A década de 1980 começa a fazer 40 anos em 2020. Grandes clássicos exibidos exaustivamente nas sessões diurnas ou noturnas das TVs abertas, e que foram responsáveis pelo início do amor de toda uma geração por cinema, este ano começam a se tornar quarentões. Os anos 80 foram responsáveis pelo que temos hoje em matéria de cinema entretenimento. Foi nesta década que filmes escapistas – cujo único objetivo era a diversão – foram produzidos aos montes. Justamente por isso, o período é guardado com muito carinho pelos fãs da sétima arte.

E quando lembramos dos filmes lançados há 40 anos, produções ainda hoje muito comentadas como O Iluminado, Sexta-Feira 13, Touro Indomável e Vestida para Matar vem logo à mente. Porém, para a surpresa de muitos, nenhum destes longas icônicos e imortais fizeram o devido sucesso em sua época de lançamento, entrando no top 10 dos mais rentáveis.

Pensando nisso, como forma de homenagear o aniversário mais que especial que esta década completa, resolvemos relembrar para vocês os maiores sucessos de bilheteria do cinema lançados há exatos 40 anos. Alguns são filmes muito populares, que continuam a permear nossa imaginação. Outros, terminaram caindo mais no anonimato para as gerações seguintes. Sem mais delongas, vamos conhecer os 10 maiores sucessos do cinema que entram este ano na meia idade.


10 | A Lagoa Azul

Começamos a lista com este que é um verdadeiro clássico da Sessão da Tarde. A história de duas crianças (um menino e uma menina) sobrevivendo sozinhos numa ilha deserta após o naufrágio de seu navio, crescendo e descobrindo a paixão remete diretamente ao bíblico conto de Adão e Eva. Nas formas de Brooke Shields e Christopher Atkins os personagens apaixonaram plateias nos cinemas e depois em suas inúmeras reprises nas telinhas.

Aproveite para assistir:

A atriz ficaria para sempre marcada por sua participação neste longa. Baseado num livro, A Lagoa Azul custou US$4.5 milhões e rendeu aos cofres da Columbia/Sony quase US$60 milhões só nos EUA – determinando assim seu sucesso absoluto. A fama do filme gerou uma continuação intitulada De Volta à Lagoa Azul, lançada em 1991, que é um dos primeiros trabalhos de Milla Jovovich.

09 | Desta Vez te Agarro

Este não possui a mesma fama ressoante nos dias de hoje do que o item acima, em especial para nós brasileiros. No entanto, é preciso levar alguns fatores em conta quando falamos deste filme. Para começar, o nome de Burt Reynolds era um dos mais quentes, saído da década de 1970 e ecoando ainda muito forte pelos 80’s. Reynolds era o que podemos chamar de um verdadeiro astro e falava muito com o público masculino mais velho. Isso numa época em que Schwarzenegger e Stallone ainda não existiam como nomes de peso.

Sempre no papel do durão cara de pau e conquistador, Reynolds viria a fazer fama em diversos filmes de corrida e perseguição de carros – os Velozes e Furiosos da época. Tudo começou com Agarra-me se Puderes (1977), onde vive um malandro fugindo da polícia. O filme fez um baita sucesso para a Universal. Assim, três anos depois chegava a continuação com este Desta Vez te Agarro, e você pode imaginar o entusiasmo. O longa fez mais de US$66 milhões nas bilheterias, com US$10.8 milhões só na estreia – algo muito impressionante para a época.


08 | O Destino Mudou Sua Vida

Sabe aqueles filmes do Oscar que se tornam extremamente populares com o público rendendo igualmente bilheterias grandiosas? Pois bem, há 40 anos, era exatamente onde se encaixava este Coal Miner’s Daughter (no original). Baseada na autobiografia da cantora Loretta Lynn, o filme muito musical relata seu drama de superação, passando de filha vinda de uma família humilde de um funcionário de mina de carvão, até se tornar sensação da música country. A veterana Sissy Spacek, então saída do sucesso de Carrie – A Estranha (1976), solta a voz na pele de Lynn e saiu da experiência com uma estatueta de melhor atriz do Oscar. O Destino Mudou Sua Vida ainda teve 6 outras indicações, incluindo melhor filme. A obra rendeu aos cofres da Universal US$67 milhões.

07 | A Recruta Benjamin

Certamente vocês já ouviram falar em Goldie Hawn. Embora para muitos dos mais novos ela seja conhecida como a mãe da atriz Kate Hudson (uma clone sua), Hawn foi uma estrela renomada em Hollywood durante as décadas de 1980 e 1990. Antes, a atriz chegou inclusive a ganhar seu próprio Oscar como coadjuvante pela comédia Flor de Cacto (1969). Mas o filme responsável por cimentar seu nome entre os grandes da indústria na época foi a comédia dramática A Recruta Benjamin.


A sacada por trás do filme é uma espécie de ‘Loucademia de Polícia’ mais séria, onde Hawn vive uma dondoca socialite aceitando o desafio de se tornar recruta das forças armadas norte-americanas. E como podemos imaginar, mundos irão colidir. Além de fazer de Hawn uma estrela reconhecida mundialmente, A Recruta Benjamin indicou a atriz para seu segundo Oscar (desta vez como protagonista) e obteve mais duas indicações. Fora isso, com um orçamento de US$10 milhões, retornou aos cofres da Warner US$70 milhões somente nos EUA – se mostrando um dos filmes mais populares da época.

06 | Punhos de Aço: Um Lutador de Rua

De muitas formas as carreiras de Burt Reynolds e Clint Eastwood possuem paralelos. É claro, a do segundo foi muito mais bem sucedida, com o astro inclusive ganhando ainda mais destaque como diretor de suas próprias produções e de obras de grande sensibilidade. Sucesso de crítica e protagonista de uma franquia que redefiniu a ação ainda na década de 1970, rendendo cinco filmes (Dirty Harry), Eastwood é um tesouro mundial do cinema. Mas há 40 anos, sua filmografia se emparelhava com a do amigo Reynolds novamente – até finalmente os dois protagonizaram o detetivesco Cidade Ardente (1984).

Aqui, assim como Reynolds em Desta Vez te Agarro, Clint continuava um sucesso recente. Em Doido para Brigar, Louco para Amar (1978), Eastwood era o caminhoneiro Philo Beddoe, que tinha talento para beber, paquerar mulheres e sair no braço em lutas clandestinas. Ah sim, e seu companheiro no filme era o orangotango Clyde. Dois anos depois e a dupla retornava para novas desventuras fanfarronas. Apesar do valor de prazer culposo, Punhos de Aço, com um orçamento de US$15 milhões, retornou aos cofres da Warner US$70.6 milhões nos EUA, demonstrando a força de um gigante do cinema.


05 | Apertem os Cintos… o Piloto Sumiu!

Foi aqui que tudo começou. Os filmes paródia fizeram muito sucesso nas décadas de 1980, 1990 e 2000, com produções como Corra que a Polícia Vem Aí, Top Gang e Todo Mundo em Pânico. Podemos acrescentar inclusive exemplares hoje não tão lembrados como o hilário Top Secret – Super Confidencial. Mas não seria um equívoco apontar ainda para produções de Mel Brooks como alguns dos pontapés iniciais no subgênero, vide O Jovem Frankenstein (1974). Os filmes paródia se tornariam, no entanto, um festival de gags e cenas interligadas por um fiapo narrativo, onde tínhamos reprisado momentos reconhecíveis de outros filmes ou da cultura pop em geral.

Por exemplo, Steven Spielberg tirou sarro dos filmes de guerra em sua comédia escrachada 1941 – Uma Guerra Muito Louca (1979), mas o filme resultou em algo muito longe do sucesso. O primeiro “blockbuster” dos filmes paródia foi este Apertem os Cintos… que descaradamente se aproveitava dos filmes catástrofe para zoar tudo, numa comédia rápida, repleta de tiradas e que de quebra sacaneava sucessos recentes da época, vide Os Embalos de Sábado à Noite. Apertem os Cintos… foi um verdadeiro marco do cinema de humor, gerou uma continuação dois anos depois, e num orçamento de US$3.5 milhões, retornou aos cofres da Paramount impressionantes US$83 milhões somente nos EUA.


04 | Loucos de Dar Nó

Por falar em Mel Brooks, temos a chegada na lista de um ator que protagonizou alguns de seus filmes: Gene Wilder. O saudoso humorista de cabelos loiros enrolados é um dos verdadeiros ícones do cinema norte-americano. E quando falamos no comediante, instantaneamente lembramos de seu grande parceiro nas telas, o igualmente hilário Richard Pryor. Foram quatro filmes juntos, com esta sendo sua segunda colaboração e a mais bem sucedida.

A maioria pode lembrar mais de Cegos, Surdos e Loucos (1989), mas Loucos de Dar Nó encontrou a dupla em seu auge, arrecadando elogios da imprensa e uma bilheteria assombrosa. De fato, a comédia se tornou uma das maiores na carreira de ambos. Na trama, eles são amigos injustamente presos e condenados. Assim, eles precisam se virar com as novas regras da prisão, enquanto planejam uma fuga mirabolante deste verdadeiro inferno. O quarto maior filme de 40 anos atrás custou para a Columbia/Sony um orçamento de US$8.6 milhões, mas rendeu de volta US$101.3 milhões somente nos EUA.

03 | Como Eliminar Seu Chefe

Loucos de Dar Nó e Apertem os Cintos… foram dois enormes sucessos de 40 anos atrás, no entanto, quando o assunto é comédia nenhum conseguiu superar o trio de mulheres em Nine to Five. Embora não tenha se tornado tão icônico assim para as gerações mais novas, o longa chegou inclusive a se tornar uma peça da Broadway.


Protagonizado por um trio de respeito, as presenças de Jane Fonda, Lily Tomlin e Dolly Parton talvez faça muitos quererem redescobrir o longa – que tem muito a dizer sobre o empoderamento e a voz feminina da época. As três protagonistas continuam em atividade e se tornaram personalidades queridas para a garotada de hoje. Na trama, o trio vive secretárias de um sujeito machista e egocêntrico, o que faz dele o alvo perfeito para a vingança destas mulheres subjugadas. Escrito por uma mulher, o filme da FOX teve orçamento de US$10 milhões e rendeu impressionantes US$103 milhões somente nos EUA.

02 | Superman II – A Aventura Continua

É claro que precisávamos ter um blockbuster muito famoso e lembrado até hoje na lista. O primeiro Superman (1978), de Richard Donner, com Christopher Reeve, foi o filme responsável por fazer Hollywood olhar de outra forma para produções baseadas em super-heróis e histórias em quadrinhos. Na época, isso era algo sem precedentes. E se hoje desfrutamos das mais variadas superproduções da Marvel, temos muito a agradecer ao filme original do gênero. Dez anos depois, Batman (1989) elevaria ainda mais o jogo. No interim, Superman ganhava sua tão esperada continuação, mesmo dona de alguns problemas como a troca de diretores.

Muitos fãs, inclusive, consideram esta sequência, onde Superman enfrenta adversários a altura, e onde tudo parece maior, um filme melhor. O curioso é que embora tenha sido lançado em dezembro de 1980 no Brasil e em outros países do mundo, Superman II só estrearia nos EUA em junho de 1981. Um dos maiores orçamentos de seu respectivo ano, o que é sentido na tela, Superman II custou aos cofres da Warner algo em torno de US$54 milhões e viu de volta US$108 milhões somente nos EUA, se tornando a segunda maior bilheteria de 40 anos atrás.

01 | O Império Contra-Ataca

O primeiro Star Wars (Guerra nas Estrelas, 1977) foi o segundo blockbuster da história, mostrando já naquela época que era muito difícil competir com tais filmes. Três anos depois e a continuação saía quentinha do forno, e embora não tão bem sucedida financeiramente, arrancando ainda mais elogios dos críticos e dos fãs. De Fato, o segundo Star Wars a ser lançado é, ainda hoje, considerado por todos como o melhor exemplar da franquia, que possui um total de 11 filmes oficiais. Isso que é moral. Mais sombrio, dono de um final nem um pouco feliz, e um gancho de roer as unhas para a sequência, O Império Contra-Ataca ampliou ainda mais o universo apresentado por George Lucas, adicionou novos personagens interessantíssimos, como Yoda, Lando e Boba Fett, e criou novos mundos, conceitos e cenas para lá de memoráveis.

Darth Vader nunca foi tão ameaçador. Fora isso, possui um dos plot twists mais memoráveis da história do cinema, quando um certo personagem revela sua paternidade para outro. É de explodir mentes. Por incrível que pareça, e o que vemos nas telas, a produção, bancada do bolso pelo próprio Lucas e com distribuição da FOX, custou “apenas” US$18 milhões, ficando bem longe de ser a mais cara de seu respectivo ano – é só ver os orçamentos de Superman II (citado acima), Flash Gordon e Popeye (ambos feitos por US$20 milhões), por exemplo. Já o retorno financeiro fez de O Império Contra-Ataca o terceiro blockbuster da história com absurdos US$400 milhões mundiais.

Bônus: Os Irmãos Cara-de-Pau

Talvez essa produção musical frenética de John Landis hoje receba menos amor do que deveria. Porém, o filme foi um verdadeiro fenômeno, reverenciado como obra cult até hoje. Além disso, viveu para se tornar o filme definitivo do saudoso John Belushi, um dos humoristas mais lembrados da história e que teve breve passagem por nosso mundo.

A trama sobre dois irmãos amalucados, vestidos de ternos pretos, chapéu e óculos escuros, com uma “missão de Deus” a cumprir: salvar um orfanato da falência, era só uma desculpa para muitos números musicais de gente tarimbada do blues em participações especiais, cenas de ação e perseguição insanas e aparições de atores e diretores conhecidos, vide Steven Spielberg. The Blues Brothers teve um dos orçamentos mais inflados de 40 anos atrás, custando US$27 milhões aos cofres da Universal. O retorno, nos EUA, foi de US$57 milhões, mas no resto do mundo fez até mais sucesso, resultando numa bilheteria total de US$115 milhões, se tornando assim um dos grandes filmes de seu respectivo ano.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE