Recentemente aqui no CinePOP lançamos uma enorme matéria mapeando tudo que de melhor e mais interessante o ano de 2022 trará nas telonas. Filmes de todos os tipos e todos os gêneros embalarão os próximos doze meses nas salas de exibição, conforme o público se sente cada vez mais confortável para retornar a estes verdadeiros templos da sétima arte. Essa matéria, dividida em duas partes para melhor apreciação, já pode ser encontrada no site. Agora, no entanto, iremos nos aprofundar um pouco mais num gênero que adoramos e sabemos que vocês também: o terror.

O ano de 2022 trará os retornos de alguns novos mestres do terror, como Jordan Peele, Ari Aster e Robert Eggers. O ano também acomodará velhos ícones do gênero, como Michael Myers, Pinhead e seus Cenobitas, Leatherface e, é claro, Ghostface. Além de marcar a estreia de um nome promissor no gênero, a atriz transformada em diretora Olivia Wilde. É muita coisa boa, então sem mais delongas se prepare para anotar tudo e ficar ligado para quando essas produções irão estrear por aqui. Confira abaixo e não esqueça de comentar dizendo quais as suas mais esperadas.

Pânico

Curiosamente, como muitos de vocês já devem saber, o quinto filme da franquia de terror sobre adolescentes em perigo e um maníaco usando uma fantasia conhecida como Ghostface, não trará o número cinco em seu título e será conhecido apenas como Pânico, assim como o original. Confuso, não? Seja como for, não se engane, esse é quinto filme da série iniciada lá atrás em 1996, que está completando 25 anos de lançamento em 2021. Essa será a primeira vez que um destes longas não contará com a direção do saudoso Wes Craven – falecido em 2015. Em seu lugar, a dupla responsável pelo elogiado Casamento Sangrento (2019). Apesar da ausência de Craven, o elenco original marca presença, com as voltas de Neve Campbell, Courteney Cox e David Arquette reprisando seus personagens. Dos estreantes, as presenças de Melissa Barrera (Em um Bairro de Nova York) e Jack Quaid (The Boys). A estreia é logo logo, do no dia 13 de janeiro.



Nope

Por falar em novos mestres do cinema, em 2022 teremos o retorno triunfal do grande Jordan Peele. O diretor inicialmente havia ficado conhecido por outro gênero completamente oposto do qual reina hoje: a comédia. Seus primeiros trabalhos que atraíram atenção foram humorísticos. Sem abandonar completamente essa essência, Peele começou a fazer filmes de terror que ao mesmo tempo em que são assustadores, funcionam também como sátiras de humor bem ácido e como críticas sociais – sempre realizando obras representativas, vide Corra! (2017) e Nós (2019). Assim, seguindo nessa linha, muito pouco sabemos sobre seu novo trabalho, além do título Nope, o elenco que conta com Daniel Kaluuya e Keke Palmer e a distribuição da Universal. Ah sim, a estreia acontece no dia 21 de julho.

Aproveite para assistir:

The Northman

Assim como Jordan Peele, que com dois filmes conseguiu escrever sem nome como um dos cineastas mais promissores em um gênero específico na atualidade, esse longa segue por uma linha parecida. O diretor aqui é o jovem talentoso Robert Eggers, que em seu filme de estreia, A Bruxa (2015), causou frisson nos cinéfilos e se tornava um diretor cult. A diferença entre as obras de Peele e Eggers é justamente essa, enquanto o primeiro carrega na crítica social e traz certo humor, desenvolvendo filmes mais acessíveis para todos, Eggers usa uma narrativa mais erudita, mais próximo do clima do cinema europeu, com um ritmo mais lento e contemplativo. Além de usar tramas intrincadas e complexas. A prova disso foi seu trabalho seguinte, o insano O Farol (2019). Aqui, parece que o cineasta dará seu passo mais ambicioso, numa história sobre a vingança de um wiking. A estreia é no dia 21 de abril.



Don’t Worry Darling

Aqui temos ainda outra estreia promissora. Certos artistas se descobrem verdadeiramente depois de anos atuando em outra função dentro da indústria do cinema. Esse é o caso com a atriz Olivia Wilde que, embora seja uma intérprete competente, nunca chegou a ser citada por seu talento performático. Porém, foi só passar para trás das câmeras ao comandar seu primeiro longa, o coming of age Fora de Série (2019), que a artista recebeu uma enxurrada de elogios. Prestígio esse que Wilde pretende manter agora em seu segundo trabalho como diretora. Essa, uma obra maior e mais ambiciosa, é dita ser “um terror feminista”. Isso pode afastar alguns, mas potencialmente atrair atenção de tantos outros. Wilde, uma forte defensora da causa feminista, escala um timaço de nomes como Florence Pugh, Gemma Chan, Chris Pine e Kiki Layne para seu elenco, além de igualmente se incluir no time na frente das câmeras. A trama passada na década de 1950, fala sobre uma companhia que esconde segredos potencialmente perturbadores. O lançamento da Warner é para o dia 22 de setembro.

Disappointment Blvd.

Como dito no início do texto, a tríade do terror atual só estaria completa com a presença do cineasta Ari Aster. Assim como Robert Eggers, o jovem diretor Ari Aster aposta num tipo de filme menos palatável para grande parte do público. Mas enquanto Eggers cria filmes mais enigmáticos e restritos, a proposta de Aster parece ser o choque e o horror que te fará refletir e manter as luzes acesas por um bom tempo. Foi isso que o diretor conseguiu com Hereditário (2018) e seu filme seguinte, Midsommar – O Mal Não Espera a Noite (2019). Dessa vez, Aster conta com um verdadeiro às na manga, a presença do Oscarizado Joaquin Phoenix como protagonista. A trama fala sobre um sujeito que se torna um dos maiores empreendedores de todos os tempos, e o filme narra décadas em sua vida. Descrito também como uma comédia, o filme ainda não divulgou sua data de estreia para 2022.

Prey

Não se engane pelo título, embora a proposta talvez seja nos despistar, trata-se de um novo capítulo da franquia Predador no cinema. Ou quem sabe em alguma das plataformas da Disney, de preferência na Star+. Após os filmes originais, datando de 1987 e 1990, a franquia ficaria dormente por mais de uma década, até ser finalmente retirada da geladeira para o encontro com o outro alienígena mais mortal do cinema, nos filmes Alien vs Predador (2004 e 2007). Como não funcionou muito bem, a proposta depois foi um reinício, e aí o envolvimento foi de Robert Rodriguez em Predadores (2010). Mas também não deu certo. Oito anos depois foi a vez de Shane Black tentar a sorte em O Predador (2018). Agora, nas mãos do ótimo Dan Trachtenberg, cujo único filme foi o elogiado Rua Cloverfield 10 (2016), a ideia é uma volta ao passado para o primeiro encontro da raça humana com o caçador espacial com cara de crustáceo. Desta vez, o Predador irá caçar numa tribo indígena na Nação Comanche, há 300 anos no passado. A estreia ainda não foi divulgada.

Halloween Ends



A franquia do maníaco Michael Myers também ensaiou seu retorno em 2018, no ano do Predador de Shane Black. Mas ao contrário de seu colega, o filme intitulado somente Halloween, apesar de seus muitos problemas, viveu para se tornar um sucesso arrebatador de crítica e público, colocando assim a franquia de terror novamente nos trilhos e rendendo láureas como nunca anteriormente. Assim, a expectativa estava nas alturas para o retorno do psicopata, adiado por motivo da covid. Esse ano finalmente o público pôde se reencontrar com um dos serial killers mais queridos do cinema, para um novo embate. Infelizmente, o resultado de Halloween Kills foi morno. Mesmo assim, todos os envolvidos se preparam para lançar a conclusão épica desta nova trilogia, e que poderá ver de uma vez por todas a derrota de Myers. Vocês acreditam nisso? A estreia de Halloween Ends é no dia 13 de outubro.

O Telefone Preto

Exibido este ano em festivais especializados em terror e cinema de gênero, este longa irá estrear no dia 3 de fevereiro no Brasil e grande parte do mundo. Trata-se de uma adaptação de um conto de Joe Hill, filho do autor Stephen King. Quem dirige e adapta o conto para o cinema como roteirista é Scott Derrickson, cineasta que muitos fãs da Marvel certamente lembram por ter comandado o primeiro Doutor Estranho. Derrickson já estava preparando o segundo filme do herói, quando foi “solenemente” jogado para escanteio pelo produtor Kevin Feige, em prol do mais famoso Sam Raimi. Assim, Derrickson optou por investir neste filme menor, que promete chamar atenção. Na trama, um psicopata que usa uma assustadora máscara de demônio (papel de Ethan Hawke) sequestra um menino e o prende num porão. No local, o menino nota um telefone preto desligado, e começa a receber ligações de outras crianças que haviam sido sequestradas pelo mesmo criminoso.

Salem’s Lot

Esse filme pode se beneficiar e muito do sucesso recente de Missa da Meia-Noite, da Netflix, uma das melhores séries de 2021 – na verdade uma minissérie. Acontece que o criador do programa televisivo disse ter se inspirado bastante nesta história do mestre Stephen King. De fato, ele nem precisaria ter confessado, já que a homenagem é clara e inconfundível. Assim como na minissérie, na história de King, um escritor chega numa pequena cidade, somente para notar o local se tornando infestado por vampiros. Esse foi um dos primeiros contos de King adaptados para o audiovisual, ainda na década de 1970. Porém, a adaptação foi feita para a TV na forma de uma minissérie em dois episódios, ao invés do cinema. Sendo assim, essa será a primeira versão da história lançada nas telonas. A direção é de Gary Dauberman (Annabelle 3), e a Warner pretende lançar o filme em setembro de 2022.


Dark Harvest

Um dos filmes mais interessantes de 2022 dentro do gênero, esta produção vem sendo anunciada há algum tempo e agora parece finalmente estar saindo do papel – embora muito pouco continue sendo divulgado a seu respeito. Baseado no livro de Norman Partridge, a história fala sobre um folclore de uma pequena cidade norte-americana, onde uma entidade conhecida como October Boy emerge dos milharais todo dia das bruxas com sua faca em punho para aterrorizar o “vilarejo”. Um dos chamarizes é a direção de David Slade, conhecido por filmes como Menina.Má.Com (2005), 30 Dias de Noite (2007) e Bandersnatch (o filme de Black Mirror). A estreia é no início de setembro.

Firestarter

Outra vez teremos Stephen King nos holofotes. Além de um renomadíssimo escritor de obras do gênero, King é também um dos autores mais adaptados para o cinema e TV da história. Moral para poucos. Além de Salem’s Lot (que no Brasil é conhecido como Os Vampiros de Salem), o ano de 2022 trará também outra das obras menos conhecidas de King. Firestarter, ou Chamas da Vingança, inclusive já foi adaptado aos cinemas em 1984, e contou com protagonismo da então pequena Drew Barrymore, recém-saída do sucesso E.T. – O Extraterrestre dois anos antes. Na trama, uma menininha desenvolve poderes pirocinéticos, ou seja, ela consegue manipular e criar focos de fogo usando o poder de sua mente. Isso se deve após seus pais terem sido voluntários para experimentos científicos. O novo filme traz Zac Efron como chamariz no papel do patriarca – a estreia ainda não foi divulgada.

O Massacre da Serra Elétrica: O Retorno de Leatherface

Em 2022 ainda teremos os retornos de alguns dos verdadeiros ícones culturais do terror. O primeiro deles é Leatherface, “atrativo” da família de canibais no Texas. O primeiro Massacre da Serra Elétrica chocou plateias e foi banido de diversos países em seu lançamento em 1974. Depois disso, o filme gerou nada menos do que sete continuações, incluindo remakes, reboots e prequels. O atrativo dessa nova continuação é a presença de Fede Alvarez, uruguaio responsável por filmes como O Homem nas Trevas (2016) e o remake de A Morte do Demônio (2013), no roteiro e produção. Além disso, no elenco a presença de Elsie Fisher, destaque no elogiado Oitava Série (2018). A proposta aqui é por uma continuação direta do original, que irá se passar 50 anos após o longa dos anos 70. A estreia será na Netflix em 18 de fevereiro.

Hellraiser

Outro ícone do terror dos anos 80, o vilão Pinhead é um demônio que habita um submundo sobrenatural que serve como espécie de limbo para os mortos. Esse mundo é regido pela mistura do prazer e da dor, uma porta aberta após decifrada a caixa dourada conhecida como “Configuração do Lamento” ou “Caixa de Lemarchand”. Depois de quatro produções lançadas nos cinemas, a franquia que se iniciou com um livro do autor Clive Barker (que inclusive dirigiu o primeiro longa de 1987) decaiu no terreno dos lançamentos em vídeo – se tornando produções de baixa qualidade – onde lançou mais seis filmes. Foram um total de dez filmes até 2018. Destes, o ator Doug Bradley interpretou o vilão principal em oito dos filmes até 2005. Agora, nesta espécie de remake/ reboot, a direção será de David Bruckner, do elogiado A Casa Sombria (2020). E a novidade está na primeira versão feminina de Pinhead, com a atriz Jaime Clayton (da série Sense8) contratada para o papel. A data de estreia ainda não foi divulgada.

Insidious: The Dark Helm

Mais um filme da franquia Sobrenatural. Em pouco tempo, contando desde sua estreia em 2010, os filmes desta série de terror no cinema se tornaram um dos mais volumosos em quantidade de produções. Já são quatro filmes e ano que vem esta quinta produção aportará nas telonas. O filme traz novamente como protagonista a médium Elise Rainier, papel da veterana Lin Shaye. Aqui, as novidades são duas. Primeiro, a estreia na direção do ator Patrick Wilson, um veterano da franquia tendo participado dos dois primeiros filmes, e retornado no mais recente no papel de Josh Lambert. O segundo, é o retorno do jovem Ty Simpkins à franquia, que viveu Dalton, o filho do personagem de Wilson, nos três filmes citados. Agora, ao que tudo indica ele estará à frente da trama protagonizando. A estreia será no dia 5 de abril.

COMENTÁRIOS

Não deixe de assistir: