O Oscar 2020 acontece no próximo domingo, 9 de fevereiro. Aproveitando a proximidade da data, o CinePOP decidiu ajudar todo mundo que vai participar de bolões preparando uma matéria bem completa com os favoritos, possíveis surpresas e azarões em TODAS as categorias do badalado prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

Isso mesmo, temos apostas para todas as categorias. Quer saber que deve levar Melhor Curta de Documentário? E Melhor Filme, será que 1917 vai confirmar o favoritismo ou teremos surpresas? Só conferir a matéria até o final.

E aí, quais as suas apostas para o Oscar 2020? Participe através dos comentários!

 

MELHOR FILME

Aproveite para assistir:



Deve ganhar: 1917

Pode ganhar: Parasita

Corre por fora: Era uma Vez em Hollywood

Vencedor do Globo de Ouro (Drama), do BAFTA e dos prêmios dos sindicatos dos diretores (DGA) e produtores (PGA), 1917 é franco favorito ao Oscar. O filme dirigido por Sam Mendes – vencedor do Oscar de Melhor Filme com Beleza Americana – é um espetáculo visual e sucesso de crítica. Muito dificilmente sairá do Dolby Theater sem a estatueta mais aguardada da noite. Mas… isso não significa que estamos diante de uma barbada. Parasita vem ganhando muita força nas últimas semanas. O filme da Coreia do Sul faturou mais de US$ 30 milhões nos cinemas americanos, uma marca impressionante para uma produção internacional. Além disso, levou o prêmio de Melhor Elenco no SAG Awards e o de Melhor Roteiro Original no WGA Awards. E não dá para esquecer de Quentin Tarantino e seu Era uma Vez em Hollywood, que conquistou o Critics’ Choice e o Globo de Ouro (Comédia/Musical).

 

MELHOR ATOR 

Deve ganhar: Joaquin Phoenix, Coringa

Pode ganhar: Adam Driver, História de um Casamento

Corre por fora: Leonardo DiCaprio, Era uma Vez em Hollywood

Só uma tragédia tira o Oscar das mãos de Joaquin Phoenix. O ator recebeu sua quarta indicação pelo trabalho em Coringa, que já lhe rendeu um Globo de Ouro, um Critics’ Choice, um SAG Awards e um BAFTA. Adam Driver (História de um Casamento) é aquela aposta para quem quer vencer o bolão sozinho. Se der Leonardo DiCaprio, aí quer dizer que Era uma Vez em Hollywood levará todas as estatuetas possíveis pra casa. Não faz sentido. Se Phoenix levar o Oscar, como deve acontecer, será a primeira vez que dois atores conquistam uma estatueta pelo mesmo personagem – Heath Ledger venceu o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por Batman: O Cavaleiro das Trevas – desde que Marlon Brando e Robert De Niro fizeram isso pelos trabalhos em O Poderoso Chefão 1 e 2.

 

MELHOR ATRIZ 

Deve ganhar: Renée Zellweger, Judy: Muito Além do Arco-Íris

Pode ganhar: Scarlett Johansson, História de um Casamento

Corre por fora: Cynthia Erivo, Harriet

Outra verdadeira barbada. Renée Zellweger já levou tudo que podia por Judy: Muito Além do Arco-Íris e vai levar também o Oscar. Até o momento, já venceu no Globo de Ouro, no Critics’ Choice, no SAG Awards e no BAFTA. Scarlett Johansson (História de um Casamento) e Cynthia Erivo (Harriet) correm muito por fora. Curiosamente, as duas atrizes estão duplamente indicadas no Oscar 2020. Scarlett ainda concorre como Melhor Atriz Coadjuvante, por Jojo Rabbit, enquanto que Cynthia tenta a sorte em Melhor Canção Original, também por Harriet.

 

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Deve ganhar: Brad Pitt, Era uma Vez em Hollywood

Pode ganhar: Al Pacino, O Irlandês

Corre por fora: Joe Pesci, O Irlandês

De fato, não há para onde correr nas categorias de atuação. Todas parecem definidas. Brad Pitt também conquistou o Globo de Ouro, o Critics’ Choice, o SAG Awards e o BAFTA, e deve levar seu primeiro Oscar de atuação. Ele já tem uma estatueta como produtor por 12 Anos de Escravidão. Pitt é um dos principais destaques de Era uma Vez em Hollywood e tem se destacado nos discursos de agradecimento. E vem mais um por aí. A dupla de O Irlandês (Al Pacino e Joe Pesci) surgiram como opções fortes no início da temporada de premiações, mas hoje parecem ter ficado pelo caminho. Não haverá surpresa.

 

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Deve ganhar: Laura Dern, História de um Casamento

Pode ganhar: Scarlett Johansson, Jojo Rabbit

Corre por fora: Margot Robbie, O Escândalo

Mais uma vencedora do Globo de Ouro, do Critics’ Choice, do SAG Awards e do BAFTA. O que foi dito para Brad Pitt vale para Laura Dern. A atriz arrasa em Histórias de um Casamento, mas o fato de nunca ter levado uma estatueta ajudou a transformá-la quase na única opção, ainda mais após a não indicação de Jennifer Lopez (As Golpistas). A dupla indicação de Scarlett Johansson (aqui competindo por Jojo Rabbit) a deixa com remotas chances. Margot Robbie seria uma aposta ainda mais ousada e improvável.

 

MELHOR DIREÇÃO

Deve ganhar: Sam Mendes, 1917

Pode ganhar: Bong Joon Ho, Parasita

Corre por fora: Quentin Tarantino, Era uma Vez em Hollywood

A situação em Melhor Direção é bem parecida com a de Melhor Filme, mas aqui o favoritismo é ainda maior para 1917. Sam Mendes deve levar a estatueta para casa mesmo se seu filme for derrotado na categoria principal. Até aqui, ele conquistou o Globo de Ouro, o BAFTA, o DGA e o Critics’ Choice. Bong Joon Ho dividiu com Mendes o Critics’ Choice e corre bem por fora. E o fato de Quentin Tarantino nunca ter conquistado um Oscar como diretor (ele tem dois como roteirista) pode dar alguns votos para o cineasta.

 

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Deve ganhar: Bong Joon Ho e Jin Won Han, Parasita

Pode ganhar: Quentin Tarantino, Era uma Vez em Hollywood

Corre por fora: Noah Baumbach, História de um Casamento

Aqui talvez esteja a disputa que vai mudar o jogo no Oscar 2020. Parasita já levou o BAFTA e o WGA, mas é sempre bom lembrar que Tarantino não é integrante do sindicato dos roteiristas, então não submeteu seu filme ao último. Assim, se Parasita ganhar mesmo de Era uma Vez em Hollywood na categoria de roteiro, mostrará ao espectador que surpresas ainda poderão acontecer durante a cerimônia. Se perder, praticamente confirma a vitória de 1917 na categoria principal. Conhecido pelo ótimo texto, Noah Baumbach corre bem por fora este ano.

 

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Deve ganhar: Taika Waititi, Jojo Rabbit

Pode ganhar: Greta Gerwig, Adoráveis Mulheres

Corre por fora: Steven Zaillian, O Irlandês

Esta talvez seja a categoria que mais comprova a queda da força de O Irlandês. Quando a temporada de premiações estava para começar, o nome de Steven Zaillian era aposta quase certa, lembrando que já levou uma estatueta por A Lista de Schindler. Mas o tempo foi passando e seu nome foi ficando para trás. Nas últimas semanas, Taika Waititi (Jojo Rabbit) vem mostrando muita força, principalmente após as vitórias no WGA Awards e no BAFTA. No entanto, não dá para descartar o nome de Greta Gerwig (Adoráveis Mulheres), vencedora do Critics’ Choice. Uma coisa que pode favorecer a cineasta é o fato de muita gente ter questionado sua ausência na categoria de Melhor Direção. O voto em Greta pode ser também um voto de protesto/compensação. 

 

MELHOR FILME INTERNACIONAL

Deve ganhar: Parasita

Pode ganhar: Dor e Glória

Corre por fora: Nenhum

Promete ser uma das maiores barbadas da noite. Parasita foi um dos filmes do ano, recebeu seis indicações ao todo e está cotado até para prêmios maiores. Este aqui é aposta certa. Já venceu o Globo de Ouro, o Critics’ Choice e o BAFTA. A única coisa que poderia tirar o prêmio do sul-coreano é se o eleitor da Academia quiser premiar Dor e Glória, de Pedro Almodóvar, achando que Parasita ganhará outras coisas. Mas é difícil. Uma vitória de qualquer outro seria das maiores zebras da história da premiação.

 

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO

Deve ganhar: Klaus

Pode ganhar: Toy Story 4

Corre por fora: Link Perdido

Em um ano em que as principais animações foram continuações como Toy Story 4, Como Treinar o Seu Dragão 3 e Frozen 2 (que nem indicado foi), o prêmio da Academia deve privilegiar o novo. Vencedor do Annie Awards e do BAFTA, Klaus tem surgido como favorito nas últimas semanas. E tem tudo para levar. O quarto Toy Story, que levou o Critics’ Choice e o PGA Awards, e Link Perdido, vencedor do Globo de Ouro, correm por fora.

 

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Deve ganhar: Indústria Americana

Pode ganhar: For Sama

Corre por fora: Democracia em Vertigem, Honeyland e The Cave

A categoria mais em aberto no Oscar 2020. Todos os indicados possuem chance de premiação. O favoritismo está com Indústria Americana, pois é uma história mais conectada com os Estados Unidos, que trata de um tema super atual, conta com a força da Netflix na divulgação e ainda tem o apoio oficial do casal Barack Obama e Michelle Obama. E foi o único doc a concorrer no BAFTA, no Critics’ Choice e no PGA, embora não tenha levado nenhum deles. Não por acaso, o vencedor do BAFTA For Sama surge como principal ameaça. Mas não dá para descartar os demais. Honeyland foi tão bem recebido que também concorre na categoria Melhor Filme Internacional, enquanto que Democracia em Vertigem tem conquistado bastante espaço na mídia nos últimos tempos. Por último, The Cave trata de um tema urgente e atual, sobre médicas mulheres atuando na Síria, num ambiente marcado pelo sexismo.

 

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

Deve ganhar: “(I’m Gonna) Love Me Again”, Rocketman

Pode ganhar: “Stand Up”, Harriet

Corre por fora: “I Can’t Let You Throw Yourself Away”, Toy Story 4

Uma categoria bem incerta. Não pela forte disputa, mas por não termos músicas realmente marcantes. “(I’m Gonna) Love Me Again”, composta por Elton John para Rocketman, desponta como favorita após ganhar o Globo de Ouro e o Critics’ Choice. Mas não dá para descartar a vitória de “Stand Up”, canção de Harriet composta por Cynthia Erivo e Joshuah Brian Campbell. E é justamente o nome de Erivo que pode ajudar a canção. Ela também está concorrendo na categoria de Melhor Atriz pelo trabalho no filme. E mais que isso: é a única atriz negra em todas as categorias de atuação. Isso pode dar alguns votos de “compensação” para ela na categoria de Canção Original. Toy Story 4 aparece como zebra apenas pela força do nome do compositor Randy Newman.

 

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

Deve ganhar: Coringa

Pode ganhar: 1917

Corre por fora: Adoráveis Mulheres

Para desespero da pessoa que precisar ler o nome da compositora na premiação, Hildur Guðnadóttir tem tudo para levar a estatueta para casa pelo trabalho em Coringa. A compositora já levou o Critics’ Choice, o Globo de Ouro, o BAFTA e o prêmio do sindicato da categoria. Em sua 15ª indicação (sem nenhuma vitória), Thomas Newman deve ficar no quase pelo trabalho em 1917. O trabalho de Alexandre Desplat em Adoráveis Mulheres também foi muito elogiado, mas é azarão.

 

MELHOR MONTAGEM

Deve ganhar: Parasita

Pode ganhar: Ford vs. Ferrari

Corre por fora: Jojo Rabbit

São raras as vezes em que o favorito ao Oscar de Melhor Filme não está indicado ao prêmio de Montagem, mas há de se destacar que há uma peculiaridade neste ano, uma vez que 1917 por simular planos-sequências não reforça tanto o trabalho do montador. Sem o franco favorito das categorias técnicas, o prêmio pode acabar na mão de Parasita, montado por Jinmo Yang. O filme sul-coreano foi o vencedor do prêmio do Sindicato dos Montadores (ACE) na categoria Drama. Os trabalhos de Andrew Buckland e Michael McCusker em Ford vs. Ferrari, vencedor do BAFTA na categoria, e de Tom Eagles em Jojo Rabbit, que levou o prêmio do sindicato dentre as comédias, também são apostas para a estatueta. 

 

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

Deve ganhar: 1917

Pode ganhar: O Irlandês

Corre por fora: Era uma Vez em Hollywood

Uma das maiores barbadas do Oscar 2020. Se Roger Deakins sair da noite sem uma estatueta será uma zebra gigantesca. 1917 chama atenção justamente por sua fotografia. O trabalho em plano-sequência é fabuloso e marcante. Muito dificilmente não será premiado. Lembrando que Deakins recebeu sua 15ª indicação ao Oscar em 2020. Ele tem uma única estatueta, pelo trabalho em Blade Runner 2049. Ele já levou o BAFTA e o prêmio do sindicato da categoria. Rodrigo Prieto (O Irlandês) e Robert Richardson (Era uma Vez em Hollywood) são apostas para quem quiser ganhar o bolão sozinho.

 

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

Deve ganhar: Era uma Vez em Hollywood

Pode ganhar: 1917

Corre por fora: Parasita

Muito dificilmente o trabalho de Barbara Ling e Nancy Haigh em Era uma Vez em Hollywood é realmente impressionante e franco favorito ao Oscar. O filme de Quentin Tarantino conta com uma reconstituição da Los Angeles do final dos anos 90, com grandes méritos da direção de arte e do design de produção. O longa venceu o prêmio do sindicato na categoria filme de época e o Critics’ Choice. 1917, com Dennis Gassner e Lee Sandales, também aparece forte na categoria, tendo conquistado o BAFTA. Corre muito por fora o trabalho de Ha-jun Lee e Won-woo Cho, em Parasita, que levou o prêmio do sindicato na categoria filme contemporâneo. 

 

MELHOR FIGURINO

Deve ganhar: Adoráveis Mulheres

Pode ganhar: Jojo Rabbit

Corre por fora: Era uma Vez em Hollywood

Entra ano, sai ano e os votantes da Academia seguem privilegiando figurinos de época nesta categoria. E em 2020, o resultado não deve ser diferente. Vencedor do BAFTA, o figurino criado por Jacqueline Durran para Adoráveis Mulheres chega como principal favorito na categoria. Mas também não dá para ignorar os trabalhos de Mayes C. Rubeo (Jojo Rabbit) e Arianne Phillips (Era uma Vez em Hollywood).

 

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO

Deve ganhar: O Escândalo

Pode ganhar: Coringa

Corre por fora: 1917

O prêmio de Maquiagem e Penteado deve ser o Oscar de consolação para O Escândalo, filme que chegou com menos força do que o esperado na temporada. Mas aqui parece bem improvável que não seja premiado. O longa já recebeu o Critics’ Choice, o BAFTA e o prêmio do sindicato em três das cinco categorias (efeitos especiais de maquiagem, penteado contemporâneo e maquiagem contemporânea). Premiado pelo sindicato na categoria maquiagem de época, Coringa surge como zebra.

 

MELHOR EDIÇÃO DE SOM

Deve ganhar: Ford vs. Ferrari

Pode ganhar: 1917

Corre por fora: Coringa

Não é incomum ver gente se referindo às categorias de som como sendo a mesma coisa. E isso acontece inclusive dentre membros da Academia, que deveriam entender que são coisas bem distintas. Geralmente, um mesmo filme ganhar as duas categorias, mas uma disputa muito próxima entre os principais favoritos pode bagunçar um pouco. A força de 1917 deve render boa parte das vitórias nas categorias técnicas, mas aqui é a principal chance de Ford vs. Ferrari fazer um barulho (som trocadilhos). O trabalho de edição de som do longa sobre automobilismo é fantástico, seja no que diz respeito aos efeitos sonoros e folley.

 

MELHOR MIXAGEM DE SOM 

Deve ganhar: 1917

Pode ganhar: Ford vs. Ferrari

Corre por fora: Coringa

Vencedor do BAFTA na categoria, 1917 chega um pouco mais forte na disputa. Mas, aqui, também não dá para descartar Ford vs. Ferrari, premiado pelo sindicato. 

 

MELHORES EFEITOS VISUAIS

Deve ganhar: O Rei Leão

Pode ganhar: O Irlandês

Corre por fora: Vingadores: Ultimato

A categoria de efeitos especiais traz a disputa entre Marvel e Martin Scorsese. E tanto Vingadores: Ultimato quanto O Irlandês possuem chances de estatueta. Mas quem parece chegar como favorito é O Rei Leão. Apesar de ser um fracasso de crítica e decepcionar muita gente, o filme é um deslumbre visual. O trabalho de efeitos do filme é tão impressionante que chegou a ser chamado de live-action por muita gente, mesmo não contando com um ator ou gravação em cenário.

 

MELHOR CURTA-METRAGEM

Deve ganhar: Brotherhood

Pode ganhar: The Neighbors’ Window

Corre por fora: A Sister

Produzido na Tunísia, Brotherhood é o principal favorito na categoria de Melhor Curta. O filme de Meryam Joobeur tem feito uma bela carreira até aqui, tendo sido premiado no último Festival de Toronto. Há rumores até que pode ser transformado/adaptado em um longa-metragem no futuro. The Neighbors’ Window, do diretor indicado ao Oscar Marshall Curry, também tem chances.

 

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO 

Deve ganhar: Hair Love

Pode ganhar: Kitbull

Corre por fora: Sister

Geralmente, pouca gente dá atenção às categorias de curtas, mas temos ótimos filmes no Oscar 2020. E provavelmente teremos uma disputa entre Sony Animation e Pixar. A primeira é responsável por Hair Love, de Matthew Cherry, que conta a bela história de um homem negro que tenta ajudar a jovem filha a pentear o cabelo. É delicado e incrível. E prepare-se: você vai chorar. Já o segundo é Kitbull, de Rosana Sullivan, divertida e sensível animação sobre o encontro de um gatinho de rua com um pitbull abusado pelo dono. O curta chinês Sister, de Siqi Song, corre por fora.

 

MELHOR CURTA DE DOCUMENTÁRIO

Deve ganhar: Learning to Skateboard in a War Zone (If You’re a Girl)

Pode ganhar: Life Overtakes Me

Corre por fora: St. Louis Superman

Vencedor do BAFTA e exibido no Festival de Tribeca, Learning to Skateboard in a War Zone (If You’re a Girl) é o principal favorito na categoria de curta documental. Dirigido por Carol Dysinger, o doc conta a história de jovens garotas que tentam aprender a ler, escrever e andar de skate em Cabul, no Afeganistão. A força da Netflix pode ajudar Life Overtakes Me, mas muito dificilmente o favorito não levará a estatueta para casa.

Não deixe de assistir:


SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE