Após anunciar algumas mudanças em sua diretriz de trabalho, basicamente convidando os colaboradores a deixar a empresa caso não concordem com o conteúdo presente na plataforma, a Netflix anunciou a demissão sumaria de pelo menos 150 funcionários norte-americanos.

Dentre algumas justificativas da companhia, a principal foi a desaceleração de crescimento no mercado. Segundo as informações da Reuters, a demissão em massa representa uma perda de 2% da força de trabalho do serviço de streaming nos EUA e Canadá.

A Netflix emitiu um comunicado oficial sobre a decisão:

“Essas mudanças são impulsionadas principalmente pelas necessidades dos negócios, e não pelo desempenho individual, o que a torna especialmente difícil, pois nenhum de nós quer dizer adeus a esses grandes colegas”, disse a empresa. “Estamos trabalhando duro para apoiá-los nessa transição muito difícil”.


De acordo com o The Wall Street Journal, a crise entre a Netflix e seus funcionários pode ter tido como estopim o apoio da empresa ao comediante Dave Chappelle após seu especial de stand-up ‘The Closer‘. O programa presente no catálogo do serviço de streaming foi acusado de transfobia.

Aproveite para assistir:



Lembrando que o caso gerou protestos nos Estados Unidos. Na época, Ted Sarandos, co-presidente executivo e diretor de conteúdo da Netflix, defendeu o programa de Dave Chappelle em e-mails enviados à equipe.

Não deixe de assistir: