Nostalgia é a palavra de ordem para muitos. E isso é verdade até mesmo quando falamos dos produtores de Hollywood. Ou de que outra forma você explicaria as inúmeras continuações, refilmagens e reinícios de filmes que marcaram época, seja nos anos 80, 90 ou ainda mais antigos. Existem aqueles que afirmam de pés juntos que não se fazem mais filmes como antigamente. Bem, isso é verdade. Em partes porque nossa sociedade mudou tanto que seria impossível replicar certos conceitos hoje. Então, para o bem ou para o mal, as produções audiovisuais da atualidade refletem os nossos tempos. O lado negativo é a crescente onda de reciclagem, como se produtos verdadeiramente originais fossem raros de encontrar.

Todas as histórias do mundo já foram contadas e o resto são pequenas derivações do mesmo. Será? Seja como for, isso não pode ser dito quando falamos de séries de TV. Ao contrário das produções cinematográficas as séries televisivas deram um pulo grandioso em qualidade. Isso porque os seriados estão cada vez mais cinematográficos, tendo a liberdade de contar certas histórias que o cinema de entretenimento não possui mais. É inegável ao olharmos para trás como os programas de TV deixaram de ser puro escapismo serial e se tornaram histórias interligadas, com começo, meio e fim, que afetam diretamente seu resultado ao desfecho – ao invés, digamos, de uma nova história do zero a cada semana.

Apostando na nostalgia e no saudosismo – só para variar – trazemos uma nova matéria. Aqui iremos revisitar com você os programas que faziam sucesso há 30 anos atrás em todos os lares pelo mundo. Vejamos se você de fato já ouviu falar sobre alguma delas. Confira abaixo e comente.

Home Improvement



O programa que revelou o humorista Tim Allen (a voz de Buzz Lightyear nos filmes da franquia Toy Story) e fez dele um astro da TV americana foi um dos maiores sucessos do início dos anos 90 e chegou a ser exibida por aqui no Brasil em um canal a cabo. Conhecida também como “o homem da ferramenta”, esse era o apelido do personagem vivido por Allen, apresentador de um programa que falava sobre reparos domésticos, onde ensinava a cuidar e consertar a casa. A série fez enorme sucesso, durando 8 temporadas até 1999.

Família Dinossauros

Aproveite para assistir:

Essa, tenho certeza, é inesquecível. Sucesso absoluto ao ser exibida de forma inédita na Globo há 30 anos, depois indo parar nas mãos do SBT e finalmente agora está disponível no acervo da Disney+ onde promete sem dúvida cativar uma nova legião de fãs de uma geração mais jovem. Na época a série foi muito definida como “uma resposta ao sucesso de Os Simpsons”, já que trazia uma estrutura familiar bem parecida com o desenho dos personagens amarelos, até mesmo um bebê. É claro, mudando o fato de agora serem dinossauros e não humanos amarelados. O grande atrativo era o artesanato por trás da criação dos dinossauros, através de um misto de roupas de borracha e animatrônicos. Isso, dois anos antes da estreia de Jurassic Park. O seriado durou 4 temporadas até 1994.

Step by Step



 

Outra série familiar, essa comédia infanto-juvenil era exibida na forma de dobradinha em meados da década de 90 no canal Warner lado a lado com Três é Demais (Full House). Aqui também tínhamos uma “casa cheia”, quando um pai solteiro (Patrick Duffy) decide ir morar junto com sua companheira, uma mãe solteira (Suzanne Somers). Ele leva seus três filhos e ela faz o mesmo – jovens que variam desde a infância até o fim da adolescência. O programa ficou no ar por 7 temporadas, até 1998.

Clarissa Sabe Tudo

Outro programa infanto-juvenil, esse era protagonizado pela musa adolescente da década de 90, Melissa Joan Hart. A atriz, é claro, viria a ficar conhecida em sua série seguinte, a cultuada Sabrina – Aprendiz de Feiticeira, que ganhou reboot recentemente na Netflix. Quem sabe algum produtor não se anima de trazer Clarissa de volta também. Aqui, cujo o título original é Clarissa Explains It All, Hart interpreta a adolescente espertinha do título, que vive quebrando a quarta parede e explicando as ações e situações de todos à sua volta para o público. O programa durou 5 temporadas até 1994.

Silk Stalkings

Primeiro seriado de ação policial e investigação da lista, Silk Stalkings fez enorme sucesso durante o início dos anos 90 e trazia uma dupla de detetives “muito quente” desvendando casos de assassinato em Palm Beach, na Flórida. A química dos protagonistas foi o que moldaria, por exemplo, os personagens de Arquivo X e as diversas duplas de parceiros profissionais de sexo oposto, com enorme tensão sexual. Rob Estes e Mitzi Kapture viveram os sargentos Chris Lorenzo e Rita Lee Lance. A dupla estrelaria até a quinta temporada – quando seu arco se encerraria. Na mesma temporada, mas já em 1996, uma nova dupla era introduzida, mas não agradaria o público, sendo logo substituídos pelos sargentos Tom Ryan e Cassy St. John (Chris Potter e Janet Gunn) – que permaneceriam até o final do programa, num total de 8 temporadas, em 1999.

Justiça Final



Quem cresceu durante os anos 90 certamente irá lembrar do juiz Nicholas Marshall, já que essa série (Dark Justice no original) marcou o período em suas exibições à noite na Globo com episódios inéditos. Este que vos fala lembra vividamente de assistir ao seriado durante as férias de verão na casa de praia de um amigo. Homem da lei durante o dia, justiceiro à noite, o personagem principal até lembra o herói cego Demolidor, da Marvel. Aqui, ao invés de um advogado, o personagem principal era um juiz, que saía com sua moto pelas madrugadas atrás dos criminosos que a lei não conseguia alcançar nos tribunais, após o assassinato de sua esposa e filha. O programa durou 3 temporadas até 1993. Uma curiosidade é que o personagem principal mudou de intérprete ao fim da primeira temporada. Isso ocorreu porque o primeiro ano do programa foi filmado na Espanha e com a mudança nas temporadas seguintes para Los Angeles, Ramy Zada não estaria disponível devido à mudança de locações, sendo substituído por Bruce Abbott.

Um Hóspede do Barulho

Se esse título lhe é familiar, você não está enganado. A esta altura não era novidade filmes de sucesso do cinema se transformarem em séries de TV. E aqui temos a versão para as telinhas de uma produção de Steven Spielberg. Trata-se de Harry and the Hendersons (no original), um “derivado” de E.T. – O Extraterrestre, trocando apenas o pequeno alienígena por um pé-grande e o ambiente urbano da cidade, por uma casa rural da família protagonista. Quase nenhum dos principais envolvidos com o filme de 1987 retornou para a série, o que inclui as ausências de Spielberg, do pai da família John Lithgow (substituído no programa por Bruce Davison) e inclusive o intérprete do “gorilão”, Kevin Peter Hall, na série vivido por Patrick Pinney e Dawan Scott. Somente o maquiador Rick Baker, que ganhou o Oscar pela criação do pé-grande no filme, retornava para continuar seu trabalho de excelência também na série. O programa durou 3 temporadas até 1993.

O Elo Perdido

Por falar em adaptações, não são apenas os filmes que ganharam versões para as telinhas, muito comuns nas décadas de 70, 80 e 90. Nessa época, os produtores de Hollywood também requentavam ideias do passado, tirando do forno marcas conhecidas a fim de capturar uma nova legião de fãs. Mas nem sempre dava certo. Missão: Impossível, por exemplo, era uma série que fez muito sucesso nos anos 60, e depois foi trazida de volta nos anos 80 sem o mesmo impacto, antes de virar uma superprodução nos cinemas com Tom Cruise. Aqui algo parecido ocorria. O Elo Perdido fez muito sucesso nos anos 70, ao contar a história da família Marshall, que volta no tempo para a época dos dinossauros. Há 30 anos, uma nova investida foi tentada nesta trama, desta vez focando na família Porter – onde muitos acabaram conhecendo esta história. O programa durou 2 temporadas até 1992 e depois renderia um filme de 2009 com Will Ferrell.


Justiça das Ruas

Todos conhecem bem o ator Carl Weathers. Imortalizado como Apollo Creed na franquia Rocky, foi devido ao seu personagem que o derivado Creed, com Michael B. Jordan pôde fazer sucesso. Weathers apareceu em inúmeros filmes de ação de sucesso nos anos 80, como O Predador (1987) e Action Jackson (1988). Hoje, o ator segue em atividade, marcando presença na famosa série da Disney+ O Mandaloriano, primeiro derivado nas telinhas do universo de Star Wars. Mas o flerte do ator com a TV não é de agora e há 30 anos no passado, ele protagonizava seu terceiro seriado. Em Steet Justice (no título original), Weathers vivia Adam Beaurdreaux, veterano da Guerra do Vietnã, gravemente ferido em combate e resgatado por uma família de missionários. Anos depois, o protagonista agora trabalha como policial e está decidido a encontrar o filho de tal família, agora crescido, ao saber que os pais dele foram mortos. O programa durou 2 temporadas até 1993.

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: