Matrix Resurrections‘ estreou na HBO Max e muitos assinantes que assistiram ao filme ficaram com uma dúvida.

Os trailers já haviam deixado claro que o Morpheus de Lawrence Fishburne poderia não fazer parte da trama. Isso porque o personagem agora é vivido por Yahya Abdul-Mateen II (‘Aquaman’).

Mas o que aconteceu com o Morpheus original?

Um dos aspectos mais interessantes de ‘Matrix Resurrections‘ é que a trama se passa 60 anos após os eventos de ‘Matrix Revoltuins‘, e quase todos os personagens da trilogia morrendo ao longo do tempo.



Neo (Keanu Reeves) e Trinity (Carrie-Anne Moss) tiveram suas vidas prolongadas pelas máquinas, embora o único rosto familiar no mundo real seja o de Niobe (Jada Pinkett Smith), agora já idosa.

Aproveite para assistir:

Isso significa que o Morpheus de Lawrence Fishburne já morreu há muito tempo, e parece que os eventos do jogo ‘The Matrix Online‘ (2005) são canônicos.

No jogo, Morpheus se tornou o líder do Conselho Humano, exigindo o recuperação do corpo de Neo da cidade das máquinas para provar que ele morreu na tentativa de libertar os humanos da opressão das máquinas.

Sem seu desejo uma resposta, ele começa uma série de ataques terroristas destinados a expor o artifício da Matrix a todos.



Durante um de seus ataques, ele é surpreendido e morto por uma figura mascarada, e parece que é assim que sua história termina, oficialmente.

No novo filme, vemos uma estátua em sua homenagem, indicando que ele ainda é uma figura histórica importante para todos os humanos libertos.

De qualquer forma, sua influência ainda é sentida, já que o Morpheus de Yahya é um programa criado por Neo a partir das memórias do Morpheus original.

Ao longa da trama, descobrimos que ele foi criado por Neo enquanto o herói tentava entender a origem de seu propósito na Matrix.

É explicado que Neo só se tornou o escolhido por conta de uma “reflexão algorítmica de duas forças que o ajudaram a ser tornar quem ele deveria ser”, e essas duas forças foram o Morpheus e o Agente Smith da trilogia original.



Basicamente, o personagem de Yahya é a conexão dos códigos de Smith e Morpheus, e o código de Morpheus acabou prevalecendo em sua composição.

Assista a nossa crítica:

Não deixe de assistir: