Musa do cinema adolescente dos anos 1980, Kelly Preston faleceu no último domingo 12 de julho, aos 57 anos, vítima do câncer de mama. Em 1991, a atriz se casou com o astro John Travolta, união que permaneceu até sua morte. O casal teve três filhos.

De origem havaiana, Preston começou sua carreira há exatos 40 anos, com uma participação na clássica série policial Hawaii Five-O (em 1980) – série que ganhou nova versão em 2010. Conhecida por sua beleza exuberante, ela ficaria marcada em seu início de carreira como a garota dos sonhos de adolescentes no colégio. E logo depois ela alçaria voos mais ambiciosos.

A atriz somava mais de 70 créditos em seu currículo, entre participações em filmes, séries de TV, curtas e filmes televisivos. Como forma de homenagem a esta artista carismática e por vezes subestimada, o CinePOP destaca seus trabalhos mais marcantes.

Admiradora Secreta (1985)

Recentemente, escrevi sobre esses dois trabalhos iniciais da carreira de Kelly Preston na matéria dos filmes de comédia da Sessão da Tarde dos anos 1980. Como dito, a atriz ficaria marcada como uma das musas de tais longas. Aqui, ela era a garota mais popular do colégio, por quem o protagonista C. Thomas Howell se apaixona e resolve escrever uma carta se declarando. É claro que este é só o início da confusão, já que o papel irá parar na mão de todos. Preston viria a contracenar novamente com Howell no drama A Tiger’s Tale (1987).

10 filmes de terror no Amazon Prime Video para fugir dos problemas…

Aproveite para assistir:

10 Séries de Comédia para Maratonar nas Próximas Semanas

A Primeira Transa de Jonathan (1985)

No mesmo ano, Preston basicamente reprisaria seu papel, como alvo da paixão de outro jovem nerd, desta vez numa comédia dramática passada na década de 1950. O filme é mais afetuoso do que se pode imaginar pelo título. De forma propícia, o nome de sua personagem aqui é Marilyn. No filme, Preston contracenava com outra musa do cinema jovem 80’s: Catherine Mary Stuart.

SpaceCamp: Aventura no Espaço (1986)

Um dos temas recorrentes para filmes juvenis na década de 1980, eram as aventuras espaciais. E aqui, nesta ambiciosa ficção para toda a família, a verdadeira nata adolescente de Hollywood era reunida – mesmo que o resultado não tenha sido o esperado. Lea Thompson (De Volta para o Futuro) e Joaquin Phoenix (na época conhecido como Leaf Phoenix – ou “Folha” Phoenix / sim, filho de pais hippies) eram o destaque ao lado de Preston.

Irmãos Gêmeos (1988)

Este foi o momento em que Kelly Preston deixou os filmes adolescentes de lado, e se mostrou uma mulher em projetos mais adultos e de renome. E o que melhor para isso do que atuar ao lado de um dos maiores astros da época, Arnold Schwarzenegger. Esta foi a primeira comédia de sucesso da carreira do austríaco e Preston marcava presença fazendo par com o musculoso.

Os Espertinhos (1989)

Foi aqui que a atriz conheceu seu futuro marido, John Travolta. O casal viria a se casar dois anos depois do lançamento desta comédia que tira um sarro com a paranoia da Guerra Fria e o pavor que os americanos tinham da União Soviética. Depois desta estreia juntos nas telas, o casal voltaria a contracenar em A Reconquista (2000), Surpresa em Dobro (2009) e Gotti: O Chefe da Máfia (2018) – a última aparição da atriz nas telas. Infelizmente, todas as colaborações da dupla não atingiram o esperado.

Jerry Maguire – A Grande Virada (1996)

O filme de maior prestígio na carreira de Kelly Preston, o drama romântico Jerry Maguire foi indicado a 5 Oscar, incluindo melhor filme e ator para o protagonista Tom Cruise. Na trama, Preston era a ex-namorada ambiciosa de Cruise.

A Lente do Amor (1997)

Aqui ocorria um encontro com outros dois grandes nomes saídos dos anos 1980, Meg Ryan e Matthew Broderick. Os citados interpretam os companheiros traídos, e Preston era quem pulava a cerca ao lado de Tchéky Karyo.

Por Amor (1999)

Em sua carreira, Kelly Preston também trabalhou com grandes diretores. E Sam Raimi foi um deles. Ponto fora da curva na carreira do cineasta, este longa é um romance, com a temática do esporte por trás – especialidade do astro Kevin Costner, que protagoniza. Preston constantemente era escalada para papeis coadjuvantes, mesmo dentro de histórias românticas – geralmente o elo mais fraco do triângulo. Este, porém, foi um dos casos em que protagoniza absolutamente o caso de amor nas telas.

Voando Alto (2003)

Kelly Preston teve uma breve conexão com o Brasil. Ela ocorreu na produção Voando Alto, dirigida pelo carioca Bruno Barreto (Dona Flor e Seus Dois Maridos, 1976). Na trama, Preston foi uma das três comissárias de bordo protagonistas, nesta comédia leve e despretensiosa. Completando o trio estão Christina Applegate e a vencedora do Oscar Gwyneth Paltrow.

Super Escola de Heróis (2005)

Antes da febre insofreável dos filmes de super-heróis, e até mesmo do início da Marvel Studios, a mesma Disney tratou de tirar sarro com o gênero, nesta comédia família. Aqui, era apresentado um colégio para super-heróis. Kelly Preston e Kurt Russell (mais um grande nome dos 80’s) interpretavam os pais poderosos do jovem protagonista.

Sentença de Morte (2007)

Dirigido por James Wan (Invocação do Mal e Aquaman), este suspense no estilo Desejo de Matar traz Kevin Bacon como um homem comum, pai de família, que decide se vingar de uma gangue de criminosos após o assassinato de seu filho. Preston interpretou a esposa de Bacon, fazendo assim outra vez par com um grande nome dos anos 1980.

A Última Música (2010)

Pode ser dito que este romance juvenil foi o último trabalho famoso da carreira de Kelly Preston – que depois faria apenas participações em projetos menores, ou que passariam em branco. Baseado no livro do romancista Nicholas Sparks – especialista neste tipo de material -, o longa traz a jovem estrela da música Miley Cyrus no papel principal. Preston interpretou a mãe da protagonista. Os fãs do filme lamentaram a morte da veterana.

Trabalho Póstumo

Os últimos trabalhos como atriz de Kelly Preston foram a participação no extinto seriado CSI: Cyber (2015-2016), protagonizado por Patricia Arquette, no qual ela esteve em três episódios em 2016; e no citado Gotti (2018), ao lado do marido John Travolta. No entanto, a atriz deixou um trabalho póstumo, que se encontra em fase de pós-produção, sem data de estreia definida. Trata-se da comédia Off the Rails, que fala sobre um trio de amigas em seus 50 anos, decidindo recriar uma viagem pela Europa. Preston é a personagem principal do longa inédito.

15 Séries da Netflix Para Maratonar

15 Séries da Globoplay Para Você Maratonar

15 Séries da Amazon Prime Para Maratonar neste mês

10 reality shows insanos pra você que amou The Circle e Casamento às Cegas

Não deixe de assistir:

SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE