos games e atender à reclamação da outra parte do público. Sendo assim, o novo filme será mais voltado para o terror e não tanto para a ação desgovernada. Kaya Scodelario é quem encabeça o elenco como Claire Redfield. Os mortos-vivos voltam a espreitar em Setembro.

05 | Espiral – O Legado de Jogos Mortais

Você achava que a franquia Jogos Mortais estava saturada após oito filmes? Pense de novo. Tentando trazer frescor a esta nova história, as participações de dois atores tarimbados – que igualmente adicionam representatividade à franquia: Chris Rock e Samuel L. Jackson. Se isso não é chamariz… O curioso é ver Rock como protagonista aqui, na pele de um detetive investigando um caso bizarro, já que o ator é conhecido por suas comédias. A verdade é que adoramos estes elementos inusitados. A estreia ocorre em Maio.

04 | Malignant


Por falar em diretores de terror cultuados, este é um grande favorito de vocês, leitores. James Wan já mostrou que é perfeito, sem defeitos. Tira onda no terror e não deixa a peteca cair quando o tópico é blockbuster – que o diga Velozes & Furiosos 7 e Aquaman. Enquanto não volta para a continuação do Rei dos Mares da DC, Wan decide brincar com uma coisa que sabe bem: nosso medo. Malignant é uma das produções mais enigmáticas do ano. Mas o que sabemos é que tem Wan na direção e que marca sua volta ao terror. E isso já basta. Ah sim, sabemos também que será uma história sem elementos sobrenaturais e trará Annabelle Wallis (Annabelle e A Múmia) protagonizando. A estreia igualmente é um mistério.

03 | Old

Outro filme ainda pra lá de enigmático, Old marca o retorno de outro mestre ao gênero que o consagrou. M. Night Shyamalan conhece como ninguém o céu e o inferno do Olimpo cinematográfico. Aos poucos o cineasta volta às boas com o sucesso. Embora seu seriado Servant tenha recebido muitos elogios da imprensa (com 83% de aprovação), a série parece não ter caído no gosto popular, talvez pela plataforma onde foi lançada (você conhece muita gente que viu?). Aqui, com seu novo filme, ele espera seguir nessa linha dos elogios, mas sendo igualmente abraçado pela popularidade de seus dois últimos filmes, Fragmentado e Vidro. A trama… ninguém conhece ainda, mas o que podemos dizer é que Old traz um trio precioso de jovens talentosas: Eliza Scanlen, Thomasin McKenzie e Abbey Lee. A estreia… ah, isso podemos dizer, será em julho.

02 | Um Lugar Silencioso – Parte II

O melhor filme de terror de 2018 (bem, talvez atrás de Hereditário), Um Lugar Silencioso causou comoção e viveu para se tornar um sucesso surpresa estrondoso. A realidade de um planeta devastado por criaturas monstruosas guiadas pelo som fez os seres humanos viverem em silêncio. Assim, acompanhamos a trajetória mais que tensa de uma família. É claro que tamanho sucesso não poderia parar por aí. Assim, a Parte II saiu rapidamente do papel, novamente protagonizado pela talentosa Emily Blunt. O longa foi um dos que sofreu com a pandemia, justo quando estava em vias de ser lançado. Agora, finalmente poderemos conferi-lo em abril.

01 | Invocação do Mal 3 – A Ordem do Demônio

Não tem jeito. A franquia Invocação do Mal se tornou sinônimo de terror adorado. Apesar de seu jeitão de terror comercial e formulaico, os dois longas anteriores, criados justamente por James Wan, surpreenderam pela extrema qualidade em sua confecção. Apesar de lançados por um grande estúdio, Wan consegue inserir bastante humanidade nos filmes, dando foco à família – tanto dos investigadores quanto dos investigados. Guarda momentos sutis, tanto no que diz respeito ao terror (quem poderia esquecer a cena da brincadeira das palmas no primeiro) quanto em cenas mais intimistas (quando no segundo, o filme desacelera para Patrick Wilson cantar Elvis no violão). Justamente por tudo isso, nos assusta um pouco não ter mais Wan na direção (só na produção) deste terceiro. E nos assusta mais ainda termos o sujeito que “cometeu” A Maldição da Chorona (2019) no comando. Mas… tenhamos fé.

Veja mais:

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE