Sim, amiguinhos! A temporada de prêmios já está entre nós. 2018 passou voando, como de praxe, e já estamos no início de 2019. O novo ano já se formou diante de nossos olhos e mais uma edição do Oscar trará o que de melhor passou pelas telas mundiais. É claro que antes da maior premiação do mundo do cinema, outras de grande importância passaram – como os prêmios dos Sindicatos e o Globo de Ouro (ambos fortes termômetros para as indicações nos prêmios da Academia).

Os especialistas já começaram a falar e apontar, e nós do CinePOP também iremos dar nossos pitacos sobre o que pode acontecer amanhã, no anúncio dos indicados. Lembrando que até o dia da cerimônia em si ainda tem chão pela frente e favoritos agora podem perder força, e vice versa. Lembrando também que algumas destas produções ainda não aportaram em nosso país.

Oscar 2019 | MELHOR ATRIZ – Nossos Palpites para as Indicadas

Nasce uma Estrela

No momento, na visão deste que vos fala, apenas quatro filmes estão trancados com a certeza de indicação para o Oscar de melhor filme: Roma, A Favorita, Green Book e Nasce uma Estrela. Começaremos por este que é o mais popular. A estreia com pé direito na direção do ator Bradley Cooper é um dos filmes mais adorados desta temporada. Mesmo que venha perdendo momento, o longa emplacou em importantes premiações como o Globo de Ouro, o BAFTA e o SAG. Sua indicação no Oscar é certa.

Oscar 2019 | Melhor Ator – Nossos Palpites para os Indicados

Green Book: O Guia

10 filmes de terror no Amazon Prime Video para fugir dos problemas…

Aproveite para assistir:

10 Séries de Comédia para Maratonar nas Próximas Semanas

Outro trancado na categoria principal é Green Book, o feel good do ano. Dirigido por Peter Farrelly, especialista em comédias escrachadas e incorretas, o longa fala sobre um tema muito em voga, o racismo. Por esta qualidade, e por abordar o tema de forma mais “sutil”, como fizeram no passado Estrelas Além do Tempo (2016) e Histórias Cruzadas (2011), o filme se torna mais palatável ao grande público. O curioso é que ninguém contava com a aparição e com a força que Green Book teria, lá atrás no início da corrida. O filme, além de três vitórias importantes no Globo de Ouro (entre elas, melhor filme de comédia), foi indicado ao BAFTA e figura como o número 193 entre os 250 melhores de todos os tempos na opinião do grande público no Imdb.

Oscar 2019 | Melhor Atriz Coadjuvante – Nossos Palpites para as Indicadas

A Favorita

É muito bom termos todo ano filmes como A Favorita indicados entre os melhores no Oscar. Este tipo de filme não segue a linha do politicamente correto, e aposta numa atmosfera subversiva e controversa. Mesmo assim, se comparado aos trabalhos anteriores do diretor Yorgos Lanthimos, este filme sobre a corte inglesa é até bem comportado. O longa protagonizado por Olivia Colman, Emma Stone e Rachel Weisz esteve indicado ao Globo de Ouro e é um dos filmes mais elogiados da temporada.

Oscar 2019 | Melhor Ator Coadjuvante – Nossos Palpites para os Indicados

Roma

Chegamos ao último filme certo de receber uma indicação na próxima terça-feira – ao menos na visão deste amigo que vos fala. Esta é também a escolha mais polêmica. Roma, do celebrado Alfonso Cuarón, é um drama estilizado, considerado “filme de arte”, em preto e branco e para piorar a situação de não ter “cara de Oscar”, a obra é uma produção original Netflix. Ou seja, quebra um grande paradigma com a Academia – e terá que enfrentar a fúria dos exibidores (ou algum acordo será feito de tais filmes serem exibidos antes nas salas, como as produções da Amazon – Roma inclusive chegou a passar pelos cinemas). O fato é que Roma tem aparecido bastante nas premiações e Cuarón vem levando tudo como diretor, o que pode refletir nos prêmios da Academia. Fora isso, em matéria de representatividade, Roma também faz por merecer.

Oscar 2019 | Melhor Diretor – Nossos Palpites para os Indicados

Pantera Negra

Pantera Negra é o filme mais popular de 2018 e o maior sucesso do ano. O longa virou sinônimo de representatividade e provou que blockbusters protagonizados por um elenco majoritariamente negro funcionam. E funcionam muito bem. Depois de Corra! emplacar fortemente na edição passada do Oscar – uma mistura de filme de entretenimento com consciência -, chega a hora de Pantera Negra fazer o mesmo. O longa vem aparecendo nas principais premiações e se ficar de fora do Oscar, será uma grande decepção. Se entrar, será o primeiro filme da história do tipo a ter tal honraria. Não é melhor do que tantos outros do gênero, vide O Cavaleiro das Trevas (2008), mas sem dúvidas é o mais importante.

Infiltrado na Klan

Seguindo pela mesma narrativa, Infiltrado na Klan aborda o tema racial de forma fervorosa. Elogiadíssimo em diversos círculos, o longa foi responsável por trazer o controverso cineasta Spike Lee de volta aos holofotes – sumido desde meados da década de 1990. Apesar de seu valor – tanto crítico, quanto de entretenimento – Infiltrando na Klan vem perdendo momento e de todas as premiações em que figurou, não ganhou nada muito importante. Talvez seja o caso de um filme “arroz de festa”, comparece, mas só acompanha. É uma pena, mas a indicação já serve como vitória para Lee ser abraçado novamente pela sociedade de Hollywood.

Vice

Exibido recentemente para a imprensa brasileira, Vice é o novo trabalho do diretor Adam McKay. Saído das comédias escrachadas de Will Ferrell, McKay já emplacou no Oscar há algumas edições com o filme A Grande Aposta (2015). Assim como o filme citado, o novo trabalho do diretor é polêmico ao abordar figuras e fatos recentes da história norte-americana. Ao invés da crise imobiliária e econômica que abalou o país, citada no longa de 2015, desta vez é o radical vice-presidente da era George W. Bush, Dick Cheney, quem ganha os holofotes. O estilo do cineasta permanece, com uma narrativa dinâmica e engraçada, montagem criativa e moderna, e bastante a dizer. Vice, no entanto, permanece uma incógnita entre os indicados.

Se a Rua Beale Falasse

Agora adentramos a parte da lista das hipóteses um pouco mais longínquas. Tudo bem que Se a Rua Beale Falasse é o novo trabalho do celebrado Barry Jenkins (de Moonlight), mas a verdade é que o longa não tem chamado tanta atenção quanto deveria e não tem emplacado com força nas principais premiações – além de ter dividido crítica e público por onde passou. Para quem pretendia ver um novo duelo entre Jenkins e Damien Chazelle – na revanche de La La Land versus Moonlight (os que gostam de ver o circo pegando fogo) -, talvez fique a ver navios. Mesmo assim, não é bom descartar por completo a obra, afinal são dez possíveis indicados.

Bohemian Rhapsody

Este longa faz o caminho inverso de Rua Beale. Aqui, é preciso esconder a polêmica em torno do filme e de seus bastidores e se apegar somente ao sucesso monstruoso que a obra fez junto ao público. Bohemian Rhapsody é um dos grandes sucessos populares da segunda metade de 2018 – mesmo tendo igualmente dividido a crítica. É impossível negar a força da produção e assim como Pantera Negra, a Academia visa dar cada vez mais ouvidos ao popular. A produção mostrou sua força no Globo de Ouro – onde levou para casa o melhor filme de drama (desbancando medalhões como Nasce uma Estrela, Infiltrado na Klan e Pantera Negra) e o de melhor ator para Rami Malek (personificando Freddie Mercury). Fora isso, já se tornou tão querido dos fãs, que é atualmente o número 147 dos 250 melhores filmes de todos os tempos na opinião do grande público. Contra o filme, o fato do diretor Bryan Singer ter sido acusado de assédio e ter sumido do mapa.

O Primeiro Homem

Pois é, depois do controverso Oscar de 2017 – quando La La Land foi o vitorioso por poucos minutos, antes do impeachment – esperava-se um novo embate entre os trabalhos de Damien Chazelle e Barry Jenkins. Afinal, depois de uma grande consagração, os próximos projetos de cineastas em alta ficam sempre no radar. Porém, ambos Rua Beale e O Primeiro Homem – apesar do hype inicial – parecem ter caído no esquecimento coletivo na hora de prêmios. O Primeiro Homem em especial era para ser um dos grandes de 2018, já que celebra um herói americano em tempos tão difíceis. O astronauta Neil Armstrong e seu pouso na lua trazem esperança de uma época mais simples ao público. Nunca se sabe, mas hoje o pensamento é de que o filme decolará apenas em quesitos técnicos (e pode ser que respingue na categoria de atriz coadjuvante).

O Retorno de Mary Poppins

Ainda falando de possibilidades mais remotas, O Retorno de Mary Poppins era um dos filmes mais esperados de 2018 – ou quem sabe dos últimos anos. O original de 1964, protagonizado pela imortal Julie Andrews, teve um saldo de 5 Oscar, incluindo melhor atriz, e outras 8 indicações (entre elas, melhor filme). Tudo bem que não devemos comparar, mas as apostas estavam altas. Amanhã, O Retorno de Mary Poppins e Emily Blunt poderão estar entre os indicados do ano – no entanto, as probabilidades não são grandes. Atriz e filme apareceram no Globo de Ouro, porém, o novo musical não tem arrebatado plateias como esperado. Os tempos são outros…

A Mula

Este, se aparecer, será uma das grandes surpresas do ano. Novo trabalho de Clint Eastwood como diretor, e último trabalho de Clint Eastwood como ator. O veterano anunciou aposentadoria na frente das câmeras após o longa, que conta a história de um idoso necessitado de dinheiro, que termina aceitando um trabalho muito perigoso, transportar drogas através da fronteira. O filme é baseado numa história real. O problema aqui é que não vem sendo muito mencionado e pode passar em branco. Levando em conta que a Academia adora Eastwood (e quem não gosta?) e que Sniper Americano (2014), também dirigido por ele, teve uma carreira parecida – aparecendo somente nos 45 do segundo tempo para arrebatar 6 indicações (entre elas melhor filme, ator e roteiro) e a vitória de edição de som -, A Mula não está totalmente descartado.

No Coração da Escuridão

Outro azarão da noite pode ser este trabalho elogiadíssimo do diretor Paul Schrader – lendário por ter assinado o roteiro de clássicos como Táxi Driver (1976) e Touro Indomável (1980). O filme, que traz Ethan Hawke protagonizando como um padre, estreou no Festival de Veneza de 2017, e depois disso teve uma carreira tímida – porém, sendo muito mencionado em rodas de críticos. No Brasil, sequer cheiro do longa ainda – que pode ser impulsionado caso exploda no Oscar (apesar de um destino em vídeo ser mais provável). O que acontece é que seu lançamento ocorreu na primeira metade do ano, e somente filmes que permanecem na boca do povo durante toda a trajetória, são lembrados em indicações (como o caso de Meia Noite em Paris, Corra! e este ano com Pantera Negra). Se for indicado, First Reformed poderá ocupar a vaga da produção independente do ano.

Outras Possibilidades:

Um Lugar Silencioso
Hereditário
Poderia me Perdoar?
A Esposa
O Peso do Passado
Tully
As Viúvas
O Retorno de Bem
Duas Rainhas
Suprema
Colette
Vox Lux
Vida Selvagem
O Favorito
O Ódio que Você Semeia
Sem Rastros
The Old Man & The Gun
Querido Menino
Boy Erased

15 Séries da Netflix Para Maratonar

15 Séries da Globoplay Para Você Maratonar

15 Séries da Amazon Prime Para Maratonar neste mês

10 reality shows insanos pra você que amou The Circle e Casamento às Cegas

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE