Um dos maiores mistérios da primeira década do século XXI ganhou novo capítulo nesta semana. Um alemão que foi condenado em 2019 por um estupro cometido na mesma cidade em que a menina britânica Madeleine McCann desapareceu, está sendo tratado como principal suspeito no caso. A Netflix lançou um documentário que fez bastante sucesso no ano passado e reacendeu a polêmica sobre o caso e rendeu diversas teorias nas redes sociais. Uma das investigações apresentadas nos episódios traz uma suspeita acerca de um homem em uma van, que estava na mesma região que o suspeito atual.

O caso da menina Madeleine McCann chocou o mundo

O desaparecimento aconteceu em 3 de maio de 2007, em um resort na Praia da Luz, em Algarve, Portugal. Enquanto os pais, Gerry e Kate McCann, jantavam com amigos, a pequena Madeleine sumiu do quarto onde ela dormia com os irmãos gêmeos. Desde então, diversas linhas de investigação foram criadas para tentar entender o que poderia ter acontecido e, segundo a série O Desaparecimento de Madeleine McCann, da Netflix, um dos maiores problemas da investigação foi a não parceria entre os oficiais da Inglaterra e os de Portugal, que levou a rumos diferentes. a polícia portuguesa inclusive havia levantado a possibilidade de envolvimento dos pais de Madeleine.

Na última quinta-feira (4), o jornal alemão Bild publicou uma foto do novo suspeito de ser o responsável pelo sequestro da menina, um alemão de 43 anos chamado apenas de “Christian B“, resultado da investigação conjunta entre as polícias alemã e portuguesa. Mais tarde, o jornal britânico The Guardian fez uma matéria revelando que o nome do suspeito é Christian Brückner, um alemão de 43 anos que tem diversas condenações por tráfico de drogas, roubo, invasão de hotéis e abuso sexual de menores. Além de estar preso desde 2019, quando foi condenado pelo estupro de uma idosa americana de 72 que passava as férias na Praia da Luz, mesma cidade em que Madeleine desapareceu. O crime ocorreu em 2005, dois anos antes do sumiço da menina. Outro ponto que foi levado em conta nas investigações é que ele fazia trabalhos pontuais em hotéis, chegando a ser condenado por roubo em alguns deles.



Tweet do jornal alemão com as primeiras informações sobre o novo suspeito. Foto: Reprodução

Brückner, que está encarcerado na prisão alemã de Kiel, utilizava uma van para circular por Algarve. Na série da Netflix, que acompanha os apontamentos de um investigador particular, um dos suspeitos é justamente um homem transportando sacos para uma van. No entanto, o modelo era diferente. A van do suspeito é uma Volkswagen T3 branca e amarela. Testemunhas confirmaram terem visto uma van com essas especificações no Algarve, na data em que a menina desapareceu. Christian Brückner também dirigia um carro da montadora Jaguar. O veículo foi transferido para o nome de outra pessoa um dia após o sumiço de Madeleine McCann.

As autoridades alemãs presumem que a menina está morta e trabalham para resolver o caso. Já a polícia do Reino Unido ainda acreditam que Madeleine McCann ainda esteja viva. No momento, as autoridades estão ouvindo mais testemunhas buscando depoimentos que indiquem a localização do suspeito no dia do desaparecimento.

Segundo testemunhas, a van branca e amarela do modelo Volkswagen T3 foi vista no região no dia do desaparecimento Foto: Reprodução

O caso chocou o mundo e a imagem de Madeleine aterrorizou diversas crianças e pais na década passada. Houve também uma pressão na Europa para que o caso fosse dado como encerrado, porque, de acordo com a BBC, mais de 11 milhões de libras foram investidas no caso desde 2011, além de ter movido mais de 2 mil policiais e 500 operações de busca.

A série documental O Desaparecimento de Madeleine McCann está disponível na Netflix.

Comentários

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE